quarta-feira, 18 de maio de 2011

Um banho de Cultura

Depois de um período de regime, Montes Claros volta a sediar eventos culturais de expressão, com a realização do Festival de Cinema e a apresentação da Filarmônica de Minas Gerais

Por Jerúsia Arruda

O primeiro Festival de Cinema de Montes Claros foi realizado em janeiro de 2007 com a promessa de ser anual. Quatro anos depois, a segunda edição é finalmente anunciada com a proposta de difundir a sétima arte, especialmente a produzida na região, entre os dias 17 e 22 de maio.

Na primeira edição, o festival foi promovido pela Fundação Cultural Genival Tourinho em parceria com a secretaria municipal de Cultura, subsidiado por recursos do Ministério da Cultura, na ordem de R$ 200 mil. Neste ano, o Festival conta com o patrocínio da Petrobras e, apesar dos mais de trinta filmes programados para serem exibidos durante os seis dias do evento, certamente, a grande atração da mostra é o espaço aberto para os filmes produzidos por profissionais da região. Conforme o secretário municipal de Cultura, Ildeu Braúna, em coletiva com a imprensa realizada no Casarão Versiani-Maurício na noite de terça-feira, 17/05, “o objetivo é difundir e estimular a produção audiovisual dos cineastas norte-mineiros”.

A programação, aberta oficialmente na terça-feira, acontece no Centro Cultural Hermes de Paula e Cine Tenda, no centro histórico da cidade (Rua Coronel Celestino, atrás da Igreja Matriz). Já na abertura do festival foi possível perceber o toque do artista Sergio Botelho, criador dos bonecos de Olinda e participante do projeto audiovisual da Petrobras, cuja obra desfilou pelas ruas, do Casarão Versiani-Maurício ao Centro Cultural, compondo o cenário montado para receber os convidados.

Durante a coletiva com a imprensa, Guilherme Carvalho, gerente de articulação regional da Petrobras disse que Montes Claros caminha muito bem nas artes audiovisuais e tem toda a possibilidade de a empresa manter o patrocínio para a terceira edição do Festival. “Já temos parceria com a Cultura na realização das Festas de Agosto e agora, durante o Festival, estamos com a exibição de filmes na praça principal do bairro Maracanã. A proposta é promover a inserção social através do cinema”, explica.

Também participaram da coletiva Julio Lopes, gerente da Biodiesel Darcy Ribeiro; o artista plástico Silvio Botelho; Mallu Moraes, coordenadora da oficina de Interpretação de Cinema, e Sérgio Diniz, da secretaria de Cultura e da coordenação do Festival.

Após a coletiva, foi realizada a solenidade de abertura oficial do Festival no centro cultural e, em seguida, com muitas gargalhadas, o público presente assistiu ao curta metragem Meia Hora com Darcy, última entrevista concedida pelo antropólogo e político ao diretor Roberto Berliner, dois meses antes de sua morte, no auditório Cândido Canela do centro cultural.

OFICINAS
Durante o Festival, estão sendo ministradas as oficinas de Interpretação para Cinema, por Mallu Moraes, e de Roteiro, por Di Moretti, ambos os profissionais reconhecidos pelos trabalhos no cinema nacional e na teledramaturgia.

A oficina de Interpretação para Cinema, com 34 vagas, acontece de 16 a 21 de maio, de manhã e à tarde, na Sala de Multimeios do centro cultural Hermes de Paula. Atriz, intérprete e produtora, Mallu Moraes tem no currículo passagens pela Rede Globo e pela extinta TV Manchete, se destacado no cinema nacional com atuação em vários filmes, entre eles o consagrado Carlota Joaquina (Brasil/1995, com direção de Carla Camurati).

Já a oficina de Roteiro tem duração de três dias, de 18 a 20 de maio, ministrada pelo roteirista e professor de roteiro Di Moretti, nome bastante conhecido no meio cinematográfico. Com 30 vagas, a oficina será realizada em três módulos, na Sala de Multimeios da nova sede da secretaria municipal de Cultura, localizada no Sobrado Versiani-Maurício, no centro histórico da cidade.

 
MOSTRAS
Além das oficinas, será realizada a Mostra Digital Norte Mineira, com produções de curtas locais e regionais, em formato digital e com duração máxima de 25 minutos. Foram selecionadas produções com temas livres ou que destacam a atividade do cidadão mineiro e seu meio ambiente. “Em Montes Claros e região tem sido expressiva a atividade de jovens na produção de filmes, que nem sempre chegam ao público. A mostra é uma oportunidade para que estes artistas exibam seus trabalhos”, ressalta Sérgio Diniz, da coordenação do Festival.

Também serão realizadas a Mostra de Filmes Infantis, de quinta-feira a domingo (19 a 22 de maio), com sessões a partir das 9h30, para a faixa etária de 8 a 12 anos; e a Mostra Competitiva de Curtas e Longas, de 18 a 21 de maio (quarta-feira a sábado), com debates ao final de cada exibição, intermediados pelo jornalista e crítico de cinema, Elpídio Rocha, e participação de convidados das equipes dos filmes (diretores, atores e produtores). As sessões serão às 17h e 19h.

ENCERRAMENTO
O 2º Festival de Cinema de Montes Claros termina no domingo, 22/05, com exibição em sessão única, às 20h Cine Tenda e entrega do Troféu Guimarães Rosa aos ganhadores do júri popular e aos homenageados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É uma prazer receber sua visita. Obrigada pelo comentário.