quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Cinema / literatura

Novas tendências criadas por Harry Potter

Quando o assunto é arte e entretenimento, a sétima arte ainda é a grande propulsora da economia. Prova disso foi o lançamento da nova edição da saga do jovem mago Harry Potter que arrecadou 330 milhões de dólares em vendas globais de ingressos nas bilheterias dos 50 países onde estreou, na semana passada. Os seis filmes anteriores de Harry Potter renderam 5,4 bilhões de dólares em todo o mundo para o estúdio Warner Bros.

Apenas dois filmes até hoje superaram essa marca. Batman - O Cavaleiro das Trevas teve a melhor estreia de todos os tempos - 158 milhões de dólares, em 2008 - e Homem Aranha 3 estreou em 2007 com 151 milhões.

Além do sucesso na telona, a série de best-sellers da autora J.K. Rowling tem outro marco importante: a abertura de novas tendências para o mercado editorial e a formação de novos leitores.

Por todo o mundo, editoras estão desviando o foco para o nicho juvenil motivadas pelas transformações operadas por Harry Potter. São inúmeras as séries de livros publicadas, com títulos que são resultado do espaço aberto no mercado pela autora britânica além de uma série de outros produtos como dicionários, jogos e pop ups inspirados no menino bruxo da escritora britânica.

Motivados pelo mundo mágico de Harr Potter, adolescentes também estão descobrindo o prazer da leitura. Quem começa a ler ou toma gosto por livros com as linhas da J.K. Rowling costuma buscar outros títulos depois de encerrar – ou de reler – a série.
Pesquisas mostram que após a leitura da saga, os adolescentes procuram outros livros que se conectem à sua faixa etária, mas seguem alimentando o hábito de ler até encarar obras para adultos.

No Brasil, a formação do jovem leitor ainda se dá de forma um tanto aristocrática, quando se induz um aluno ou um filho a ler, é Machado de Assis que se oferece a ele. O problema é que essa ideia de introduzir apenas grandes autores não cria hábito de leitura.

Além de não ficar na contramão de seu próprio tempo, o jovem busca na literatura algo que se identifique com ele, então, não há porque não incentivar a leitura por entretenimento até porque a leitura não é um hábito que se perde fácil. Após ler um ou outro livro, fica mais fácil alimentar hábito da leitura e descobrir novos autores. Além disso, obras como Harry Potter tem uma qualidade literária inquestionável.

O hábito da leitura é algo fantástico e, independentemente do estilo literário, o importante é que os jovens leiam. É preciso que famílias e escolas vençam o preconceito contra a leitura por entretenimento e incentive crianças e jovens a descobrir o mundo fantástico dos livros.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

20ª Festa Nacional do Pequi

Aberta 1ª Expocerrado em Montes Claros

Exposição vai até sábado, 27, e faz parte da programação da 20ª Festa Nacional do Pequi


O último sábado, 20, foi marcado pela a abertura da 1ª Exposição de Artes Plásticas – Expocerrado. Com o tema “o cerrado e sua diversidade”, a mostra está exposta em galeria especialmente montada no primeiro piso do Montes Claros Shopping. O evento marcou o início da programação da 20ª edição da Festa Nacional do Pequi.

No total, trinta trabalhos estão expostos e aguardam lance dos visitantes em leilão diferente dos tradicionais. Ao longo da visitação, os interessados poderão preencher uma ficha de arrematação e aguardar o resultado no final do evento, quando serão conhecidos os melhores lances e declarados os compradores.

Para os interessados não ficarem de fora, os curadores adiantam que o formato do leilão aplicado foi a melhor maneira de oportunizar a todos a participação. Ainda de acordo com os organizadores, esta modalidade facilita a compra de boas obras por preços aquém dos praticados no mercado da arte. Se fosse venda normal, a organização teria que obedecer rigorosamente a tabela de preço de cada artista.

A exposição vai até sábado, 27 de novembro, das 10 às 22 horas, com entrada franca. Participam da 1ª Expocerrado na categoria novos talentos Wânia Cristina D’esalira, Osmar Oliva, Lucas Aquino, Alberto Gusmão, Marcos Aurélio Leite, Ângela Fátima Martins, Marcos Philipe Neves, Sônia Souza, Darli Nuza, Stephanie Pirfo. Entre os profissionais estão Sérgio Ferreira, Carlos Araújo, Márcia Prates, Helio Branttes, Geny Tupinambá, Lúcio Saraiva, Andréa Cardoso, Fábio Ribeiro, Márcio Leite, Afonso Texeira, Guilherme Barbosa, Ricardo Pereira, Ângela Laughton e Robin Pintor.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Grupo Teatro Fibra

Francisco Dumont recebe Expresso Sertão IV

O Grupo Teatro Fibra, através do Expresso Sertão IV: 30 Anos de Fibra no Teatro, se apresenta no próximo sábado, 20, às 19 horas, em Praça Pública da cidade de Francisco Dumont, a 115 km de Montes Claros, com o espetáculo “Brincando de Brincar”.

A cidade turística é a terceira a receber o Expresso Sertão IV. A turnê que já se apresentou nas cidades de Joaquim Felício e Bocaiúva, passará também por Lassance e Augusto de Lima. Em Montes Claros a apresentação está marcada para o dia 11 de dezembro, encerrando a turnê.

Sob coordenação geral de Terezinha Lígia, o evento tem como objetivo continuar proporcionando apresentações de qualificação para a população do interior mineiro. “Estamos extremamente satisfeito com a receptividade nas cidades em que visitamos. O Expresso Sertão é um projeto cultural diferenciado que permite à população a possibilidade de assistir a um espetáculo de qualidade e profissionalismo comprovados nestes 30 anos de fibra no teatro”, explica Terezinha Lígia.

Brincando de Brincar
O Espetáculo cênico-musical reúne cantos regionais de domínio público, resultante de pesquisa e de conhecimentos transmitidos pelos mais velhos. Na versão III, a pesquisa se estende e alcança o rico potencial do Vale do Jequitinhonha e se encontra em cartaz desde 2001, com apresentações nas mais diversas regiões do estado de Minas Gerais e em outros estados. O espetáculo é apresentado em quadros: ora interpretados, ora coreografados, com passos legítimos de danças populares brasileiras. A concepção cênica do espetáculo passa pelas linhas; circo, comédia dellárte e farsa.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

24 músicas serão selecionadas para festival em Montes Claros


Com o total de 88 músicas inscritas para o Festival de Música, que acontecerá nos dias 26, 27 e 28 de novembro, dentro da programação da 20ª edição da Festa do Pequi, a comissão organizadora classificará apenas 24 músicas para participar do evento.

O festival, que chega à sua sétima edição desde 1993, será realizado, pela segunda vez, no estacionamento do Terminal Rodoviário de Montes Claros. No total, R$10 mil em prêmios serão distribuídos para os três primeiros lugares e, ainda, o melhor intérprete e o melhor arranjo.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Arte para todos

Mercado municipal de Janaúba se transforma em teatro italiano


Com apresentação gratuita, a Ditarso Companhia de Dança resgata alguns dos principais mitos da região


O Mercado Municipal de Janaúba será transformado em um grande teatro italiano para receber a turnê que a Ditarso Companhia de Dança realiza no Norte de Minas. Nesta quarta, dia 03, às 19 horas, a população da cidade poderá assistir gratuitamente ao espetáculo de dança “Noitencantada” que resgata alguns dos principais mitos da região, como o Caboclo D água e a Mula-sem-cabeça.

Segundo o coreógrafo e diretor da companhia, Paulo Di Tarso, o objetivo é oferecer aos nortemineiros uma oportunidade de vivenciar uma experiência artística de qualidade e transformar locais de uso público em espaços de cultura. “Realizar uma apresentação de espetáculo de dança no Mercado Municipal é uma iniciativa que promoverá a democratização da cultura na região”, observa di Tarso.

Paulo di Tarso explica que o projeto prevê a consolidação do circuito cultural nortemineiro idealizado pela Ditarso Companhia de Dança em 2006 com o objetivo de tornar acessíveis à população da macrorregião bens artísticos gerados em Montes Claros. “O eixo principal é a realização de apresentações gratuitas de um espetáculo infanto-juvenil de dança em 06 cidades da região, cujo perfil revela uma carência de ações culturais, mais especificamente de artes cênicas. Além das apresentações, o projeto prevê a realização de oficinas de arte que possam contribuir com o desenvolvimento dos artistas e arte-educadores locais”, explica.

Nesta edição do projeto, a turnê inclui as cidades de Bocaiúva, Brasília de Minas, Capitão Enéas, Francisco Sá, Janaúba e Januária.

Parceria
Com o apoio do da Lei Estadual de Incentivo à Cultura/MG e do Programa BNB de Cultura, a Ditarso Companhia de Dança realizou, em 2006/2007, uma turnê por oito cidades do Norte de Minas apresentando gratuitamente o espetáculo infantil de dança “Pedro e o Lobo”.

As apresentações foram realizadas em um teatro italiano montado em praças públicas com todos os equipamentos necessários a espetáculos cênicos. Através da parceria com as secretarias municipais de educação e cultura das cidades contempladas, segundo Paulo, foi possível estruturar uma rede com todos os estabelecimentos de ensino fundamental do âmbito público e particular.

Os alunos desses estabelecimentos receberam estímulos na forma de informação e atividades que os prepararam para assistir ao espetáculo. As crianças, por sua vez, repassaram esse estímulo para familiares e vizinhos, ampliando a abrangência da comunicação. Como resposta a esta estratégia, 18 mil pessoas assistiram às apresentações realizadas pelo projeto.

Noitencantada
Os resultados dessa turnê incentivaram a elaboração de um novo projeto que, além de dar continuidade a este diálogo cultural, valorizasse aspectos culturais específicos da região. Desta forma, a Ditarso Companhia de Dança criou um novo espetáculo, também direcionado ao público infanto-juvenil intitulado “Noitencantada”.

"O roteiro do trabalho cênico nasceu de uma pesquisa bibliográfica realizada por um antropólogo sobre teoria antropológica e folclórica do Norte de Minas. Esta pesquisa nos aproximou de relatos coletados em 1912 pelo folclorista nortemineiro Manoel Ambrósio, e publicados em 1937 com o título 'Brasil Interior', formando um material simbólico que abrange os principais saberes e tradições da região de Januária, às margens do Rio São Francisco. Esses mitos e lendas que preenchem o imaginário do sertanejo nortemineiro compõem o principal argumento do novo espetáculo que, além dos códigos da dança, agrega outras linguagens cênicas e tecnologias", explica Paulo.

As apresentações do espetáculo serão realizadas nos ginásios poliesportivos, praças, rodoviárias e mercados das cidades, o que proporcionará maior acessibilidade ao público, revitalizando as parcerias firmadas com os estabelecimentos de ensino infantil e fundamental das cidades. "Dessa forma, além da distribuição de peças gráficas para os estudantes, as escolas parcerias poderão desenvolver atividades que resgatem as lendas e crendices da nossa cultura, possibilitando desdobramentos do projeto", completa Di Tarso.

Também serão realizadas oficinas para artistas e arte-educadores de algumas das cidades nos dias que antecedem as apresentações. Srgundo Paulo Di Tarso, o objetivo é a transferência de conhecimentos relacionados ao fazer artístico, seja ele no âmbito profissional ou amador.

“Acreditamos que este projeto terá um impacto maior que o anterior, uma vez que os vínculos necessários para sua execução já estão construídos. Além disso, essa turnê tem como diferencial a apresentação de um espetáculo baseado nas raízes culturais do público alvo, propondo assim um resgate da memória da região”, avalia Paulo.

Di Tarso Companhia de Dança

10 anos dançando em defesa da cultura nortemineira

Em 2001, o bailarino e coreógrafo Paulo di Tarso (foto) reuniu um grupo de artistas de sua cidade natal- Monte Claros (MG)-para criar o espetáculo infantil Pedro e o Lobo. A peça de dança-teatro é uma livre adaptação do poema sinfônico de Prokofiev e ficou dois anos em cartaz. O êxito do projeto foi a mola propulsora para a organização destes artistas como um grupo estável.

Em agosto de 2003 nasce a Ditarso Companhia de Dança, com a estréia de “Três dias antes, três dias depois”, um espetáculo de dança-teatro inspirado no Mito do Andrôgeno. Com este espetáculo, o grupo iniciou a busca pela sua identidade artística, afirmando desde o início o interesse pelos públicos infantil e adulto. Paulo di Tarso assumiu o cargo de diretor e coreógrafo residente do grupo assinando todos os trabalhos desde sua fundação.


Em 2004 duas novas obras entraram para o repertório da companhia. A primeria, "Cantos de Lá", com música do grupo portugues Madredeus, é uma proposta estética fundamentada no balé mas com uma composição coreográfica contemporânea. A segunda obra, GYNECO, com música de Philip Glass, Mário Vaz de Melo e UAKTI apresenta uma revisão da composição coreográfica de Cantos de La, agora com um vocabulário contemporâneo. Estas duas peças, com estéticas distintas, são na verdade complementares e, por isso, são apresentadas no mesmo programa.

Para dar sustendo ao seu desenvolvimento artístico a companhia investiu em cursos de gestão cultural e assessoria jurídica. Dessa forma, a partir de 2006, passa a atuar como uma Associação Cultural e a utilizar de maneira efetiva os benefícios das leis de incentivo. Sua primeira ação incentivada foi uma turnê por 08 cidades de pequeno porte da macro-região do Norte de Minas, apresentando gratuitamente um espetáculo infantil de dança.

Desde então, a Ditarso Companhia de Dança está comprometida com a região onde está inserida e com a democratização cultural do norte de Minas Gerais. Em 2006 e 2007, esta turnê foi selecionada nos editais do Programa BNB de Cultura, que promove o desenvolvimento cultural do semi-árido.

Em 2008 foi contemplado pelo Fundo Estadual de Cultura com um projeto de circulação por cidades polo de Minas Gerais, apresentando gratuitamente o espetáculo “Três dias antes, três dias depois” para alunos do ensino médio da rede pública de São João Del Rei, Varginha, Viçosa e Uberaba.

Com a turnê, a companhia pode mostrar seu trabalho em locais onde a dança contemporânea mineira está em efervescência e dialogar com outros grupos. Como desdobramento desta turnê, recebeu o convite para participar do 23º Inverno Cultural de São João Del Rei. Além de apresentar espetáculos, a Ditarso Companhia de Dança ofereceu oficinas que tratam da biomecânica da dança, uma abordagem científica do movimento com o objetivo de zelar pela saúde dos bailarinos.

Ainda em 2008, a companhia recebeu o Prêmio Cena Minas do Governo de Estado de Minas Gerais, COPASA e Instituto Sérgio Magnani. Com este recurso realizou uma temporada de apresentações gratuitas do espetáculo Pedro e o Lobo para 4.500 alunos da rede pública de ensino fundamental de Montes Claros.

As apresentações aconteceram em 2009 no Centro Cultural da cidade em horário letivo, de forma que as crianças deslocavam das suas escolas para o teatro acompanhadas de professores e supervisores. Ainda em 2009 foi novamente contemplado pelo Fundo Estadual de Cultura com a extensão do projeto do ano anterior; uma turnê que em 2010 percorrerá Ipatinga, Itabira, Juiz de Fora e Araxá.

Em 2010, a Ditarso Companhia de Dança investiu na criação de um novo espetáculo infantil, desta vez baseado no imaginário norte mineiro. Buscou na obra do folclorista Manuel Ambrósio os mitos que habitavam as margens do Rio São Francisco no início do século 20 para criar “Noitencantada”. Com música de Elgar, esta obra reaviva velhas tradições, quase desconhecidas pelas crianças de hoje. Este espetáculo, premido pelo Programa BNB de Cultura de 2008 circulará por seis cidade próximas a Montes Claros com apresentações gratuiras para toda a população.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Eleições Unimontes

Comunidade acadêmica vai  às urnas para composição de listas tríplices para reitoria da Unimontes



 

Nesta quinta-feira (4/11), serão realizadas as eleições diretas para a composição das listas tríplices para os cargos de reitor e vice-reitor da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) – Gestão 2011/2014. A votação será no horário das 8 às 22 horas, no campus-sede, nos 11 campi do Norte de Minas, Noroeste e Vale do Jequitinhonha, além das demais unidades em Montes Claros e no escritório de representação em Belo Horizonte.

Concorrem ao cargo de reitor da Unimontes os professores João dos Reis Canela, Itagiba de Castro Filho e Otoni Caribé da Cunha. Os candidatos a vice-reitor são os professores Maria Ivete Soares de Almeida, Rômulo Soares Barbosa e Tânia Marta Maia Fialho.

De acordo com as regras do processo eleitoral, o voto na universidade é paritário: professores (peso de 70%), servidores técnico-administrativos (15%) e acadêmicos (15%), Após a apuração dos votos pela Comissão Eleitoral, na próxima terça-feira (9/11), o Conselho Universitário vai se reunir para homologar o resultado.

Logo em seguida, as listas tríplices para reitor e vice-reitor serão encaminhadas ao governador do Estado, para a nomeação dos futuros dirigentes da instituição que deverá acontecer até 4 de dezembro, quando termina a atual gestão do reitor Paulo César Gonçalves de Almeida.

Ao todo, estão aptos a participar do processo eleitoral cerca de 13,2 mil pessoas, sendo que 1,4 mil professores, 1,3 mil funcionários técnico-administrativos e 10,5 mil alunos regularmente matriculados nos cursos de graduação, de pós-graduação (Lato sensu e Stricto sensu) , de educação profissional de nivel técnico, presenciais e a distância. Cada professor, servidor técnico-administrativo ou aluno deverá votar na respectiva unidade onde é lotado.

Locais de Votação
No campus-sede, as seções de votação serão instaladas nos prédios dos centros de ensino (1, 2, 3 e 6), na Biblioteca Central Professor Antonio Jorge (prédio 4) e na sede da Reitoria (prédio 5). Ainda em Montes Claros, haverá urnas no Hospital Universitário Clemente de Faria, Policlínica Doutor Hermes de Paula e no Centro do Ensino Médio e Fundamental (CEMF).

A votação também acontecerá nos campi de Almenara (Vale do Jequitinhonha), Bocaiúva, Brasília de Minas, Espinosa, Janaúba, Januária, Pirapora, Salinas e São Francisco (Norte de Minas) e Paracatu e Unaí (Noroeste), além do Núcleo de Joaíma (Vale do Jequitinhonha) e do Escritório de Representação da Unimontes em Belo Horizonte.

Os candidatos a reitor e vice-reitor concorrem indistintamente, sem a formalização de chapas. Porém, os nomes deles vão aparecer na mesma cédula. Haverá uma diferenciação de cédulas por cores, por cada categoria: rosa (professores), branca (alunos) e azul (servidores técnico-administrativos).

Pelas regras do processo eleitoral (definidas pelo Conselho Universitário), aqueles que tiverem mais de um cargo na instituição – professor e servidor técnico-administrativo -, deverão votar uma única vez, prevalecendo a categoria de maior peso.

A apuração dos votos será feita nesta sexta-feira (5/11), a partir das 8 horas, no auditório Mário Ribeiro da Silveira (prédio 6 do Campus Universitário).

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Lorenzo Fernandez

Semana da Cultura abre comemorações dos 50 anos do CELF

Começa no dia 02 de novembro a programação cultural do maior conservatório da América Latina. O evento faz parte da XXIII Semana da Cultura do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez (CELF) e será aberta a participação gratuita de toda a comunidade local e regional.

A abertura oficial será no dia 04 de novembro, às 20h30min, no auditório Cândido Canela, do Centro Cultural Hermes de Paula. No local, ainda será apresentada a nova logomarca e o carimbo comemorativos aos 50 anos da fundação do conservatório.

Segundo a direção do CELF, a Semana da Cultura foi criada para proporcionar eventos de boa qualidade, bem como mostrar o trabalho que é desenvolvido pelos alunos e professores do Conservatório.

“Sempre que possível, trazemos artistas de outras cidades para realização de palestras, apresentações, recitais, concertos, master class e oficinas abertas ao público. A Semana da Cultura acontece sempre no início de novembro, em comemoração ao aniversário do patrono Oscar Lorenzo Fernândez, comemorado no dia 04”, informa a diretora Iraceníria Fernandes da Silva.

Programação
Neste ano, o Conservatório dará início às comemorações dos seus 50 anos. E na programação, no dia 02, será realizado um Concerto de Canto e Piano com o músico Joaquim de Paulo do Espírito Santo, de São Paulo, que, na oportunidade ministrará master class para professores e alunos do Conservatório e da Unimontes.

Na programação acontecerão, ainda, concertos com a Orquestra Sinfônica de Montes Claros, apresentações de instrumental, serestas, corais, grupo de dança, teatro, oficinas, mostras de artes, dentre outras atividades culturais nos auditórios do Conservatório e do Centro Cultural Hermes de Paula. “É importante ressaltar que todos os eventos da semana erão com entrada franca”, observa Iraceníria.

50 anos do CELF

Em Minas Gerais existem 12 conservatórios estaduais. A grande maioria está localizada no Sul do Estado, sendo o de Montes Claros, o único no Norte de Minas. “Isso redobra a sua importância e responsabilidade, uma vez que atendemos a clientela da cidade e de toda região. Somos um pólo irradiador de cultura, preocupamos em realizar da melhor forma possível e dentro das nossas possibilidades, ações e metas. Além da formação artístico-musical do aluno, levamos a toda sociedade eventos de boa qualidade, preocupando assim, com a formação de um público cativo, aprimorando seu gosto musical, além, é claro, de valorizar e mostrar o trabalho dos alunos e professores. As parcerias nos possibilitam um intercâmbio de ações inclusivas norteadoras do saber artístico, da democracia e acesso de todos à arte e a cultura. O conservatório tem como função provocar a reflexão do ser humano, através da sensibilização e da emoção. Afinal, o verdadeiro papel da arte é promover a inquietação para uma possível mudança. Hoje, com quase meio século, uma história de lutas e conquistas, sentimo-nos recompensados pelo apoio de toda sociedade que valida sempre nossas ações”, finaliza a diretora do CELF.