segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Silêncio dos Tambores

Depois de sacralizar as ruas da cidade, catopês, marujos e caboclinhos recolhem instrumentos e vestimentas aos seus barracões. No próximo mês de agosto, os tambores voltam a ecoar, anunciando um novo tempo sagrado.


Durante cinco dias, de 19 a 23 de agosto, Montes Claros viveu momentos marcantes na sua história, com a realização das Festas de Agosto, que acontecem na cidade há mais de 160 anos.

Os ternos de catopês, marujos e caboclinhos, de vestes renovadas e novos integrantes – é surpreendente o número de crianças que participam dos festejos –, atraíram a atenção do público que acompanhou atento aos cortejos dos devotos que cantaram e dançaram pelas ruas do centro da cidade.

Segundo o coordenador da festa e presidente da Associação dos ternos de catopês, marujos e caboclinhos de Montes Claros, mestre João Pimenta dos Santos – o Mestre Zanza -, as Festas de Agosto em Montes Claros são diferentes de todas as cidades que já visitou.

- Em Montes Claros a festa reúne pessoas de todas as classes sociais, e todos querem ser festeiros. Tem setenta e dois anos que participo da festa e na agenda tem nome de pessoas que querem ser os patronos para os próximos quarenta anos, no mínimo – ressalta ao catopê.


Mesmo tendo passado por uma angioplastia preventiva recentemente, Mestre Zanza conduziu os cortejos durante os cinco dias de festa e disse que está preparado para continuar seu trabalho até quando Deus lhe permitir.

- Essa promessa foi feita pelos meus antepassados e, enquanto Deus me der vida e saúde, vou cumprir – completa Mestre Zanza, que no dia 16 de agosto comemorou 74 anos de idade.

31º Festival
Paralelamente à programação religiosa, o 31º Festival Folclórico de Montes Claros reuniu um grande público em torno da Igrejinha do Rosário, que assistiu a shows musicais, apresentação de grupos folclóricos, além de apreciar comidas, bebidas e artesanato em vários estilos, vendidos nas barraquinhas montadas ao longo da avenida Coronel Prates.

Em parceria com o conservatório estadual de Música Lorenzo Fernandez, o festival também promoveu oficinas de musicalização, com participação gratuita da comunidade.

Entre as atrações do Festival, estiveram Jackson Antunes, Téo Azevedo, Marimbondo Chapéu, Pedro Boi, Carlos Maia e Charles Boavista, Xangai, Bruno e Fabiana, Déborah Rosa, Banda Cabal, dentre outros , que se apresentaram no palco principal, além de dezenas de grupos folclóricos, que se apresentaram em um palco montado em local estratégico, paralelo à avenida.

Encerramento
Além dos ternos de congado de Montes Claros, a festa contou com vários grupos de outras cidades mineiras, que participaram do Encontro de Ternos de Congado de Minas Gerais, que acontece na cidade desde 1991. Após a procissão de encerramento, que aconteceu na tarde do domingo, 23, os grupos se reuniram na Igrejinha do Rosário, onde assistiram à missa celebrada pelo padre João, coroaram reis, rainhas e imperadores e escolheram os mordomos da próxima festa. Os mastros em homenagem a Nossa Senhora do Rosário, São Benedito e Divino Espírito Santo foram descerrados e os devotos reiteram a promessa de voltar no ano seguinte para cumprir nova missão.

Um comentário:

  1. O batuque dos catopes, as vozes infantis dos caboclinhos e as vilas dos marujos silenciam, mas ecoaram nas mentes dos que querem a preservação da cultura local no desejo da valorização da festa religiosa e a sua manutenção com o devido respeito e reverência.

    ResponderExcluir

É uma prazer receber sua visita. Obrigada pelo comentário.