sexta-feira, 30 de julho de 2010

Trova, Prosa e Viola

4ª Semana cultural abre espaço para o matuto mineiro

Quem não se lembra das histórias contadas por nossos avós quando éramos crianças? E dos famosos causos e lendas das Minas Gerais? Bons tempos que não voltam, mas podem ser relembrados com muito humor, através do show “Trova, Prosa e Viola”, de João de Nucha, um dos destaques da 4ª Semana cultural que acontece em Nova Porteirinha, no Norte de Minas.

O show protagonizado pelo montes-clarense, João de Nucha, traz o melhor dos causos das Minas gerais. O personagem é inspirado no autêntico goiano, Geraldinho, construtor de cercas e exímio contador de causos.

Com delicioso sotaque e trejeitos peculiares do matuto do campo, João de Nucha conta as maliciosas histórias do dia-a-dia da zona rural, de forma irreverente e inusitada. “Não se deixa enganar, nem leva desaforo pra casa, responde ali mesmo. Suas saborosas histórias vão de pescarias e caçadas até mulheres, festas e quermesses”, ressalta o artista.

O Show Trova, Prosa e Viola acontece, nesta sexta-feira e sábado, 30 e 31 de julho, às 21 horas, na sede da Faculdade Vale do Gorutuba.

sábado, 24 de julho de 2010

Brasil em Chile - Chile en Brasil Festival

Intercâmbio entre artistas brasileiros e chilenos fortalece relação entre os dois países e aproxima produção, difusão e formação cultural


O Brasil em Chile - Chile en Brasil Festival é uma criação que favorece a divulgação do Brasil no exterior e a cooperação cultural com países do Mercosul. Propõe, aos artistas e público do Chile e do Brasil, a troca de expressões em Dança, Teatro, Música, Cinema e Artes Plásticas.

Realizado de 7 a 10 de Julho em Santiago (Chile) e de 27 a 30 de Julho em Fortaleza (Ce), o projeto surge da necessidade já tão evidenciada da circulação de espetáculos artísticos, como forma de disseminar manifestações culturais entre diferentes públicos. Quando essa circulação se dá através da interação entre dois países da América Latina, destaca-se a importância da afirmação e da diversidade cultural dentro de um continente tão apartado pelo culto desenfreado por fórmulas norte-americanas ou europeias.

Investindo nesse intercâmbio cultural, a iniciativa fomenta e oferece visibilidade à produção local dos dois países envolvidos, fortalecendo os processos colaborativos de criação nacional e internacional e gerando troca de conhecimentos e práticas entre artista e públicos.

Por uma semana em cada cidade, o projeto prevê a apresentação de trabalhos de artistas brasileiros na cidade de Santiago, no Chile, e de artistas chilenos na cidade de Fortaleza, no Brasil. Programações que enfocam cinco linguagens artísticas: exposições de Artes Visuais, espetáculos de Teatro, espetáculos de Dança, Mostras de Cinema e sessões de Música. Além dos espetáculos, as programações oferecem residências artísticas e oficinas que estimulam a interação entre artistas locais e convidados e resultam também na formação de plateia.

Além de apresentar seus trabalhos, os grupos artísticos participantes serão envolvidos em diversas atividades no contexto cultural local, como visitas a espaços culturais, debates e encontros com realizadores, inaugurando relações para potenciais desdobramentos.


Programação

Artistas Brasileiros:

Artes Plásticas: Milena Travassos (CE), com a exposição Sala de Jejum
Cinema: Alexandre Veras (CE), como curador da Mostra Brasil - Corpo Imagem
Dança: Cia. Dita (CE), com o espetáculo De-Vir
Música: Di Freitas (CE), com o recital musical Rabecas e Cabaças
Música: Grupo Feito em Casa (CE), com o show musical Tempo de Amor
Teatro: Cia. do Meu Tio (BA), com o espetáculo O Sapato do Meu Tio

Artistas Chilenos:

Artes Plásticas: Brisa MP e Yto Aranda, com a instalação interativa Umbraltech
Cinema: Álvaro de la Barra, como curadora da Mostra Chile
Dança: Cía. de Papel, com o espetáculo Pies Pa' Volar
Música: DJ Paula Wapsas, com Chile in up live
Teatro: Tryo Teatro Banda, com o espetáculo Pedro de Valdívia - La Gesta Inconclusa http://aguarras.com.br/2010/04/21/pedro-de-valdivia-la-gesta-inconclusa/
Teatro: Oscar Zimmermann, com o espetáculo Viaje
Teatro: Cia. Teatro La Carcajada, com o espetáculo Chejoviando

terça-feira, 13 de julho de 2010

Grupo Grande Palco


De quarta a sexta-feira, sobe ao palco da 9ª Mostra de Teatro de Montes Claros o grupo Grande Palco, que apresenta espetáculo "Esquetes 2: Respeitável público", que tem o público como homenageado. Dividido em 7 cenas cômicas, o espetáculo é apresentado em sessões às 19h e 21h, no auditório Cândido Canela do Centro Cultural Hermes de Paula. Os ingressos custam R$ 5,00.

Confira a sinopse das esquetes:

Adão e Eva
O anjo Gabriel tenta ensinar de uma forma diferente esse casal inexperiente a fazer sexo.

Roma Antiga
Dois romanos gays que tem preconceito contra heterossexuais e mulheres, mostram sua revolta diante de um casal apaixonado.

Pantomima
É um teatro gestual. Conta a história de um casal de namorados nos anos 20 que arruma muita confusão ao marcar um encontro. O figurino e iluminação são todos montados pra passar a idéia de um filme mudo.

Meu cabelo caiu
Uma novela de rádio sobre uma cantora que está em guerra com seu colega de trabalho por causa de uma tampinha premiada. Dois atores encenam a peça e outros dois dublam os mesmos.

No avião
O desespero de uma aeromoça que suspeita de qualquer passageiro depois do acidente de 11 de setembro.

Brigas
Um casal entra em crise por nunca ter motivos pra brigar.

Complexidade feminina
Um marido paciente que tenta compreender as crises e complexidades da esposa.

Teatro para todos


Durante trinta dias, 9ª Mostra de Teatro reúne
espetáculos em todos os estilos e para todas as idades


Espetáculos para todos os gostos e para todas as idades, com duas sessões diárias. Esta é a programação da 9ª Mostra de Teatro de Montes Claros, que acontece até o próximo dia 1º de agosto, no Teatro Cândido Canela, do Centro Cultural Hermes de Paula.

Realizado pela Associação dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão (AARTED), a Mostra reúne 12 espetáculos apresentados por 11 grupos de teatro mineiros, sendo oito de Montes Claros, um de Belo Horizonte, um de Bocaiuva e um de Rio Pardo de Minas.

Além das peças, a Mostra também traz oficinas de teatro e sessões de cinema, em parceria com o projeto Cine Cultura Montes Claros.

Willian Ferreira, presidente da AARTED, explica que, neste ano, o período de realização da Mostra foi estendido. “Até o ano passado, o período da Mostra era de duas semana, mas, devido ao grande número de grupos inscritos, estendemos o circuito por trinta dias, de 02 de julho a 1º de agosto”, justifica. Segundo Willian, a grande adesão dos grupos se dá, principalmente, pela possibilidade de interação com outros artistas e pela divulgação, já que a Mostra atrai um grande público.

Apesar da motivação, Willian lamenta que os grupos da Unimontes e do Conservatório Lorenzo Fernandez não participem da Mostra. “Nas primeiras edições as duas instituições também participavam, mas acabaram desistindo, com o tempo. No ano passado, alguns alunos de teatro da Unimontes voltaram a participar, e, neste ano, o grupo Fibra, da diretora Terezinha Lygia, que também é professora da unimontes, está participando. Mas o ideal seria contar com a participação efetiva de todos os grupos, o que certamente, fortaleceria não só a Mostra, mas, principalmente, a categoria”, observa, ressaltando que a falta de organização e união dos grupos deixa a categoria sem forças para reivindicar apoio do poder público e acesso a patrocínio da iniciativa privada.

A vice-diretora e coordenadora do Departamento Cultural do Conservatório Estadual Lorenzo Fernandez (CELF), Sandra Soares, explica que a instituição não participa da Mostra porque não tem curso de teatro. “Por não ter o curso, o CELF também não possui um grupo de teatro que possa representar a instituição. O que temos são atividades teatrais, mas a participação dos alunos é rotativa o que inviabiliza a montagem de uma peça, principalmente para a Mostra que trabalha com grupos de alto nível”, esclarece.

Incentivo


A nova geração de atores é a grande atração da Mostra. Entusiasmados, Kiko Ferreira, Mayara, Ingrid e Gabriel, do grupo Grande Palco não veem a hora de subir ao palco. “Esta é a segunda vez que participamos do circuito e, nesta edição, vamos render homenagem ao público com uma série de esquetes”, comemora Mayara.

Mesmo entusiasmado com a peça, Kiko Ferreira lamenta a falta de recursos para ajudar na produção. "Figurinos, cenário, tudo isso custa caro e é preciso muito desprendimento para conseguir finalizar um espetáculo. Também precisamos investir em divulgação para atrair o público, que é o alvo de nosso trabalho. Infelizmente, temos muita dificuldade em conseguir recurso. Somando a tudo isso, a falta de um espaço estruturado para teatro esfria o interesse do público o que dificulta tudo ainda mais”, argumenta.


Para realização da Mostra, de acordo com Willian Ferreira, a Secretaria Municipal de Cultura financiou o material gráfico (ingressos, folders e cartazes) além de disponibilizar o espaço, equipamento de som e iluminação e equipe técnica. “Conseguimos aprovar a Mostra pela Lei de Incentivo à Cultura, mas não conseguimos fazer a captação a tempo”, lamenta.


O secretário municipal de Cultura, Ildeu Braúna explica que, com o choque de gestão da prefeitura, não foi possível disponibilizar recurso em espécie para a realização da Mostra, por isso a Secretaria disponibilizou a infra-estrutura necessária. “A efetivação do Fundo Municipal de Cultura veio exatamente para custear este tipo de iniciativa. Estamos trabalhando para lançar, no próximo mês, o primeiro edital, o que irá viabilizar o acesso do artista ao recurso, de acordo com o projeto apresentado e aprovado”, observa.

Espetáculos

A mostra acontece até o dia 1º de agosto e os espetáculos são encenados de segunda a sábado, sempre às 19h e 21h e, aos domingos, às 10h, 18h e 20h. Os ingressos custam R$ 5 (preço único). As sessões de cinema têm entrada franca.

9a Mostra de Teatro de Montes Claros

Confira a Programação:



03 e 04/07
Espetáculo infantil “O Pequeno Príncipe” - Grupo Katapalmas

05 /07
Filme “Sete Minutos”, de Antônio Fagundes

06 e 07/07
“O jogo da vida, a grande final” - Grupo Arte

08 e 09/07
“O mistério dos vampiros” - Grupo Encena

10 e 11/07
“A solidão das horas” - Grupo Artecena

12/07
Filme “Bacantes, de Eurípedes” - produção do grupo Oficina, de São Paulo

13/07
“Alice, quem és tu?” - Grupo Faminta, de Belo Horizonte. O espetáculo será encenado às 20h, em frente ao Centro Cultural Hermes de Paula.

14/07
“Alice, quem és tu?” - Grupo Faminta, de Belo Horizonte. O espetáculo será encenado às 19h30h, na Praça do Bairro Maracanã. O grupo belorizontino também ministrará, gratuitamente, duas oficinas de teatro, nos dias 13 e 14, no centro cultural Arte e Ofício, à Avenida Deputado Esteves Rodrigues, 20.

14, 15 e 16/07
“Esquetes 2 – Respeitável Público” - Grupo Grande Palco

17 e 18/07
“O canto do galo” - Grupo Próximo do Real

17 e 18/07
“Vem ver o boi” - Grupo Fibra (no espaço Teatro Fibra, à Rua Sebastião Dias Soares, 75, Bairro Alto São João)

19/07
Filme Cat’s , famoso musical da Broadway

22 e 23/07
“Devagar para não matar” - grupo Oficinato

24 e 25/07
“Galo, Galinho e Galão, já tenho um esporão” - Grupo Artecena

26/07
Última sessão de cinema apresenta “Hermanoteu na terra de Godah”, produção da companhia de comédia Os Melhores do Mundo.

27 e 28/07
“Sonhos de papel” - Grupo Face a Face
“Fulana, Sicrana e Beltrana” - Grupo Artecena

29 e 30/07
“Sai de Cima” - Grupo Culturart

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Cerrado em debate

Rede Cerrado elege Conselho

A Rede Cerrado, articulação que congrega mais de 300 instituições da sociedade civil organizada que atuam na promoção do desenvolvimento sustentável e na conservação do Cerrado realizou eleição do Conselho Consultivo, Coordenação Geral, Tesoureiro e Secretaria Executiva.

Durante os dias 6 e 7, Brasília-DF foi palco de debates, discussões, análise dos processos, dificuldades e avanços da articulação. O Conselho Consultivo tem 15 entidades, já a coordenação geral tem cinco.



Braulino Caetano dos Santos, do Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas (CAA/NM) foi eleito Coordenador Geral. A Mobilização dos Povos Indígenas do Cerrado (Mopic) vice-coordenador; o Instituto Sociedade População e Natureza (ISPN) secretaria executiva; A Fundação Pró-Natura (Funatura) Tesouraria.

Chico Mendes do Sertão

Braulino, conhecido como Chico Mendes do Sertão, é pela segunda vez consecutiva eleito para representação dos povos do cerrado na diretoria da Rede. Neto de índios e quilombolas teve seis irmãos e perdeu o pai aos quatro anos. Todos nasceram num rancho de sapé. Um dos irmãos foi embora aos 19 anos para o Mato Grosso e nunca mais foi localizado.



Ao longo de sua vida traz na bagagem, muita historia de luta. Dos sete aos 32 anos viveu numa fazenda com sua mãe depois da perda do pai, que faleceu por falta de atendimento quando acometido de doença de chagas. Época onde foi escravizado. Trabalhava e nunca recebeu pelos serviços prestados. Nesse período, encontrou sua esposa. Casou-se com uma professora que lecionava na região de Montes Claros.

Por volta de 1988, ele foi convidado a participar da criação do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Montes Claros. “No começo, fiquei preocupado, pois nunca estudei. Sempre tive que trabalhar para sustentar a mim e minha família. Aceitei o convite e fui eleito secretário. Eu desenhava as atas e chegava a nossa casa, minha esposa escrevia. Depois da experiência de dentro do Sindicato, fui além. Assumi as articulações fora de Montes Claros. Ia a Brasilia-DF sempre em movimentos sociais. Conheci Chico Mendes, Manoel da Conceição e várias personalidades do Brasil", finaliza.

Depois de muita experiência e de conhecimento do que acontecia no Pais, Braulino diz que se revoltou com os processos políticos. Mas foi alertado que com violência nada seria resolvido. Foi então, que ele decidiu JURAR BANDEIRA para defender sua pátria e seu povo.

O agricultor familiar e extrativista faz parte de vários conselhos nacionais, dentre eles a Comissão Nacional dos Povos e Comunidades Tradicionais onde representa os povos do cerrado. Contribui para a implantação de vários conselhos e articulações.

Santos diz que suas bandeiras principais, a partir de agora, são a criação de uma faculdade de agroecologia no Norte de Minas e a efetiva instalação do Solar dos Sertões. “O casarão será transformado num espaço de promoção da cultura dos povos e comunidades tradicionais”, finaliza.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Espetáculo musical


O grupo instrumental Enny Parejo, grupo do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez, Montes Claros/MG, se apresenta no dia 09 de julho, às 19h30, no Auditório Marina Lorenzo Fernândez.

O grupo fará uma homenagem à doutora em Educação e também madrinha do grupo, Enny Parejo, que na ocasião estará na cidade ministrando para professores, alunos do conservatório e demais interessados com algum conhecimento de leitura musical o Curso “Introdução à prática instrumental Orff”.

Sob a coordenação dos professores Patrícia Ferreira e Wellington Ferreira, o instrumental é o resultado do trabalho das aulas de Prática de Conjunto da educação musical do conservatório, que visa o aprimoramento dos alunos tocando em conjunto instrumentos variados.

Grupo Instrumental “Enny Parejo”

O nome Enny Parejo é uma homenagem dos integrantes do grupo à educadora, forte referência no cenário da educação musical do nosso país, que, em 2006, ministrou o curso de capacitação na área de Percepção no CELF.

O grupo  é formado por alunos de diferentes cursos do ensino fundamental do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez. Suas atividades iniciaram-se em setembro de 2007, como ampliação do trabalho desenvolvido pela disciplina Prática de Conjunto, sob a direção musical dos professores Patrícia Ferreira e Wellington Ferreira.

O grupo tem como principal característica a prática instrumental Orff, baseada nas idéias do compositor e pedagogo musical Carll Orff, cuja pedagogia musical é inspirada na idéia central da música ao alcance de todos, desenvolvida em todas as turmas de alunos da disciplina Prática de Conjunto deste estabelecimento de ensino.