quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Cinema Comentado

Filme do diretor Emir Kusturica celebra o futebol e a personalidade do polêmico Maradona                 
     
Neste sábado, dia 22/10, o CineSesc e o Cinema Comentado Cineclube apresentam a estréia do documentário Maradona (2010), do premiado diretor (e fanático por futebol) Emir Kusturica. O cineasta celebra, no filme, a história de Diego Maradona: um herói desportivo, um artista brilhante, um ídolo em decadência e uma inspiração para milhões de pessoas por todo o mundo. De Buenos Aires a Nápoles, passando por Cuba, Kusturica traça um retrato da vida do atleta, desde o seu início até alcançar a fama mundial – da mais espetacular ascensão à inevitável queda.

Pelé é o maior jogador de futebol de todos os tempos, mas Diego Armando Maradona foi certamente o mais folclórico. No documentário, o “dono da camisa 10” é exposto como o homem por trás do mito. A película, que evita a narrativa linear e cronológica, enfatiza o gol contra a Inglaterra nas quartas-de-final da copa de 1986 (“o gol do século”); cria livre associação entre a vitória e uma suposta vingança pela Guerra das Malvinas; e explora bastante o tom politico, mostrando um hilário encontro com Fidel Castro, um agressivo discurso anti-Bush, e as várias críticas à politicagem da FIFA.

O documentário foge dos padrões convencionais e é assomadamente passional e pessoal, nada isento. No entanto, apesar de reforçar o mito, Kusturica mostra um Maradona humano, que reconhece seus erros, e desconstrói a imagem de uma pessoa arrogante. A idolatria do diretor encobre fatos conhecidos e parece isentar o ídolo de muitas “mancadas” – como o envolvimento com a cocaína e com a máfia napolitana. A abordagem do tema (drogas) é feita de maneira muito subjetiva, com Maradona afirmando que se sentia “como em um sonho do qual não se pode acordar”.

O tom confessional da narrativa é reforçado pelos depoimentos do jogador: “Existe um monte de coisas das quais sinto uma culpa terrível, dentro de mim. Podem falar que estou bem, que estou melhor ou que estou pior que antes. Mas isto não está dentro de mim. Eu sei a culpa que tenho, e isso não posso mudar. Emir, sabe que jogador eu teria sido sem a cocaína? Que jogador nós perdemos! O que me amarga a boca é que eu poderia ter sido mais do que sou. Te garanto”.

Emocional e emotivo, Maradona é uma obra que reflete perfeitamente o cinema anárquico e humanista de Emir Kusturica – cineasta sérvio de intensa criatividade e muitos prêmios por filmes como “Quando Papai Saiu em Viagem de Negócios”, “Arizona Dream” e “Underground-Mentiras de Guerra”. Classificação indicativa: 14 anos.

O CineSesc e o Cinema Comentado Cineclube acontecem aos sábados, a partir das 19h, no Salão de Convenções do Sesc-Pousada Montes Claros – Rua Viúva Francisco Ribeiro 199 (Ginásio do Sesc). As sessões são gratuitas, abertas a todos os interessados, e depois acontece um bate-papo com a platéia sobre o filme apresentado.

PRÓXIMAS ATRAÇÕES – Mostra Cinema e Artes

29/10 – Curta Circuito: “O Rap do Pequeno Príncipe contra as Almas Sebosas” (2000), dirigido por Paulo Caldas e Marcelo Luna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É uma prazer receber sua visita. Obrigada pelo comentário.