sábado, 5 de setembro de 2009

Cinema Comentado Cineclube

Em setembro, o Cinema Comentado Cineclube de Montes Claros traz uma programação de filmes diferentes e de alta qualidade para todos os interessados na Sétima Arte. Serão exibidos:

 05/09 – “Houve uma Vez Dois Verões” (2002), dir: Jorge Furtado.
12/09 – “11 de Setembro” (2004), produção de Alain Brigand.
19/09 – “Sábado” (1994), dir: Ugo Giorgetti.
26/09 – “Estorvo” (2000), dir: Ruy Guerra.



A sessão deste sábado, 05/09, apresenta "Houve uma vez dois verões" (2002), primeiro longa-metragem do gaúcho Jorge Furtado – conhecido pelos sucessos de “Ilha das Flores”, “O Homem que Copiava”, “Meu Tio Matou um Cara” e “Saneamento Básico, o Filme”.
Chico, adolescente em férias na “maior e pior praia do mundo”, encontra Roza num fliperama e se apaixona. Transam na primeira noite, mas ela some. Só mais tarde, já de volta a Porto Alegre e às aulas de química orgânica, é que ele vai reencontrá-la. Chico quer conversar sobre “aquela noite”, mas Roza conta que está grávida. Até o próximo verão, ela ainda vai entrar e sair muitas vezes da vida dele.

O filme
Em pleno começo do século 21, os adolescentes representam a maior parte do público dos cinemas. No entanto, o cinema brasileiro tem pouca tradição em filmar dilemas e histórias que tratem especificamente do universo deste delicado período de passagem da infância para a vida adulta. Houve uma vez dois verões aborda, com atenção e sensibilidade, os pequenos rituais da vida adolescente – principalmente, a descoberta das aventuras e desejos sexuais que tanto marcam essa fase da vida. Assim, consegue mostrar a importância dos pequenos momentos na formação de um indivíduo.

Furtado constroi uma trama envolvente que passeia pelas emoções (e contradições) do “primeiro amor” com trilha sonora inventiva e abordagem despretenciosa do universo adolescente.

Complementando a sessão, "O diário aberto de R." (2003), curta-metragem de Caetano Gotardo, também apresenta a entrega dos jovens “a seu despertar para a vida”. O diário de Caio traz suas confidências escritas na carteira da sala de aula, ao alcance de qualquer um. No fundo, é a exposição e ousadia emocional da juventude, o seu “peito-aberto” para a vida que marcam esses filmes tão reveladores e sentimentais. Classificação etária: 12 anos.

O Cinema Comentado Cineclube acontece todo sábado, a partir das 19h, na sala 44 do Sesc – Rua Viúva Francisco Ribeiro 199 (Ginásio do Sesc). A entrada é gratuita e há sempre um bate-papo após as exibições.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É uma prazer receber sua visita. Obrigada pelo comentário.