quarta-feira, 25 de maio de 2011

Waly Salomão

A turbulência poética do artista encerra a programação cinematográfica de maio

 
No sábado, dia 28/05, o CineSesc e o Cinema Comentado Cineclube, exibem Pan-Cinema Permanente (2008), documentário dirigido por Carlos Nader. Baiano de Jequié, filho de um sírio muçulmano e uma sertaneja baiana, Waly Salomão (1943-2003) era um artista que se manifestava em múltiplas direções. Formado em Direito, tornou-se poeta, rabiscando os versos de seu primeiro livro numa cela, no Carandiru. Amigo de Hélio Oiticica, aproximou-se dos tropicalistas, tornando-se um dos compositores preferidos de Caetano Veloso, Gal Costa e Maria Bethânia, para quem compôs sucessos como “Mel” e “Talismã”.

Reunindo extenso material inédito, o filme revela algumas das facetas desse incansável caleidoscópio. Tomando emprestado o título de um poema escrito pelo próprio Waly, Pan-Cinema Permanente é uma mistura de homenagem, biografia e manifesto. O documentário une o retrato de um personagem muito interessante e a forma com que sua história e seus pensamentos são representados, misturando depoimentos e trechos de poesia e música.

As cenas que retratam o poeta recitando ou proclamando seus versos e desabafos são de uma força estupenda. Ele é um artista que se impõe pela palavra e que tentou uni-las ao uso do vídeo como nova forma de manifestação artística. O filme foi moldado ao longo de 15 anos, durante os quais o cineasta gravou Waly falando diretamente para câmera; ou como se fizesse parte de poemas-visuais; ou ainda em suas passagens por debates ou programas de TV.

Com momentos divertidos, provenientes de cenas como a visita de Waly a Síria, e também emotivos, derivados da participação dos filhos do poeta, Pan-Cinema Permanente é um justo retrato de um artista que faz imensa falta, numa época em que a poesia parece ser cada vez mais algo que ficou no passado. Felizmente, unindo cinema e videoarte, Carlos Nader conseguiu criar um filme que, mesmo sem abrir mão de algumas abstrações, mantém-se com os pés bem firmes no chão em seu propósito. Classificação etária do programa: 12 anos.

O CineSesc e o Cinema Comentado Cineclube acontecem aos sábados, a partir das 19h, no Salão de Convenções do Sesc-Pousada Montes Claros – Rua Viúva Francisco Ribeiro 199 (Ginásio do Sesc). As sessões são gratuitas, abertas a todos os interessados, e depois acontece um bate-papo com a platéia sobre o filme apresentado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É uma prazer receber sua visita. Obrigada pelo comentário.