segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Campeãs da dança

Com talento e persistência, bailarinas passam de
alunas a monitoras de oficinas de dança

Exemplos de persistência, dedicação e força de vontade, as ex-alunas de balé do programa TIM ArtEducAção de Montes Claros, Marcélia Pereira (18), Priscila Silva (17) e Aline Dias (18) alcançaram mais uma vitória. Após expressivo desenvolvimento e aprendizado nas aulas de dança, as bailarinas passaram de alunas para monitoras das oficinas, um passo importante para as jovens que entraram no programa ainda crianças.

Segundo a professora Adriana Camargo, as oficinas contribuem para o desenvolvimento pessoal das crianças e adolescentes da cidade, além de dar oportunidade aos novos talentos. “Durante anos, a dedicação incansável e o talento dessas alunas me fizeram acreditar que seriam capazes de aprender e passar conhecimentos para outros jovens. Fico feliz em ver o resultado do trabalho que foi e continua sendo realizado”, comenta.

A trajetória das adolescentes foi parecida. Priscila Silva tinha o sonho de ser bailarina desde criança. Aos 12 anos, conseguiu entrar para o programa, no qual desenvolveu seu talento e, aos 17, se tornou monitora da oficina de balé, o que para ela foi uma grande oportunidade. “O que eu sou hoje e se eu tenho uma carreira a seguir, devo ao programa. Tive a oportunidade de crescer nas oficinas e a agarrei com todas as forças. O programa é a base da minha vida e me proporciona crescimento, aperfeiçoamento, participação em espetáculos e novos conhecimentos”, comemora a monitora.

Com Aline Dias não foi diferente. Há sete anos aluna do TIM ArtEducAção, ela tem hoje a oportunidade de ser monitora de balé. “Com o programa, tive um grande desenvolvimento pessoal e físico. A oportunidade de transmitir os conhecimentos que um dia me foram passados é muito recompensador”, afirma.

Assim como ela, a nova monitora Marcélia Pereira, que entrou para o TIM ArtEducAção aos 10 anos, vê essa chance como um impulso para seguir a carreira de bailarina e professora. “Conviver com pessoas diferentes me tornou mais organizada, com novos sonhos e perspectivas. Ser monitora de um programa no qual eu entrei ainda criança é a concretização de um sonho. Eu me identifico muito com as meninas que crescem junto às aulas de balé”, completa.

Neste ano, o programa TIM ArtEducAção completa sua oitava edição na cidade com números expressivos: são 300 crianças e adolescentes de cinco escolas públicas atendidos pela iniciativa, que tem parceria da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura.