quarta-feira, 25 de maio de 2011

Músculos e coração

Atletas do Jiu Jitsu de Montes Claros ganham o mundo conquistando medalhas. Em casa, ajudam crianças a terem um novo parâmetro para sonhar


Jerúsia Arruda

Montes Claros é mesmo uma caixinha de surpresa. Por onde quer que se ande, sempre é possível deparar com histórias intrigantes, de pessoas que levam a vida de um jeito único, desafiando adversidades e superando obstáculos.

É assim com um grupo de atletas, lutadores de Jiu-Jitsu e luta livre, que mesmo a despeito da falta de apoio e de recursos, tem a sala de troféus repleta, conquistados em campeonatos regionais, estaduais e nacionais.

- O desafio agora é vencer o sulamericano, que acontecerá em Salvador/Ba, nos dias 17 e 18 de junho, e o mundial, no Ibirapuera, em São Paulo, no próximo mês de julho – diz Marcos Antônio, que conquistou o direito de participar das duas competições durante o campeonato mineiro de artes marciais realizado no último mês de maio em Betim/MG, onde, junto com a equipe da academia Gracie Barra, do mestre Marcos David, conquistou 23 medalhas - 2 de ouro e 21 de prata -, e duas vagas para o sulamericano e para o mundial.

- Estamos treinando duro, nos preparando para o desafio e, se Deus permitir, vamos trazer a medalha – diz André Muniz, 21 anos, dono da segunda vaga nos campeonatos.

Mas, para os atletas, apesar da força de vontade e dedicação, a dificuldade é conseguir patrocínio para custear as despesas para a viagem e manter a equipe durante o período em que é preciso intensificar o ritmo de treinamento.

- Fazemos um apelo aos empresários da cidade e região, que nos apoiem. O investimento financeiro pode ser deduzido do imposto de renda e a projeção do esporte da cidade não tem preço. Além disso, realizamos um trabalho social com 40 crianças e muitas delas integram a equipe que tem conquistado medalhas em todas as competições que a academia participa e sem apoio fica difícil garantir a participação de todos por causa dos custos – ressalta.

Marcão diz que entre as crianças tem campeão mineiro e brasileiro de Jiu-Jitsu.

- As crianças de 8 a 13 anos treinam na academia às segundas, quartas e sextas-feiras, às 18 horas. O projeto tem como objetivo dar uma oportunidade para que elas aproveitem melhor o tempo ocioso, evitando que fiquem nas ruas, expostas aos riscos de violência e às drogas – justifica.

Douglas, de 12 anos, participa das aulas há pouco mais de um ano e conquistou a copa Leão Dourado, em Betim.

- Desde que comecei a participar das aulas, minha vida mudou. Antes ficava à toa, não gostava de estudar, vivia na rua. Agora tenho que cumprir um período de treinamento para continuar na equipe de competidores e ter boas notas na escola para manter a vaga na academia – explica Douglas.

Marcos diz que a devido à grande participação das crianças, a academia ficou pequena e precisam de um espaço maior e mais instrumentos para realizarem as aulas.

- O ideal seria uma parceria com a prefeitura, mas temos dificuldade de acesso à secretaria municipal de Esporte. Também poderíamos contar com o Bolsa Atleta, já que para nos manter precisamos trabalhar em outro emprego, quando poderíamos nos dedicar inteiramente ao esporte e ao projeto. Infelizmente, a realidade é outra. –diz.

POSSIBILIDADES
A Secretaria de Juventude, Esportes e Lazer informou que ainda não recebeu pedido oficial de apoio por parte do grupo de Jiu Jitsu, mas que está à disposição para acolher a solicitação, e que apesar de manter projetos de apoio a ações esportivas como essas, somente depois da solicitação formal é que poderá dar parecer oficial sobre a viabilidade ou não de apoio.

Quanto ao Programa Bolsa Atleta, o ministério do Esporte informa que o benefício se destina à manutenção pessoal dos atletas que não possuem nenhum tipo de patrocínio e para custear as despesas referentes à inscrição, transporte, estadia, alimentação, entre outras despesas decorrentes da competição.

Ainda de acordo com o ministério do Esporte, o valor da bolsa varia entre R$ 300, para os atletas estudantes, e R$ 2.500, para os esportistas olímpicos e paraolímpicos. Após inscrever, se for selecionado, o atleta receberá o benefício mensalmente durante um ano.

Cabe ao ministério do Esporte selecionar os atletas que atendam aos pré-requisitos determinados em Lei, conforme sua categoria esportiva. Para pleitear o benefício o atleta não pode receber qualquer tipo de patrocínio, entendido como tal a percepção de valor pecuniário, eventual ou permanente, resultante de contrapartida em propaganda; não receber salário pela prática esportiva; ter participado de competição no ano imediatamente anterior àquele em que está pleiteando a Bolsa, tendo obtido classificação.
Mais informações e inscrição no site do programa:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É uma prazer receber sua visita. Obrigada pelo comentário.