quinta-feira, 21 de julho de 2011

Jardim alheio

Mestre zanza
Montes Claros tem muitos títulos: Cidade do Esporte, Cidade da Arte e da Cultura, Cidade melhor a cada dia, entre outros. O que não se sabe é de onde vêm tantos títulos. Sim, porque, a Cidade do Esporte só apoia um time de uma modalidade esportiva - o Vôlei da Funadem. Até dos Jogos do Interior de Minas (Jimis), competição esportiva que incentiva estudantes e revela talentos, da qual sempre foi uma participante ativa, Montes Claros ficou de fora neste ano, pela primeira vez na história depois de 27 anos ininterruptos participando da competição.

Já a Cidade da Arte e da Cultura, que tem tradições culturais fortemente sedimentadas no folclore e religiosidade, como é o caso das Festas de Agosto, alimenta sua fama no resultado do trabalho de artistas nos quais não investe. Em reportagem exibida pela TV Geraes na tarde/noite de segunda-feira, 18/07, Catopês, Marujos e Caboclinhos lamentavam a falta de condições para confeccionar as vestes para as festas que estão chegando e reclamavam da falta de apoio da administração municipal para que possam se estruturar para as festas que, no final, geram lucro e fama para a cidade. O apresentador do telejornal disse que o secretário municipal de Cultura não quis se pronunciar sobre o assunto, o que nos pareceu um descaso e absoluta falta de respeito com nomes como Mestre Zanza, cuja imagem é gratuitamente utilizada para representar a cidade que o despreza.

Dez entre dez artistas entrevistados pelo O Norte sempre batem na mesma tecla: falta investimento para a arte, falta espaço para os artistas, faltam políticas públicas que beneficiem a arte produzida na cidade, e por aí vai.

Por fim, a Cidade melhor a cada dia realmente está cada vez melhor para seus governantes, que estão muito à vontade para explorar o povo que os elegeu sem nenhuma preocupação em cumprir o papel de governar em causa pública. Para o povo, restam o lixo e esgoto a céu aberto, ruas esburacadas, falta de assistência mínima à saúde, e toda sorte de infrações ao que deveria lhes ser garantido por ser direito constitucional.

A Princesa do Norte tem beleza, tem riqueza e tem glamour graças à determinação do povo altaneiro que a habita, mas, certamente, não são esses atributos que inspiraram os muitos títulos que lhe foram dados e, sim, os interesses particulares de grupos que, em diferentes épocas, lançaram mão da riqueza dos claros montes para promover projetos pessoais.

Um comentário:

  1. Alexandre David Salumquinta-feira, 21 julho, 2011

    Parabéns pelo Editorial de ontem - Jardim alheio. Concordo com tudo que você disse. Sem dúvida o grande diferencial de Montes Claros é o seu povo maravilhoso!!

    ResponderExcluir

É uma prazer receber sua visita. Obrigada pelo comentário.