quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Ana Cristina Amorim

Educação continuada com qualidadeEm entrevista à jornalista Jerúsia Arruda, a professora Ana Cristina Couto Amorim, coordenadora da Pós-Graduação lato sensu da Soebras – Núcleo Montes Claros, fala da importância da educação continuada para o desenvolvimento, crescimento e sucesso profissional e as novidades do Núcleo para esse ano



POR JERÚSIA ARRUDA


Nos últimos anos, Montes Claros vem se tornando um pólo educacional em virtude do aumento da oferta de cursos superiores e da grande quantidade de estudantes de outros municípios que vem para a cidade para concluir seus estudos.


Também há um grande número de profissionais recém-formados que necessitam de educação continuada para ampliar conhecimentos, enriquecer seus currículos e se preparar para prestar concursos públicos.


Com a proposta de oferecer educação e formação continuada na capacitação de profissionais das diversas áreas do conhecimento, em 2002, a Soebras criou o Núcleo de Pós-graduação de Montes Claros.


Em entrevista, a professora Ana Cristina Couto Amorim fala da importância da educação continuada para o desenvolvimento, crescimento e sucesso profissional e as novidades do Núcleo para esse ano.


Psicóloga de formação há mais de 20 anos, especialista em Psicologia Clínica e Organizacional / Empresarial e licenciada em Psicologia pela Universidade FUMEC, e especialista em Planejamento e Administração de Sistemas de Saúde e Saúde Pública/Saúde da Família, Ana Cristina é funcionária da Secretaria de Estado da Saúde/MG, atuando na Saúde Pública em Montes Claros e região há cerca de 21 anos.


Também integra a equipe técnica da ACCA Consultoria & Assessoria prestando serviços na elaboração de projetos e operacionalização de cursos de extensão e especialização nas diversas áreas do conhecimento.
E, enquanto diretora do Centro Regional de Estudos em Ciências Humanas (CRECIH) e do Instituto Superior de Educação de Montes Claros (ISEMOC), faculdades do Sistema Soebras, há três anos, e coordenadora da Pós-Graduação lato sensu da Soebras Núcleo Montes Claros há quatro anos, Ana Cristina fala com exclusividade à jornalista Jerúsia Arruda.


Quais as vantagens de se fazer um curso de especialização lato sensu?
Primeiro, o curso possibilita a reciclagem e o aperfeiçoamento dos conhecimentos necessários para um desempenho eficaz nas atividades profissionais; segundo, coloca o profissional em contato com destacados especialistas de outras regiões e colegas da área, permitindo o oportuno intercâmbio de idéias e de experiências; terceiro, amplia as oportunidades aos recém formados, além de promover de forma funcional o acesso a cargos de chefia e de direção de instituições de saúde e educação do setor público ou privado.
No aspecto financeiro, o título de especialista atende à política dos Ministérios da Saúde e da Educação e dos diversos organismos públicos, que exigem a conclusão de Curso de Especialização para o preenchimento de cargos.
Para os profissionais graduados, há a possibilidade de realizar o curso na própria cidade ou região, evitando-se as desgastantes viagens a outras localidades, os gastos com deslocamentos, alimentação e estadia, faltas ao trabalho e afastamento da família, etc.

Por que Montes Claros foi escolhida como sede para o núcleo de pós-graduação da Soebras?O lançamento dos cursos em Montes Claros é resultado de um estudo de viabilidade, considerando-se a densidade populacional da região, a quantidade de instituições de educação, de saúde e hospitalares públicas ou privadas e o número de profissionais existentes.
Em virtude das muitas instituições de ensino superior da cidade, há um grande número de profissionais recém-formados que necessitam de educação continuada para ampliar conhecimentos, enriquecer seus currículos e se preparar para prestar concursos públicos.

Há quanto tempo a Soebras oferece, em Montes Claros, cursos de especialização/ pós-graduação lato sensu e quais as áreas contempladas?
Desde 2003, com destaque para duas instituições mantidas pela Soebras: o Instituto de Ciências da Saúde (ICS) e o Instituto Superior de Educação de Montes Claros (ISEMOC), que oferecem cursos na área da saúde e educação. A missão da Soebras é proporcionar educação e formação continuada na capacitação de profissionais das diversas áreas do conhecimento, atualizando e aperfeiçoando atitudes e habilidades necessárias para o desenvolvimento, crescimento e sucesso profissional dos seus participantes. Atualmente, são mantidos 11 títulos nas áreas de Ciências da Saúde, Ciências Humanas e Lingüística, Letras e Artes. Todos os cursos são ministrados por doutores, mestres e especialistas inseridos com destaque no mercado de trabalho local, regional e do país.

Alguma novidade para esse ano?Continuaremos ministrando cursos em cidades da região, principalmente na área da educação, e abrindo novos espaços em cidades da Bahia com novos cursos em 2008. Ainda em 2008, terminaremos de estruturar o setor de certificação para as Instituições de Ensino Superior da Soebras/Montes Claros, inclusive para os cursos de Extensão Acadêmica, o que sem dúvida nos garante a continuidade e credibilidade dos cursos. E para 2009, planejamos oferecer cursos de especialização na área do direito e das engenharias, consolidando assim o núcleo em Montes Claros.

Todos os cursos são reconhecidos pelo MEC?
Os cursos atendem às exigências da legislação educacional pertinente, especialmente a Resolução nº 1, de 8 de junho de 2007 do Conselho Nacional de Educação (CNE) e Câmara de Educação Superior (CES) do Ministério da Educação. A oferta de cursos de pós-graduação lato sensu independe de autorização, reconhecimento e renovação de reconhecimento por parte da Coordenadoria de Apoio de Pessoal de Nível Superior (CAPES), porém deve atender os critérios e exigências da Resolução CNE/CES, principalmente quanto ao credenciamento junto ao MEC da instituição de ensino superior que oferece os cursos.

Qual o público alvo dos cursos?A exigência para o ingresso nos cursos é que o interessado tenha diploma de nível superior nas diversas áreas do conhecimento.
Os cursos de pós-graduação lato sensu são voltados para o nível de especialização, mais direcionados à área profissional, de mercado, e com caráter de educação continuada.

Todos os cursos têm a mesma duração?
Os cursos têm carga horária mínima de 360 horas, com duração máxima de dois anos, não computando o tempo de estudo individual ou em grupo sem assistência docente e aquele destinado à elaboração de monografia ou trabalho de conclusão de curso (TCC).

A abordagem de cada curso é firmada na especialização específica ou também aborda temas gerais?
Os cursos têm finalidades variadas, que podem incluir desde o aprofundamento da formação da graduação em determinada área, como as especializações dos profissionais da área da saúde, ou temas mais gerais que proporcionam um diferencial na formação acadêmica e profissional.

Como é o formato?
O formato dos cursos é semelhante ao dos cursos da graduação, com aulas presenciais, seminários, ao lado de trabalhos de pesquisa, práticas supervisionadas e visitas técnicas sobre os temas concernentes ao curso.
O aluno tem que freqüentar no mínimo 75% das aulas, que acontecem às 6ª feiras e sábados, e apresentar um trabalho de conclusão de curso (TCC), que pode ser monografia, artigo científico, projeto de intervenção, ou outros. Ao término do curso, após cumprir com todas as exigências regulamentares, será emitido o certificado de conclusão pela Soebras/ Instituto de Ciências da Saúde (ICS), credenciado pela Portaria 2.179 publicada em 28/12/2000, e pelo Soebras/ISEMOC, também credenciado pela Portaria 3.918 publicada em 23/12/2003 pelo D.O.U.

Nos cursos de graduação, o Mec exige que pelo menos 1/3 do corpo docente tenha título de mestre ou doutor. No caso da pós-graduação-lato sensu, qual é a exigência nesse item?
O corpo docente de cursos de pós-graduação lato sensu, em nível de especialização, deverá ser constituído por professores especialistas ou de reconhecida capacidade técnico-profissional, sendo que pelo menos 50% destes deverão apresentar titulação de mestre ou de doutor obtida em programa de pós-graduação stricto sensu reconhecido pelo Ministério da Educação.

Porque várias edições do mesmo curso?
Atualmente, há uma necessidade de educação continuada e aprofundamento de temas que na graduação são vistos de forma rápida e generalizada, principalmente nas áreas da Saúde e Educação. Pensando nisso, criamos uma boa estrutura para atender à procura pelos cursos, como equipe de trabalho motivada, estrutura física adequada, empenho do corpo docente e dos coordenadores técnicos, viabilidade dos cursos para o mercado de trabalho, avaliação continuada junto aos alunos e egressos e, principalmente, o planejamento para a divulgação dos títulos dos cursos, contribuindo para a democratização das oportunidades de acesso à educação em nível mais avançado. A certeza da certificação é outro item que assegura as várias edições do mesmo curso. O certificado recebido pelo nosso aluno é valorizado regionalmente e nacionalmente em concursos públicos e na reclassificação da área da saúde e educação. Os resultados são cada vez mais positivos e as turmas têm se renovado facilmente.

Um comentário:

  1. Parabéns Jerúsia pela matéria com esta GRANDE profisional, Ana Cristina.

    Abçs.
    Lúcia Veloso

    ResponderExcluir

É uma prazer receber sua visita. Obrigada pelo comentário.