sábado, 21 de março de 2009

Lutheria Rio Acima

Projeto recebe prêmio do MINC

O projeto Lutheria Rio Acima, que ensina a fabricar e tocar rabeca e viola caipira, é contemplado com o prêmio Culturas Populares 2007 - Mestre Duda 100 anos de Frevo, do ministério da Cultura

Jerúsia Arruda

Se o epíteto cidade da arte e da cultura dado a Montes Claros, para muitos, é discutível, certas ocorrências o tornam de encaixe perfeito, como a mão e a luva.
Certamente esse é o caso do projeto Lutheria Rio Acima, criado em 2000 e tendo como eixo a cultura popular, contemplado, em 2007, com prêmio Culturas Populares 2007 - Mestre Duda 100 anos de Frevo, do ministério da Cultura.
Realizado pela secretaria municipal de Cultura e coordenado pelo pedagogo Leonardo Palma Avelar, o projeto consiste na realização de oficinas de fabricação de rabeca e viola caipira – além de ensinar a tocar os instrumentos -, promovendo a difusão da arte de tocar instrumentos tipicamente caipiras que se constituem como importante elemento da cultura popular da região, além de promover a integração dos ternos de folia da região.
Para Leonardo Avelar, o prêmio representa uma importante conquista.
- É diferente de ter um projeto aprovado, por exemplo, pela lei de incentivo à cultura. Nesse caso, é o reconhecimento por um trabalho que vem sendo realizado de forma consistente e que concorreu com outros projetos de todo país – ressalta.
O coordenador diz que além de servir de espaço de socialização para mestres de folia e seus aprendizes, o projeto também serviu de embrião para a criação da Orquestra de Rabecas do Sertão que, desde 2005, vem se despontando como uma importante referência cultural, se apresentando em várias cidades do país.

LUTHERIA RIO ACIMA
O projeto acontece na Casa do Tambor e reúne alunos todas as faixas etárias e sexo. As oficinas são ministradas pelos luthiers Moisés Pereira Rosa (viola) e José Raimundo Alves (rabeca), que atendem a duas turmas de cinco alunos por dia, totalizando 40 alunos por mês.
- Essa é a capacidade máxima da lutheria, que nem sempre é totalmente utilizada – ressalta o coordenador do projeto.
Leonardo diz que as oficinas incluem pessoas da terceira idade e, ainda, deficientes visuais.
- A Lutheria Rio Acima vem renovar o gosto de tocar e escutar o som da viola caipira e da rabeca num mundo global, hibridizado, reafirmando essas práticas como parte da identidade cultural do Brasil - completa Leonardo e diz que vários alunos que participaram do projeto montaram suas próprias oficinas.
Segundo o coordenador, com o convênio firmado com a Secretaria de Estado da Cultura, foi possível atender um maior número de alunos e comprar madeira e material de consumo. - Além disto, a lutheria é mantida pelos próprios luthiers que, num primeiro momento, se dispuseram a fazer o trabalho de forma voluntária. A idéia é que a lutheria se mantenha, se torne progressivamente auto-suficiente e sirva como referência, já que a sustentabilidade é o princípio que está na base ideológica de sua concepção – completa.

O PRÊMIO
Desenvolvido pela secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural do ministério da Cultura (SID/MinC) o Prêmio Culturas Populares 2007 – Mestre Duda 100 Anos de Frevo, premia as iniciativas que tenham se destacado pelo trabalho e ações na área dos saberes das tradições das culturas populares e que tenham, dentre outros itens, favorecido as condições de reprodução, continuidade e florescimento das culturas populares, bem como valorizado a diversidade cultural nas culturas populares.
Em 2007, foi destinado o valor total de R$ 2,6 milhões, provenientes do Fundo Nacional de Cultura, premiando 260 iniciativas, cada qual com R$ 10 mil. São 150 prêmios para propostas de grupos tradicionais; 70 prêmios para propostas da sociedade civil; e 40 prêmios para instituições públicas que desenvolvem políticas públicas que valorizem as expressões e manifestações das culturas populares.

MESTRE DUDA
Na edição de 2007, o trabalho desenvolvido pelo mestre Duda recebeu as homenagens por parte da SID/MinC, daí o fato do nome do músico fazer parte do título do concurso. O maestro José Ursicino da Silva - Mestre Duda - nasceu em Goiânia, no interior de Pernambuco, em 23 de dezembro de 1935, estando hoje com 71 anos de idade. Quando criança, aos oito anos, começou a estudar música. Ele é um dos maiores regentes, compositores, arranjadores e instrumentistas brasileiros de todos os tempos e, especialmente, no campo do Frevo.

2 comentários:

  1. Paz e Bem!
    Meu nome é Téo Eduardo, sou de Taciba - Interior de São Paulo, estava procurando na net algum fabricante de rabeca, ai encontrei seu blog e vi uma matéria sobre a Lutheria Rio Acima em Montes Claros, acho que lá vou encontra o que preciso, uma rabeca daquelas tradicionais para tocar musica caipira e folia de reis, se bem que nunca peguei neste instrumento, rsrs, gostaria que vc, se possível me informasse um telefone para contato com a Lutheria Rio Acima.
    abraços e aguardo respostas.

    ResponderExcluir
  2. Olá Teo, como vai?
    Olha, o contato da Lutheria Rio Acima é: (38) 9229-3564. Você pode falar com Carlitos, Diógenes ou Mara.
    Abraços e boa sorte com a viola caipira.

    P.S: A propósito, na região acontece a Festa de Alto Belo, que tem como mote a viola caipira. Uma festa incrível num pequeno vilarejo próximo a Montes Claros. Reúne grandes nomes da viola caipira do país.Vale a pena. Se puder vir, vai adorar.

    ResponderExcluir

É uma prazer receber sua visita. Obrigada pelo comentário.