sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Eu faço Cultura

Projeto Eu Faço Cultura chega a Montes Claros 

Maior projeto cultural itinerante do Brasil leva oficinas e espetáculos de arte e música de forma gratuita

Quarteto Baru

O Eu Faço Cultura, maior projeto cultural itinerante do Brasil, chega a Montes Claros (MG) no dia 6 de dezembro.

O EFC oferece oficinas de percussão, circo, artes plásticas, dança e fotografia, além de apresentações de teatro e música e cinema a céu aberto. A programação especial conta com muita diversão, atividades e vivências enriquecedoras, com entrada gratuita.

As oficinas serão realizadas na Rua Santinha Tolentino, Bairro Edgar Pereira, próximo à quadra poliesportiva, das 9h às 19h30. “Nossa expectativa é de que as crianças e suas famílias tenham oportunidade de conhecer as oficinas e também de levar uma opção de entretenimento para locais pouco convencionais para esse tipo de ação”, explica o diretor de Cultura da Fenae, Moacir Carneiro.

Haverá entrega de certificados de participação e apostilas em todas as tendas onde serão realizadas as oficinas.

DIVERSÃO

Inka Clow
Pula-pula, algodão doce e espaço para brincadeiras também vão garantir a diversão da garotada. No palco, muita música. Quem se apresenta são as bandas Quarteto Baru e Choro de Confraria. Já os espetáculos culturais ficarão por conta da Companhia Circo Rebote, com a peça “Inka Clow”, e a Companhia Olho de Gato, com o espetáculo “Dona Baratinha Não Quis Casar”. Uma festa para toda a família. Enquanto os pequenos se divertem, shows de música instrumental entretêm os adultos.

O Eu Faço Cultura é o resultado da mobilização do Movimento Cultural do Pessoal da Caixa (MCPC), uma iniciativa da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae) e das Apcefs.

No Brasil, é o maior projeto cultural financiado com recursos do IR de pessoa física. A Lei Rouanet prevê a destinação espontânea de até 6% do Imposto de Renda devido para projetos culturais. Essa é a base de funcionamento do MCPC, que já engajou cerca de 30 mil dos 100 mil empregados da Caixa.

“Por levar disciplinas culturais a milhares de cidadãos brasileiros, contribuindo para a cidadania e o desenvolvimento pessoal dos participantes, o EFC é importantíssimo”, destaca Moacir Carneiro. Esse novo modelo beneficia ainda mais comunidades com fragilidades sociais. “Já passamos por onze cidades esse ano, e a receptividade e a participação das pessoas têm sido excepcionais”, explica. Ele acrescenta: “São as doações dos empregados da Caixa que levam esse projeto cada vez mais longe e que o fazem cada vez mais bonito”.

Ao longo dos sete anos de existência, o Eu Faço Cultura já passou por mais de 60 cidades, com mais de 200 eventos realizados. Cerca de R$ 31 milhões foram arrecadados e investidos, beneficiando mais de 50 instituições e 600 mil pessoas. Os dados do Ministério da Cultura apontam que desde 2006, o MCPC foi responsável por um grande aumento no número de pessoas que contribuem com a cultura via Lei Rouanet no Brasil. Nesse período, as doações cresceram 366%.

Além do Distrito Federal, Porto Alegre, Novo Hamburgo, Sorocaba, Santo André, Santos, São José dos Campos, Poços de Caldas, Juiz de Fora, Vitória, Governador Valadares e Montes Claros, o calendário 2014 do EFC prevê ainda a passagem por São Luís (MA), no dia 13 de dezembro.


EFC EM MONTES CLAROS

Choro de Confraria
Dentre as atrações musicais está a Confraria de Choro, que sobe ao placo às 10h. O grupo norte-mineiro, da cidade de Montes Claros, é formado basicamente por professores do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez e tem mais de dez anos de existência.

Nesse tempo, os músicos vêm se dedicando a vários gêneros musicais, como choro, samba e bossa-nova. A Confraria lançou o seu primeiro disco intitulado "1º choro" em 2008 com influência que o grupo carrega dos grandes mestres do choro brasileiro como Pixinguinha, Waldir Azevedo, Ernesto Nazareth, Zequinha de Abreu, Raul de Barros, além dos grupos regionais de congado.

Às 11h30, começa a apresentação teatral do grupo local Companhia Olho de Gato, com o espetáculo “Dona Baratinha Não Quis Casar”. A peça apresentada numa estética simples e cheia de musicalidade mostra uma nova versão da conhecida história infantil D. Baratinha.

A peça apresenta a procura da personagem principal por um par perfeito e nesta trama descobre que não existe perfeição e que a felicidade não se conquista somente com casamento.

Às 16h, quem se apresenta é o Quarteto Baru, composto pelos instrumentistas brasileiros Nelson Latif, Bosco Oliveira, Sidney Sheikor e Timóteo Ribeiro, que se apresentam nos principais palcos brasileiros e do exterior. O grupo celebra o encontro de quatro músicos que dedicaram toda a carreira à música instrumental brasileira. Neste ano, eles preparam o lançamento de seu primeiro DVD, que celebrará o aniversário de dez anos do grupo.

No final da tarde, às 17h, é a vez da Companhia Circo Rebote, que apresenta o espetáculo “Inka Clown”, um palhaço vindo dos Andes, as terras mais altas da América. A peça é cheia de truques, acrobacias, danças, equilibrismos e malabarismos que vão entusiasmar o público. A participação especial fica por conta da Lhaminha Acrobática que faz várias peripécias. É diversão garantida.

SOBRE AS OFICINAS

Circo
A oficina de circo é composta por um circuito com as seguintes modalidades: aquecimento, acrobacias de solo, malabarismo com claves, bolinhas, pratos giratórios, arcos e swings.

Percussão
Nesta oficina é abordado o conhecimento sobre algumas manifestações da cultura popular e alguns dos seus ritmos por meio de instrumentos como: caixa, surdo, agogô, tamborim, ganzá e pandeiro.

Artes Plásticas
Nesta oficina, os alunos terão a oportunidade de manusear materiais reaproveitados e construir brinquedos a partir dele. Uma oficina para aprender que brincadeira, criatividade e arte andam de mãos dadas.

Dança
Visa proporcionar ao aluno o enfoque na percepção e consciência do próprio corpo através de movimentos que atuam na postura, capacidade de concentração, força, flexibilidade e alongamento.

Fotografia
Os alunos têm oportunidade de aprender diversos conceitos sobre as técnicas de fotografia. Além disso, os alunos aprendem o processo de construção de máquina fotográfica sem lente, através de materiais reciclados.

Rua Brincante
Este é um espaço dedicado à cultura, entretenimento e lazer. Durante todo o dia serão realizadas atividades que visam o enriquecimento das competências criativas e organizacionais das crianças e proporcionará aos participantes do evento a oportunidade de entrar em contato com jogos e brincadeiras de rua tradicionais como pega-pega, dança da cadeira, amarelinha, bambolê, elástico, pula corda, entre outros.

Programação em Montes Claros (MG) 
Atrações:
Banda nacional: Quarteto Baru
Banda local: Confraria de Choro
Teatro nacional: Circo Rebote, com a peça Inka Clow
Teatro local: Companhia Olho de Gato, com o espetáculo “Dona Baratinha Não Quis Casar”.

___________________________________________

SERVIÇO:


O que: Eu Faço Cultura em Montes Claros (MG)
Quando: Sábado, 6 de dezembro
Horário: 9h às 19h30
Onde: Rua Santinha Tolentino, Bairro Edgar Pereira (próximo à quadra poliesportiva) – Montes Claros, MG
Quanto: Entrada gratuita
Classificação: Livre
Informações: (61) 3213-5742

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É uma prazer receber sua visita. Obrigada pelo comentário.