quarta-feira, 15 de junho de 2016

Festival de Tiradentes

5°FESTIVAL DE BLUES & JAZZ EM TIRADENTES

Consagrado evento reúne artistas nacionais e internacionais na cidade histórica



A charmosa cidade de Tiradentes irá receber, entre os dias 23 e 25 de junho, o 5º Festival de Blues & Jazz reunindo os amantes dos gêneros musicais em torno de oito bandas, com entrada gratuita. Realizado desde 2012, o evento se tornou um sucesso com a mistura dos dois ritmos e vem atraindo cada vez mais público: a expectativa para essa edição é que 9 mil pessoas prestigiem o Festival, que será realizado pela primeira vez no Santíssimo Resort.

Os shows acontecem na Tenda Bar, espaço que conta com estrutura ampla, coberta, com praça de alimentação e bebidas para receber com mais conforto e segurança o público do festival. Além de manter a aclamada mistura de jazz e blues a organização do evento aposta também em atrações que foram sucesso nas edições anteriores, como o artista Mark Lambert, que volta aos palcos do festival pelo quinto ano consecutivo.

Para Milton Furtado, diretor da Production Eventos e um dos organizadores do Festival, o evento já se consolidou como um dos principais do gênero. “O Festival de Blues & Jazz é aguardado com ansiedade pelo público que marca presença durante os três dias do evento. A cada ano o formato vem se consolidando e atraindo mais público, principalmente pelo clima histórico e aconchegante que Tiradentes proporciona os visitantes”, conta.

O festival começa às 19h30 no dia 23, quinta-feira, com apresentações de Alexandre da Mata & The Black Dogs, Affonsinho e Radio Blues. Na sexta-feira, dia 24, às 18h, é a vez do público curtir a apresentação de The Yer Blues Band, Igor Prado Band e Jackie Scott. Para fechar a programação, no sábado, começando às 12h30, sobem ao palco Pro-Music Blues Band, Big Joe Manfra e Mark Lambert & Trio.

O Festival de Blues & Jazz é apresentado por X11 Expert Riders, organizado pela Production Eventos, produzido pelo Grupo Berg e realizado pelo Ministério da Cultura com o incentivo da Secretaria Estadual de Cultura. E tem como patrocinador a Honda, com o co-patrocínio da Pirelli, Zoom Moto Center, Cervejaria Backer, BH Harley-Davidson, Kawasaki, Triumph BH, Indian Motorcycle BH, Urban Helmets e Mobil Super Moto. O evento conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Tiradentes, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar.

PROGRAMAÇÃO

Data: 23/06 – Quinta-feira
Local: Santíssimo Resort
19h30 – Alexandre da Mata & The Black Dogs
21h30 – Affonsinho e Radio Blues

Data: 24/06 – Sexta-feira
Local: Santíssimo Resort
18h00 – The Yer Blues Band
19h30 – Igor Prado Band
22h00 – Jackie Scott

Data: 25/06 – Sábado
Local: Santíssimo Resort
12h30 às 15h – Pro-Music Blues Band
19h00 – Big Joe Manfra 
22h00 – Mark Lambert & Trio

ATRAÇÕES DO FESTIVAL

Mark Lambert &Trio - Comandado pelo guitarrista Mark Lambert tem seu foco no Swing Jazz da década de 30, mas passeiam pelo funk de James Brown e pelo R&B de Ray Charles. O repertório do show inclui sucessos como “Let the Good Times Roll” (Ray Charles), “Caldonia” (Louis Jordan) e “Jump, Jive an’ Wail” (Louis Prima). Além das melhores músicas dançantes do RB, Soul & Funk, como “Sex Machine”(James Brown) e “Dance To The Music” (Sly & the Family Stone) e também um pouco de Banda Black Rio. Popularizado nos anos após a Segunda Guerra Mundial por Louis Jordan, Ray Charles e Louis Prima, o gênero junta a espontaneidade do Jazz improvisado com os ritmos dançantes de R&B.

Affonsinho - Cantor, compositor, instrumentista e produtor, Affonsinho foi um dos fundadores do grupo carioca Hanoi Hanoi. É autor de “Gentil Loucura”, primeiro sucesso do Skank. Estudou na famosa Berklee College of Music (EUA) e é considerado um dos melhores guitarristas de blues e rock do Brasil. Foi eleito o melhor instrumentista do Festbelô 2000 e agraciado com o Troféu ProMúsica, na categoria de melhor cantor. Antes desse novo disco de blues, o músico já havia lançado dez discos autorais no Brasil e Japão (Dubas e NRT) e outros dois de releituras. Emplacou diversas canções em várias FMs do país e foi gravado por dezenas de artistas, como Sandra de Sá, Fernanda Takai, Verônica Ferriani, Samuel Rosa, Celso Fonseca, Alexia Bomtempo, Vander Lee, Marina Machado, entre outros.

Big Joe Manfra – Com 20 anos de estrada, dois CDs solo (Big Joe Manfra e Big Joe Manfra 2) e o CD “Blues Etc” (com o gaitista Jefferson Gonçalves), o músico se consolidou como um dos principais artistas do meio blues no país. Para comemorar uma década de carreira, o guitarrista e cantor Big Joe Manfra gravou o DVD “Big Band Ao Vivo”, registro do encontro de grandes instrumentistas e intérpretes do blues, além de ser o primeiro DVD de um intérprete brasileiro de blues. Ao longo de sua carreira Big Joe Manfra procurou uma sonoridade que tivesse sua marca pessoal. A frente dos vocais a partir do segundo CD, buscou não se restringir ao blues tradicional, aliando a energia de seu lado rock e a influência do jazz em seus arranjos ao estilo nascido no Mississipi.

Igor Prado Band – O músico Igor Prado começa a se interessar pela guitarra aos 11 anos e logo se apaixonou pela linguagem do blues, com 16 anos já tocava em bares e festivais com liminar da justiça por causa da pouca idade. Desenvolveu um estilo um pouco diferente de tocar, pois autodidata e canhoto aprendeu virando uma guitarra de destro de cabeça para baixo, Igor é um canhoto que toca com as cordas invertidas do instrumento. Aprofundou-se na linguagem do Blues tradicional e West Coast Swing, estilo que mistura o blues com elementos do Swing, famoso movimento de jazz dançante dos anos quarenta. A Igor Prado Band é formada por seu irmão Yuri Prado na bateria, Rodrigo Mantovani no contrabaixo elétrico e acústico e Denílson Martins no Saxofone Barítono. Em 2016 foram indicados ao Blues Music Awards, o “Oscar” do Blues Americano na categoria “Best New Artist Album”, um feito histórico, se tornando o único artista não-americano indicado na renomada premiação.

The Yer Blues Band - A Yer Blues é uma banda formada em 1997 dedicada à memória dos mestres do blues. Carrega a marca forte de BB King, Muddy Watters, Albert King, Robert Johnson, Buddy Guy. Seu repertório contempla também o que há de melhor do rhythm and blues como Eric Clapton, Stevie Ray Vaughan, Jonh Mayall, Peter Green, entre outros, além de composições próprias. A Yer Blues traz um som consistente e se compromete com uma viagem no tempo e no espaço, fazendo uma ponte entre o passado e o presente, entre Belo Horizonte e o blues do Mississipi, Texas e Chicago, trazendo na alma de seus músicos toda a intensidade do gênero.


quinta-feira, 9 de junho de 2016

Teatro: Espetáculo e Oficina



Palco Giratório em Montes Claros

A Cia. Pão Doce de Teatro apresenta o espetáculo Casatória C’a Defunta

 



Neste sábado (11), tem apresentação do espetáculo Casatória C’a Defunta, da Cia. Pão Doce de Teatro, de Mossoró(RN), na Praça da Catedral, em Montes Claros.  O espetáculo será às 19h e é gratuito e aberto ao público.

A Casatória C’a Defunta conta de modo lúdico e divertido as peripécias de quem já partiu desta vida para uma melhor e dos que ainda respiram por esses ares. Cinco atores em ‘pés-de-banco’ levam a magia para as ruas a partir da história do medroso Afrânio, que está prestes a casar-se com a romântica Maria Flor, mas acidentalmente casa-se com a fantasmagórica Moça de Branco, que o conduz para o submundo.

Lá, o jovem fará valorosos amigos e aprenderá uma grande lição, porém está disposto a não desistir do seu amor verdadeiro, mesmo que isso lhe custe a própria vida. O espetáculo tem direção, cenário e figurino de Marcos Leonardo de Paula e texto e música originais de Romero Oliveira.

OFICINA
O grupo também vai ministrar oficina de Musicalização para atores e não-atores, no domingo (12), de 10h às 17h, no Sesc em Montes Claros (Rua Viúva Francisco Ribeiro, 200, Centro).

A oficina, ministrada por Romero Oliveira e Mônica Danuta, tem como objetivo iniciar o participante no universo da música, como complemento para o fazer teatral, propondo o desenvolvimento da prática musical a partir de exercícios contribuintes para a cena a partir da ludicidade.

Música Minas


Programa viabiliza residências musicais em seis municípios

Ao menos um artista irá ficar duas semanas em cada uma das cidades, debruçando-se sobre processos de formação musical, aperfeiçoamento de técnicas e experimentação

 

Lançamento do programa Territórios de invenção - Residências Musicais
(foto: Osvaldo Afonso/Imprensa MG)

A Secretaria de Estado de Cultura (SEC), por meio do programa Música Minas, e a Fundação de Educação Artística (FEA), viabilizam o projeto ‘Territórios de Invenção – Residências Musicais’, que irá percorrer seis cidades mineiras durante cinco meses – entre julho e novembro.

Diamantina, Pouso Alegre, Montes Claros, Uberlândia, Ouro Preto e Belo Horizonte são os municípios mineiros escolhidos para abrigar as residências artísticas, ministradas por artistas de relevância.

Ao menos um artista irá ficar duas semanas em cada uma das cidades envolvidas, debruçando-se sobre processos de formação musical, aperfeiçoamento de técnicas e experimentação. O diálogo com a Secretaria de Estado de Educação (SEE) será constante, por isso os Conservatórios de Música do Estado serão envolvidos.

O secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo, destaca o potencial da iniciativa. “Este é, sem dúvida, um dos programas mais interessantes da Secretaria de Cultura. É contemporâneo e inovador. Nós incentivamos e aprimoramos a formação de músicos, musicistas e compositores, difundindo a música nas diversas regiões do estado. É muito estimulante que a Fundação de Educação Artística seja a entidade a implementar esse projeto tão importante”.

Para Angelo Oswaldo, a expectativa para o êxito do projeto encontra razões na vocação do estado. “Minas Gerais é extremamente musical. As cidades selecionadas para receber as residências dispõem de conservatórios, orquestras ou cursos superiores de música, ou seja, toda uma estrutura que vem ser incrementada com esse programa”.

O público interessado em participar do ‘Territórios de Invenção’ poderá fazer a pré-inscrição pelo site www.residenciasmusicais.com.br, no período determinado para cada cidade. As residências são gratuitas. Na maioria dos casos, é necessário possuir conhecimento musical prévio para se candidatar às vagas.

Apenas em Ouro Preto as vagas serão destinadas a interessados na área de forma geral, e não necessariamente a estudantes e professores de música. A coordenação do projeto vai avaliar o currículo e a carta de intenções dos candidatos para confirmar a inscrição de cada um.

A diretora executiva da Fundação de Educação Artística, Berenice Menegale, justifica a seleção da instituição no edital para a gestão do projeto.  “A FEA já faz residência artística, mas sem adotar esse termo, desde a década de 1960, com os chamados Festivais de Inverno de Ouro Preto. Desde então a Fundação tem trabalhado frequentemente com esse formato de trabalho”.

Cada uma das cidades selecionadas irá receber residências com temas diferentes, em diálogo com a cena local. Com experiência na recuperação de acervos musicais em Diamantina, a professora, pesquisadora e flautista Odette Ernest Dias está à frente do tema “Os Sons da Cidade”, juntamente do compositor Marcelo Chiaretti.

Na capital, a residência fica a cargo do pesquisador, diretor musical e regente Roberto Victorio, que irá trabalhar o tema “O tripé composição, pesquisa e regência”. Também ministram as residências musicais os artistas Kristoff Silva, o grupo Serelepe, os compositores Sérgio Rodrigo e Rafael Macedo e Ione de Medeiros (Grupo Oficcina Multimedia).

CRONOGRAMA E OS ARTISTAS RESPONSÁVEIS

Diamantina - Sons da cidade

11 a 22 de julho – Odette Ernest Dias e Marcelo Chiaretti, no Conservatório Estadual de Música Lobo de Mesquita – 40 vagas. Pré-inscrições: 13 a 24 de junho

Pouso Alegre - Re-verbo: ressonâncias do encontro entre música e palavra

11 a 22 de julho – Kristoff Silva, no Conservatório Estadual de Música Juscelino Kubitscheck de Oliveira – 30 vagas. Pré-inscrições: 13 a 24 de junho

Montes Claros - Canções e brincadeiras musicais

1º a 12 de agosto – Grupo Serelepe, no Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernandez – 30 vagas. Pré-inscrições: 20 de junho a 1º de julho

Uberlândia - Ouvidos em movimento: criação e performances musicais coletivas

15 a 26 de agosto – Rafael Macedo e Sérgio Rodrigo, na Oficina Cultural de Uberlândia – 30 vagas. Pré-inscrições: 18 de julho a 3 de agosto

Ouro Preto - Rítmica no espaço cênico

5 a 16 de setembro – Ione de Medeiros e Grupo Oficcina Multimédia, no Departamento de Música da UFOP – 30 vagas. Pré-inscrições: 8 a 19 de agosto

Belo Horizonte - O tripé: composição, pesquisa e regência

31 de outubro a 11 de novembro – Roberto Victorio, na Fundação de Educação Artística – 30 vagas. Pré-inscrições: 3 a 14 de outubro