terça-feira, 13 de julho de 2010

Teatro para todos


Durante trinta dias, 9ª Mostra de Teatro reúne
espetáculos em todos os estilos e para todas as idades


Espetáculos para todos os gostos e para todas as idades, com duas sessões diárias. Esta é a programação da 9ª Mostra de Teatro de Montes Claros, que acontece até o próximo dia 1º de agosto, no Teatro Cândido Canela, do Centro Cultural Hermes de Paula.

Realizado pela Associação dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão (AARTED), a Mostra reúne 12 espetáculos apresentados por 11 grupos de teatro mineiros, sendo oito de Montes Claros, um de Belo Horizonte, um de Bocaiuva e um de Rio Pardo de Minas.

Além das peças, a Mostra também traz oficinas de teatro e sessões de cinema, em parceria com o projeto Cine Cultura Montes Claros.

Willian Ferreira, presidente da AARTED, explica que, neste ano, o período de realização da Mostra foi estendido. “Até o ano passado, o período da Mostra era de duas semana, mas, devido ao grande número de grupos inscritos, estendemos o circuito por trinta dias, de 02 de julho a 1º de agosto”, justifica. Segundo Willian, a grande adesão dos grupos se dá, principalmente, pela possibilidade de interação com outros artistas e pela divulgação, já que a Mostra atrai um grande público.

Apesar da motivação, Willian lamenta que os grupos da Unimontes e do Conservatório Lorenzo Fernandez não participem da Mostra. “Nas primeiras edições as duas instituições também participavam, mas acabaram desistindo, com o tempo. No ano passado, alguns alunos de teatro da Unimontes voltaram a participar, e, neste ano, o grupo Fibra, da diretora Terezinha Lygia, que também é professora da unimontes, está participando. Mas o ideal seria contar com a participação efetiva de todos os grupos, o que certamente, fortaleceria não só a Mostra, mas, principalmente, a categoria”, observa, ressaltando que a falta de organização e união dos grupos deixa a categoria sem forças para reivindicar apoio do poder público e acesso a patrocínio da iniciativa privada.

A vice-diretora e coordenadora do Departamento Cultural do Conservatório Estadual Lorenzo Fernandez (CELF), Sandra Soares, explica que a instituição não participa da Mostra porque não tem curso de teatro. “Por não ter o curso, o CELF também não possui um grupo de teatro que possa representar a instituição. O que temos são atividades teatrais, mas a participação dos alunos é rotativa o que inviabiliza a montagem de uma peça, principalmente para a Mostra que trabalha com grupos de alto nível”, esclarece.

Incentivo


A nova geração de atores é a grande atração da Mostra. Entusiasmados, Kiko Ferreira, Mayara, Ingrid e Gabriel, do grupo Grande Palco não veem a hora de subir ao palco. “Esta é a segunda vez que participamos do circuito e, nesta edição, vamos render homenagem ao público com uma série de esquetes”, comemora Mayara.

Mesmo entusiasmado com a peça, Kiko Ferreira lamenta a falta de recursos para ajudar na produção. "Figurinos, cenário, tudo isso custa caro e é preciso muito desprendimento para conseguir finalizar um espetáculo. Também precisamos investir em divulgação para atrair o público, que é o alvo de nosso trabalho. Infelizmente, temos muita dificuldade em conseguir recurso. Somando a tudo isso, a falta de um espaço estruturado para teatro esfria o interesse do público o que dificulta tudo ainda mais”, argumenta.


Para realização da Mostra, de acordo com Willian Ferreira, a Secretaria Municipal de Cultura financiou o material gráfico (ingressos, folders e cartazes) além de disponibilizar o espaço, equipamento de som e iluminação e equipe técnica. “Conseguimos aprovar a Mostra pela Lei de Incentivo à Cultura, mas não conseguimos fazer a captação a tempo”, lamenta.


O secretário municipal de Cultura, Ildeu Braúna explica que, com o choque de gestão da prefeitura, não foi possível disponibilizar recurso em espécie para a realização da Mostra, por isso a Secretaria disponibilizou a infra-estrutura necessária. “A efetivação do Fundo Municipal de Cultura veio exatamente para custear este tipo de iniciativa. Estamos trabalhando para lançar, no próximo mês, o primeiro edital, o que irá viabilizar o acesso do artista ao recurso, de acordo com o projeto apresentado e aprovado”, observa.

Espetáculos

A mostra acontece até o dia 1º de agosto e os espetáculos são encenados de segunda a sábado, sempre às 19h e 21h e, aos domingos, às 10h, 18h e 20h. Os ingressos custam R$ 5 (preço único). As sessões de cinema têm entrada franca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É uma prazer receber sua visita. Obrigada pelo comentário.