quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Lourinho

Segunda chance:
Décadas depois, artista norte-mineiro revive o sonho de cantar e ser um ídolo ao estilo da Jovem Guarda

Já dizia o poeta que os sonhos não envelhecem. Para Lourinho, artista norte-mineiro que iniciou recentemente sua carreira de cantor, a afirmação é uma máxima. Afinal, mais de quatro décadas depois, o menino de Angico, zona rural de Brasília de Minas, município situado a 104 km de Montes Claros e 459 de Belo Horizonte, vê se realizar o sonho alimentado a canções da Jovem Guarda, numa época em que o estilo era unanimidade.

Mas a porta para a arte de cantar não se abriu por acaso para Lourinho. Ao contrário. Durante a adolescência, durante as idas e vindas no trajeto Angico-Brasília de Minas-Angico, Lourinho já se imaginava nos palcos, quem sabe ao lado do rei Roberto Carlos, cantando com suas grossas correntes prateadas no pescoço e calças boca-de-sino.

Foi embalado por esses devaneios, quase realidade de tanto que se repetiam em seu imaginário, que Lourinho se mudou para São Paulo. E foi lá que conheceu mais de perto a realidade do show business tupiniquim. "Cantar é um sonho de menino. Quando assisti pela primeira vez o Show do Gongo, programa de calouros do SBT, tive certeza que um dia também estaria ali naquele palco", conta.

Foi com essa certeza que Lourinho se inscreveu para o show e foi chamado. A apresentação seria no início de janeiro. Como era fim de ano, Lourinho resolveu visitar a família e a namorada em Brasília de Minas e voltaria a tempo para o show. Mas ao chegar a Belo horizonte não conseguiu passagem nem para seguir viagem nem para voltar a São Paulo. Acabou desistindo do programa e, na primeira oportunidade voltou para Brasília de Minas, deixando para trás o sonho de ser cantor.

Em Brasília de Minas, Lourinho constituiu família e jura que nunca mais pensou em cantar. "Mas queria que meus filhos, Warleyson e Wanderson, seguissem a carreira artística. Meu sonho é que formassem uma dupla sertaneja. Até o cabelo dos meninos eram cortados à moda Chitãozinho e Xororó. Matriculei os dois no conservatório e tentei transmitir para eles todo o amor eu que tinha pela música", relembra.

Hoje Warleyson e Wanderson são músicos, mas longe de serem uma dupla sertaneja. Warleyson é guitarrista com influências do heavy metal, e Wanderson toca piano e acordeon. Ambos, com virtuose e maestria invejáveis.

REDESCOBRINDO A MÚSICA
Nos preparativos para as comemorações dos seus 50 anos, Lourinho, por proposta e incentivo dos filhos, grava um CD com as canções que embalaram seus sonhos pueris, com o qual presentearia os convidados na festa. A idéia emplacou de tal forma que os garotos resolveram fazer uma apresentação ao vivo das canções gravadas, claro, interpretadas pelo pai.

Festa programada, convidados selecionados, disco gravado, show ensaiado, Lourinho sobe ao palco e canta as canções de Roberto e Erasmo. O resultado não poderia ser outro: a brasa da paixão é requentada e os sonhos refrescados na memória daquele que por milhares de vezes já havia subido ao palco, cantado e arrebatado os corações, na imaginação. "Nada para mim parecia novidade naquele palco. Só a emoção é que me desconcertava. Durante as gravações do CD não conseguia cantar direito, só chorava. Mas a emoção do palco foi mais arrebatadora e me encontrei no mundo que sonhara para mim, fazendo o trabalho que sempre quis fazer. Finalmente me vi o artista que sempre quis ser", descreve.

Quatro anos depois, Lourinho diz que continua revivendo a mesma emoção experimentada na festa de seus 50 anos. "Depois da festa, as pessoas me pediam para voltar a cantar, tive várias propostas para me apresentar em bailes, confraternizações e festas temáticas. Então, com apoio dos meus filhos, tomei coragem. Selecionamos algumas músicas com as quais tinha mais identificação, reunimos um grupo de músicos e começamos os ensaios. Desde então, nunca faltaram shows na agenda. Divido o tempo entre os shows e meu trabalho como vendedor. E garanto, estou muito feliz", comemora, reafirmando que o poeta tinha razão quando disse que os sonhos não envelhecem.
Agora Lourinho se prepara para gravar o primeiro DVD ao vivo e lançar o segundo CD, que já está pronto. "Esse ano será de agenda cheia", prediz o cantor, que agora sonha em comprar um helicóptero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É uma prazer receber sua visita. Obrigada pelo comentário.