sábado, 28 de agosto de 2010

Expresso Sertão IV

30 Anos de Fibra no Teatro com o espetáculo
Brincando de Brincar

O grupo de Teatro Fibra inicia uma nova temporada do espetáculo “Brincando de Brincar”, peça que marca a trajetória de 30 anos de atividades artísticas do Grupo.

O espetáculo será apresentado na 4ª edição do projeto Expresso Sertão, que percorre cidades norte-mineiras com apresentações em praças públicas, levando a população ao exercício de cidadania e promovendo o aceso a atividades culturais.

Além dos espetáculos, o Expresso Sertão também realiza oficinas de percussão, coordenadas pelo músico Róps Malungo, com participação gratuita de jovens e adolescentes dos municípios contemplados.

A primeira cidade a receber da caravana cultural será Joaquim Felício, no próximo dia 04 de setembro e o encerramento do roteiro será em Montes Claros, com uma exposição de todo o acervo acumulado pelo grupo Fibra ao longo dos 30 anos de carreira.

Com pesquisa, concepção, direção e coordenação geral de Terezinha Lígia, o evento tem como objetivo continuar proporcionando atividades culturais e oficinas de qualificação para a população do interior mineiro.

“É uma forma de dar oportunidade a todos de participar e conhecer um projeto cultural diferenciado que permite a capacitação na área artística e a possibilidade de assistirem a um espetáculo de qualidade e profissionalismo comprovados nos 30 anos de fibra no teatro”, destaca Terezinha Lígia.

A 4ª edição do projeto Expresso Sertão é aprovada pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais e patrocinada pela V & M do Brasil.

Brincando de Brincar

O Espetáculo cênico-musical reúne cantos regionais de domínio público resultante de pesquisa e de conhecimentos transmitidos pelos mais velhos. Na versão III, a pesquisa se estende e alcança o rico potencial do Vale do Jequitinhonha e se encontra em cartaz desde 2001.

O espetáculo é apresentado em quadros: ora interpretados, ora coreografados, com passos legítimos de danças populares brasileiras. A concepção cênica do espetáculo passa pelas linhas; circo, comédia dellárte e farsa.

“Esperamos com a realização deste projeto, provocar uma efervescência cultural que possa não só revitalizar as artes cênicas, através dos espetáculos, oficinas e exposição da trajetória histórica do Grupo Fibra, mas propiciar à comunidade montes-clarense e também norte-mineira, a oportunidade de fruição de espetáculos teatrais de qualidade, sensibilizando crianças e jovens quanto à importância dos valores culturais.”, finalizou Terezinha Lígia.

sábado, 21 de agosto de 2010

Encontro de Ternos de Congado



Após o cortejo da manhã deste sábado, os ternos recebem os grupos de congado visitantes que vêm participar do Encontro de Ternos de Congado de Minas Gerais, realizado, em Montes Claros, desde 1991. Os grupos se reúnem, fazem visitas às famílias da comunidade que pedem oração, e, no final da tarde de domingo, voltam a desfilar pelas ruas.

Nesse dia, é realizada a procissão de encerramento, com participação de todos os ternos de Montes Claros e visitantes, que colocam suas vestimentas bem lavadas, dançam e cantam ao som dos tambores em homenagem aos santos devotos. Após a celebração da última missa na igrejinha do Rosário, reis, rainhas e imperadores são coroados; são escolhidos os mordomos da próxima festa; os mastros são descerrados e os devotos reiteram a promessa de voltar no ano seguinte para cumprir nova missão.

Jeito peculiar
As Festas de Agosto são uma tradição em várias cidades do País, mas, segundo Mestre Zanza , em Montes Claros, acontecem de forma muito peculiar. “Aqui a festa reúne pessoas de todas as classes sociais, e todos querem ser festeiros. Tem mais setenta anos que participo da festa e na agenda tem nome de pessoas que querem ser os patronos para os próximos quarenta anos, no mínimo”, observa o catopê.

Mesmo com a saúde fragilizada, Mestre Zanza conduz os cortejos durante os cinco dias de festa e diz estar preparado para continuar seu trabalho até quando Deus lhe permitir.



“Essa promessa foi feita pelos meus antepassados e vou cumprir enquanto Deus me der vida e saúde”, afirma Mestre Zanza, que no dia 16 de agosto comemorou 77 anos de idade.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Festas de Agosto / Festival Folclórico

32º Festival Folclórico de Montes Claros reúne grande público

Paralelamente à programação religiosa, o 32º Festival Folclórico de Montes Claros reúne um grande público, na avenida Coronel Prates, que assistiu a shows musicais, apresentação de grupos folclóricos, além de apreciar comidas, bebidas e artesanato em vários estilos, vendidos nas barraquinhas montadas em local estratégico, tendo como centro a Igrejinha do Rosário.

Os shows no palco principal do Festival ficam por conta de Carlos Soyer, Sérgio Andrade, Faminguê, Saulo Laranjeira, Jackson Antunes, Décio marques, Tino Gomes, Fio da navalha, Prego de Linha, Beth Antunes e Arnaldo Freitas.

Na arena 1, serão realizadas a Noite dos Seresteiros, Noite da Música Norte Mineira e Festival de Aboio e Viola, além da apresentação de grupos de canto e danças tradicionais de várias cidades norte mineiras.

A Arena 2 reúne grupos de danças folclóricas de Montes Claros, que apresentam as mais diversas manifestações culturais, desde os cantos e danças inspirados na cultura autóctone dos povos africanos, passando pelas manifestações afro-mineiras, até a música contemporânea que permeia o gosto popular da juventude urbana.

O Festival também promove oficinas de musicalização, lutheria, cerâmica e construção de forno e contação de história.

14º Encontro Cultura Popular e Educação
A agenda plural do Festival Folclórico também inclui o Encontro Cultura Popular e Educação, realizado há 14 anos e que conta com a participação de educadores e representantes de diversos segmentos sociais. A edição deste ano tem como tema “justiça social, educação e cultura: inclusão, diversidade e igualdade”.

O encontro acontece nesta quinta-feira, 19/08, no Núcleo de Estudos da Cultura Negra (NECUN), com palestras e debate sobre o tema.


As Festas de Agosto de Montes Claros, por suas especificidades, são únicas, diferentes de todas as festas de congado realizadas em Minas Gerais e no Brasil. Com o a realização do Festival Folclórico, que, de modo singular, compartilha com os congadeiros do mesmo tempo e espaço para realizar os festejos, a tendência é que se torne cada vez mais específica, unifique ainda mais todas as classes, crenças e credos, e se consolide como a festa de representação da identidade do povo montesclarense.

32º Festival Folclórico

Paralelamente à programação religiosa das Festas de Agosto, o 32º Festival Folclórico de Montes Claros reúne um grande público, na avenida Coronel Prates, que assistiu a shows musicais, apresentação de grupos folclóricos, além de apreciar comidas, bebidas e artesanato em vários estilos, vendidos nas barraquinhas montadas em local estratégico, tendo como centro a Igrejinha do Rosário.

Os shows no palco principal do Festival ficam por conta de Carlos Soyer, Sérgio Andrade, Faminguê, Saulo Laranjeira, Jackson Antunes, Décio marques, Tino Gomes, Fio da navalha, Prego de Linha, Beth Antunes e Arnaldo Freitas.

Na arena 1, serão realizadas a Noite dos Seresteiros, Noite da Música Norte Mineira e Festival de Aboio e Viola, além da apresentação de grupos de canto e danças tradicionais de várias cidades norte mineiras.

A Arena 2 reúne grupos de danças folclóricas de Montes Claros, que apresentam as mais diversas manifestações culturais, desde os cantos e danças inspirados na cultura autóctone dos povos africanos, passando pelas manifestações afro-mineiras, até a música contemporânea que permeia o gosto popular da juventude urbana.

O Festival também promove oficinas de musicalização, lutheria, cerâmica e construção de forno e contação de história.



14º Encontro Cultura Popular e Educação
A agenda plural do Festival Folclórico também inclui o Encontro Cultura Popular e Educação, realizado há 14 anos e que conta com a participação de educadores e representantes de diversos segmentos sociais. A edição deste ano tem como tema “justiça social, educação e cultura: inclusão, diversidade e igualdade”.

O encontro acontece nesta quinta-feira, 19/08, no Núcleo de Estudos da Cultura Negra (NECUN), com palestras e debate sobre o tema.

As Festas de Agosto de Montes Claros, por suas especificidades, são únicas, diferentes de todas as festas de congado realizadas em Minas Gerais e no Brasil. Com o a realização do Festival Folclórico, que, de modo singular, compartilha com os congadeiros do mesmo tempo e espaço para realizar os festejos, a tendência é que se torne cada vez mais específica, unifique ainda mais todas as classes, crenças e credos, e se consolide como a festa de representação da identidade do povo montesclarense.

Festas de Agosto 2010 - Programação Religiosa

Cortejos de ternos de congado desfilam sua alegria e fé pelas ruas da cidade

As Festas de Agosto, que acontecem até o próximo domingo, em Montes Claros, vão deixar o centro da cidade mais vivo e mais alegre, com as cores, sons, cantos e danças dos ternos de Catopês, Marujos e Caboclinhos, que saem em cortejo sacralizando as ruas, nas manhãs e noites dos cinco dias de festa.

Nas manhãs de quinta-feira, sexta-feira e de sábado, os ternos de congado saem do Automóvel Clube de Montes Claros, na Praça Dr. João Alves, percorrem as principais ruas do centro da cidade até chegarem à igrejinha do Rosário, onde é celebrada missa.

O reinado desfila sob um pálio, uma espécie de manto ou capa, precedido por príncipes e princesas representando a corte. A banda de música do 10º Batalhão da Polícia Militar completa o cortejo alternando dobrados com o canto dos dançantes. A cada dia, após o ritual, os mordomos oferecem almoço aos participantes de seus respectivos grupos. Na hora da refeição os catopês cantam: Viva o rei, viva a rainha, vamos comer arroz com galinha.

Um questionamento recorrente durante a festa é o porquê de os congadeiros demorarem tanto tempo para percorrer o trajeto do cortejo, da Praça Dr. João Alves até a Igrejinha do Rosário, na Avenida Coronel Prates.

Mestre Zanza explica que a proposta do cortejo é purificar os espaços para a passagem dos reis, rainhas e imperador. Segundo o Mestre, é necessário retirar das ruas as energias ruins e o cortejo faz uma limpeza energética. Como a cidade continua sua rotina, com o ir e vir de pessoas e carros, se uma rua for purificada e alguém passar - a pé, de carro, de moto, até mesmo um cachorro -, antes que o reinado passe pelo espaço, o ritual é quebrado e tem que ser refeito.

Isso explica o motivo da demora. O ideal seria que, diante do cortejo, as pessoas esperem na calçada até que este se complete, para, então, atravessar a rua.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Festas de Agosto 2010

Montes Claros vive um tempo sagrado

Quarta-feira, 18 de agosto de 2010. Pelas ruas de Montes Claros, catopês, marujos e caboclinhos cantam a própria fé.

Popularmente conhecida como Festa dos Catopês, as Festas de Agosto remontam a própria história de Montes Claros pois acontecem desde que essa ainda era uma fazenda, no início do século XVII. Cada vez mais presente na vida do povo montesclarense e norte-mineiro, a festa se tornou a maior expressão cultural da região e é tema de estudo para as escolas e academias, que buscam pelo entendimento dos significados de seus símbolos e rituais.

Na noite desta quarta-feira, primeiro dia da festa, os ternos de Catopês se reúnem na sede da Associação dos Ternos de Catopês, Marujos e Caboclinhos de Montes Claros, no bairro Morrinhos, de onde saem em cortejo até a Igrejinha do Rosário, no centro da cidade, onde é erguido mastro com bandeira em homenagem a Nossa Senhora do Rosário.

Participante da festa há mais 70 anos e com 76 anos de idade, completados no dia 16 agosto, o coordenador da festa e presidente da Associação, mestre João Pimenta dos Santos – Mestre Zanza -, acompanhado de seus familiares e dos Catopês, devotos de Nossa Senhora e do Divino Espírito Santo, ergue a bandeira em homenagem à rainha da festa.
Entre cantos e vivório, enquanto o mastro é erguido, os devotos saúdam os catopês ausentes (todos os Catopês que já morreram) e os presentes (os vivos e os mortos que ainda não saíram deste mundo).

Tradicionalmente, neste dia, os Catopês não usam seus trajes de festa. Segundo Mestre Zanza, é necessário um rito de passagem, que faça a conexão entre os três planos para que o eixo do mundo se concretize e sacralize o tempo festivo.

A partir desse ritual, reis, rainhas, imperador e imperatriz reinam durante cinco dias em Montes Claros, protegidos pelos respectivos santos padroeiros.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Prêmio Culturas Populares 2009

Lavadeiras de Almenara recebem prêmio do MinC

O Coral das Lavadeiras de Almenara foi um dos grupos escolhidos pelo Ministério da Cultura para receber o Prêmio Culturas Populares 2009 - Edição Mestra Dona Isabel. O concurso visa reconhecer e premiar a atuação de Mestres e Grupos/Comunidades responsáveis por iniciativas exemplares que envolvam as expressões das culturas populares brasileiras.

A Secretaria da Identidade e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura publicou no Diário Oficial da União do dia 04 de agosto, Seção 3, a 2ª lista dos selecionados no Concurso, que contempla 192 inscrições, sendo 88 de grupos informais e formais e 104 mestres, com recursos de R$ 1.920.000,00. Constam da mesma publicação mais 12 premiados que substituirão 12 selecionados que não atenderam ao 1º ato convocatório.

O Prêmio Culturas Populares 2009, que homenageia a artesã ceramista do Vale do Jequitinhonha Dona Izabel Mendes da Cunha, teve 2.789 iniciativas inscritas. A fase de premiação da 1ª lista já foi concluída, com a transferência para cada um dos premiados da quantia de R$ 10.000,00, totalizado o montante de R$1.820.000, 00. As candidaturas foram selecionadas por uma comissão composta por 32 membros, entre artistas e pesquisadores, além de técnicos do Sistema MinC, que esteve reunida entre os dias 1º a e 5 de dezembro de 2009, em Brasília.

Dois prêmios para Almenara
Na primeira lista dos selecionados o MinC já havia premiado Dona Maria do Bode, uma admirável mestra de folia que há mais de cinqüenta anos desfila com o Grupo Senhor Santos Reis pelas ruas da cidade.

Para o cantor e compositor Carlos Farias, coordenador do coral e também responsável pela inscrição das lavadeiras no edital, "o prêmio é um reconhecimento público da importância artística e cultural do trabalho desenvolvido pelos nossos artistas populares. A cidade de Almenara e o Vale do Jequitinhonha podem se orgulhar das suas expressões artísticas. Espero que isso resulte em mais apoio local e regional para todos eles”, conclui.

A lista completa dos selecionados pode ser consultada no seguinte endereço:

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Projeto Estações Musicais

Espetáculo propõe uma viagem pelo mundo do teatro musical

A Unimontes apresenta, no dia 18 de agosto, o concerto Uma Noite na Broadway, uma viagem pelo mundo do teatro musical.

Realizado dentro do projeto Estações Musicais, sob a coordenação da professora e pianista Talitha Peres, o espetáculo mostra a obra de compositores do porte do George Gershwin, Richard Rodgers, Andrew Lloyd Webber dentre outros grandes nomes, apresentando trechos dos consagrados “Mamma Mia”, “Jesus Christ Superstar”, “Funny Girl” e “West Side Store”.

No repertório, clássicos dos musicais como “People”, “Somewhere”, “Don’t Cry for Me Argentina”, “Bewitched”, dentre outras canções que se eternizaram nas vozes de Barbra Streisand, Frank Sinatra e outros grandes cantores, e que permanecerão para sempre no coração e na memória do público de todo o mundo.

O espetáculo conta, ainda, com a participação do “Madrigal Estações Musicais” e de vários solistas – cantores e instrumentistas -, todos eles professores e alunos da Unimontes e do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez.

A apresentação será no dia 18 de Agosto de 2010 no Auditório do Espaço OAB Eventos (Rua Walter Ferreira Barreto, nº 154 – Ibituruna, Montes Claros) às 19h30, com entrada franca.

Elenco Musical

Instrumental Estações Musicais
Talitha Peres – piano
Pablo Barata – contrabaixo
Marco Neves – bateria
Raissa Anastásia – flauta transversa

Solistas
Christiane Franco – mezzo-soprano
Patrícia Peres – mezzo-soprano
Roberto Mont’Sá – barítono
Aparecida Soares – soprano
Maria Odília Quadros – soprano
Fagner Cardoso – tenor
Késia Patrícia de Souza – soprano
Ana Luiza Gomes – soprano
André Rabelo – barítono
Mel Callado – soprano
Mariane Ribeiro – soprano
Edna Gomes – mezzo-soprano

Madrigal Estações Musicais
Ana Luiza Gomes – soprano
Aparecida Soares – soprano
Késia Patrícia de Souza – soprano
Mariane Ribeiro – soprano
Maria Odília Quadros – soprano
Mel Callado – soprano
Christiane Franco – contralto
Edna Gomes – contralto
Patrícia Peres – contralto
Fagner Cardoso – tenor
Rodrigo Mourão – tenor
Ananias Neto – baixo
André Rabelo – baixo
Fábio Carvalho – baixo
Roberto Mont’Sá – baixo
Preparação vocal e Regência: Fábio Carvalho

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Lorenzo Fernandez

Conservatório abre inscrições para diversos cursos
No período de 04 a 31 de agosto de 2010, o Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez, de Montes Claros, recebe inscrições para seu Levantamento de Aptidão - ano 2011.

As inscrições podem ser feitas de 07h às 21h, na secretaria da escola (Avenida João Chaves, n 438 - São Luiz - Montes Claros/MG), sendo que no último dia o atendimento será de 07h às 18h (impreterivelmente).

Os interessados podem se inscrever nos seguintes cursos: Canto, Decoração, Instrumento (Bateria, Clarinete, Flauta Doce, Flauta Transversa, Piano, Saxofone, Teclado, Trompete, Violão, Violino, Violoncelo) e Musicalização.

Mais detalhes poderão ser obtidos pelo telefone (38) 212-3333 ou pelo edital no site: http://www.lorenzofernandez.com.br/.