sábado, 27 de março de 2010

Parangolivro - Aroldo Pereira

O poeta e escritor Aroldo Pereira leva seus versos para as terras nordestinas

Nesta semana, o agitador cultural montesclarense faz recitais com poemas do Parangolivro, em Fortaleza.

"PARANGOLIVRO" é uma coletânea de poemas que abordam questões contemporâneas, especialmente aquelas relativas a comportamentos, tensões culturais, existenciais e poéticas.

O livro resgata e intensifica o diálogo com uma vertente fundamental das artes plásticas da segunda metade do século passado, representada por Hélio Oiticica e Raimundo Colares. O primeiro, o inventor dos penetráveis, usáveis, ninhos e dos capotes chamados "parangolés". O outro, artista inquieto, que criou os gibis, inspirados em Mondrian e também explorou a iconografia urbana com os ônibus em movimento e trabalhou com chapas recortadas em diálogo com o minimalismo da literatura pop. O terceiro a compor essa trindade é o piauiense Torquato Neto, base literária e um dos detonadores do movimento Tropicália..

Aroldo Pereira é poeta, ator, compositor, agitador cultural. Publicou, em pequenas tiragens, "Canto de encantar serpente", "Azul geral", "Haikai quem quer" e "Doces pérolas púrpuras", na década de 80, e "Cinema Bumerangue" (Edições Cuatira – 1997).

Natural de Coração de Jesus/MG, Aroldo reside em Montes Claros /MG, onde idealizou e é o curador, há vinte e dois anos consecutivos, do Salão Nacional de Poesia Psiu Poético, através da Secretaria Municipal de Cultura.

7 comentários:

  1. onome dele o escritor é aroldo ou arnaldo pereira como consta em outras paginas da internt

    ResponderExcluir
  2. O livro de Aroldo Pereira parangolivro
    caíra em dois vestibulares da unimontes
    o que foi considerado uma satira e uma brincadeira de mal gossto com os estudandtes
    ASSIM RELATAM NOSSOS PROFESSORES

    ResponderExcluir
  3. muito bela a obra de aroldo pereira, nada fica a dever aos renomados autores de todos os tempos

    ResponderExcluir
  4. Nós que moramos em Montes Claros, sabemos a seriedade da UNIMONTES e não seria leviana ao ponto de relacionar um livro para seu vestibular por brincadeira.

    ResponderExcluir
  5. A UNIMONTES só quer valorizar a produção local, mesmo que seja de qualidade questionável.

    ResponderExcluir
  6. ISSO É O QUE CHAMAM DE CULTURA EM MONTES CLAROS, ESSE LIXO RIDICULO E POBRE DE EMOÇÃO, POBRE E PODRE RIMAM PERFEITAMENTE PARA ESTA OBRA E ESTE AUTOR!!!!

    ResponderExcluir

É uma prazer receber sua visita. Obrigada pelo comentário.