domingo, 29 de maio de 2016

III Festival de Inverno

Festival da Canção Lago de Irapé recebe inscrições 


Festival da Canção 2015 / Arquivo
Estão abertas até o dia 17 de junho as inscrições para o Festival da Canção Circuito Lago de Irapé, que será realizado em julho, na cidade de Grão Mogol (Norte de Minas). Inserido na programação do III Festival de Inverno, o evento é uma iniciativa é da Prefeitura de Grão Mogol, por intermédio da Secretaria Municipal de Cultura e da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), com o apoio do Governo de Minas Gerais.

A Pró-Reitoria de Extensão e a Coordenadoria de Extensão Cultural da Unimontes são responsáveis pela realização dos festivais. Após o período de inscrições, conforme o edital, a comissão julgadora classificará 14 músicas para apresentações no dia 22 de julho. Os sete finalistas voltarão ao palco no dia seguinte. O festival oferece uma premiação de R$15.000,00 para os cinco melhores colocados – e ainda melhor intérprete.

O Festival da Canção tem como tema: “O Lago Canta sua Música e Conta sua História”. As 14 músicas classificadas serão registradas em CD. A pré-seleção será entre os dias 20 e 30 de junho. Conforme o regulamento, as composições devem associar seus temas ao Circuito Turístico Lago de Irapé, regiões do Vale do Jequitinhonha e do Norte de Minas e suas cidades – tais como história, costumes, religiosidade, belezas naturais, personalidades e cultura.

INSCRIÇÕES
Os interessados devem se inscrever na sede da Pró-Reitoria de Extensão (segundo andar, prédio 5/Reitoria), campus-sede, em Montes Claros. A taxa de inscrição é de R$ 30,00 por música. Conforme o coordenador do Festival da Canção, professor Igor Coimbra, os músicos poderão se apresentar individualmente, em dupla ou em grupo.

A premiação será distribuída da seguinte forma: Melhor Música – 1º lugar (R$ 5 mil), 2º lugar (R$ 4 mil), 3º lugar (R$ 3 mil), 4º lugar (R$ 1,5 mil) e 5º lugar (R$ 1 mil). Também haverá a premiação “Melhor Intérprete”, com a entrega do Troféu “Lago de Irapé” e R$ 500,00 em dinheiro.

SERVIÇO
III Festival de Inverno – Festival da Canção
Inscrições: até 17 de junho
Local: Pró-Reitoria de Extensão/Unimontes (prédio 5), campus-sede em Montes Claros
Mais informações: (38) 3229-8160
Facebook: Festival de Inverno – Circuito Lago de Irapé/2016

Bonecos do Mundo


 Tradicional e contemporâneo se encontram nos palcos do SESI

 Festival acontece de 7 a 12 de junho e traz espetáculos de sete países e sete estados brasileiros. Apresentações acontecem no Cine Theatro Brasil e na Praça da Estação

Um festival grandioso com a participação de companhias de sete países. Uma grande estrutura de produção, com direito a cenografia, som e iluminação normalmente reservados para shows musicais. 

Tudo isso aliado a uma curadoria que busca resgatar, ao mesmo tempo, o que há de mais tradicional e o mais contemporâneo no teatro de bonecos. Assim pode ser definido o Sesi Bonecos do Mundo, que chega a Belo Horizonte, no dia 7 de junho, trazendo na bagagem espetáculos dos Estados Unidos, Cuba, Hungria, Espanha, Itália, Japão, e Brasil. 

Girovago & Rondela - Mão Viva
Entre os brasileiros, estarão em cena companhias do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Brasília, Pernambuco e Rio Grande do Norte. O projeto é patrocinado pelo SESI, com acesso gratuito.

Os espetáculos acontecerão em dois locais: no Cine Theatro Brasil (de 7 a 9 de junho) e ao ar livre, na Praça da Estação, no final de semana (sábado, 11; e domingo 12 de junho). Para as apresentações no teatro, o público precisará retirar os ingressos na bilheteria, a partir das 12h, no mesmo dia da apresentação. 

Serão entregues dois ingressos por pessoa. O festival também traz uma exposição em homenagem ao Teatro de Bonecos Popular do Nordeste, que foi elevado a Patrimônio Cultural do Brasil, no ano passado. Haverá ainda performances ao ar livre, cenografia interativa, mostra fotográfica, feirinha temática. 

Intercâmbio de linguagens com teatro, música, literatura, fotografia, artesanato, audiovisual, além do espetáculo “Alice Live”, do grupo Giramundo, com a banda Pato Fu ao vivo, para fechar as apresentações do sábado. Como fomento artístico, haverá também oficinas para profissionais, ministradas por artistas renomados do Brasil e do exterior.

Giramundo e Pato Fu - Alice Live
De acordo com Lina Rosa Vieira, curadora do festival, a proposta do Sesi Bonecos do Mundo é também quebrar estereótipos que gravitam em torno do teatro de bonecos. “O boneco não é só para criança, nem está segmentado apenas nas manifestações folclóricas. 

É uma expressão artística que tanto pode ter espetáculo com quatro toneladas de equipamentos quanto pode ser feito no próprio corpo do artista." Observa Lina. Na edição deste ano, haverá uma justa homenagem ao Teatro Popular de Bonecos do Nordeste que, no ano passado, tornou-se patrimônio cultural brasileiro. “Ao mesmo tempo, que celebramos o imenso valor do Mamulengo, buscamos o diálogo com outras linguagens, como é o caso do espetáculo Alice Live, que tem manipulação de bonecos gigantes e pequenos, passando por todas as técnicas, dialogando com projeções audiovisuais, ao som da banda Pato Fu, ao vivo, por trás das marionetes”, exemplifica.

COMPANHIAS
O festival começa com as apresentações no Cine Theatro Brasil. A abertura ficará por conta da companhia americana The Hubber Marionettes, com o espetáculo “Animação Suspensa”. No segundo dia, é a vez dos japoneses do Kakashiza, com o espetáculo “Sombras de Mão”. A última apresentação no teatro será da companhia espanhola LaSal, que traz ”O Grande Traje”.

Mosaico Cultural - Corsários Inversos
Já na Praça da Estação, durante o final de semana, várias atrações se revezam nos três palcos do festival. Também haverá performances entre o público e na Praça dos Mamulengos.   

No total, serão mais de 40 apresentações de grupos internacionais e nacionais: Girovago & Rondella (Itália), Teatro de Las Estaciones (Cuba), Búho & Maravillas (Espanha), Mikropodium (Hungria), The Huber Marionettes (Estados Unidos), LaSal (Espanha) e  Kakashiza (Japão). 

Os brasileiros estarão representados pelo Giramundo (MG), mestres mamulengueiros (DF, RN e PE), Mosaico Cultural (RS), Truks (SP), Sobrevento (SP), Pia Fraus (SP) e Contadores de Estórias (RJ). Além do Giramundo, Minas também estará presente com o grupo Casa Volante.

Esta é a terceira vez que o Sesi Bonecos vem a Belo Horizonte. A primeira, em 2006, foi vista por cerca de 60 mil pessoas. Voltou em 2009, com um público estimado em 41 mil. Ao longo de suas 11 edições, o festival percorreu todas as capitais brasileiras e o Distrito Federal. 

Desde 2004, o projeto propõe abrir espaços cada vez maiores para o Teatro de Bonecos. Livres do condicionamento das pequenas salas, marionetes das mais tradicionais às mais contemporâneas de 17 países, sendo aplaudidas por mais 2,1 milhões de pessoas.

OUTRAS INFORMAÇÕES:
Aponte Comunicação – (81) 3127.1999
Partners – (31) 3029.6864
 

Delícias Lusitanas


Com pratos típicos, vinhos e atrações culturais, Festa Portuguesa reunirá cerca de 12 mil pessoas, na Praça Marília de Dirceu


Os portugueses descobriram o Brasil há 516 anos. Agora, é a vez dos brasileiros desvendarem um pouquinho mais da cultura lusitana. Bacalhau, vinhos, fado, artesanato e doces de Portugal poderão ser apreciados no sábado, dia 18 de junho, na capital mineira. Promovida pela Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil – Minas Gerais, a sexta edição da Festa Portuguesa contará com a apresentação de grupo de folclore, artesanatos, danças, músicas típicas, apreciação de vinhos e pratos portugueses.

A festa já caiu no gosto do belo-horizontino, que uma vez por ano troca o tradicional pão de queijo pelos deliciosos pasteis de nata. A praça Marília de Dirceu, no bairro Lourdes, que ganhou esse nome em homenagem à obra máxima do aclamado poeta português, Tomás Antônio Gonzaga – será tomada por sete restaurantes que serão responsáveis pelos quitutes lusitanos. São eles: Taberna Baltazar, Restaurante do Porto, Thiago Lima e Renato Lobato por Pif Paf, Armazém Medeiros, Caravela, Doces de Portugal e Nômade Bar. Neste ano, o espaço para o evento será maior, pois ocupará os trechos: da rua Marília de Dirceu até a avenida do Contorno e da rua Felipe dos Santos entre as ruas Curitiba e Santa Catarina.

O evento tem o patrocínio do Banco Mercantil do Brasil, Audi Center Carbel, Pif Paf Alimentos, Lei Municipal de Incentivo à Cultura, Sabseg Corretora de Seguros, além do apoio do Hospital na Residência, e da ONG Força do Bem, que fará a coleta dos alimentos doados. A festa também conta com a parceria do Consulado de Portugal em Belo Horizonte, do Centro da Comunidade Luso Brasileira, do Elos Clube e da Associação dos Moradores de Lourdes (Amalou).

CONCURSO GASTRONÔMICO
Nesta edição haverá um concurso de pratos típicos da região do Alentejo. A cozinha tradicional alentejana tem como base os ingredientes: porco, borrego, pão, azeite e uma infinidade de temperos. Os restaurantes participantes (Taberna Baltazar, Restaurante do Porto, Thiago Lima e Renato Lobato por Pif Paf, Armazém Medeiros e Caravela) terão que apresentar uma receita de prato típico da região do Alentejo.

Durante o concurso, os  jurados degustarão os pratos e escolherão o vencedor. Fidelidade à região, ingredientes utilizados, técnicas, apresentação e sabor, serão os critérios utilizados para avaliação. O restaurante vencedor receberá como prêmio uma placa que ficará exposta no seu estabelecimento. O concurso acontecerá no decorrer da festa e a premiação será no encerramento, às 22h. Porém, durante todo o evento as pessoas interessadas poderão se deleitar com os pratos típicos.

CURIOSIDADES DA CULINÁRIA
Para os amantes de um bom vinho, durante toda a festa, o tradicional Vinho Verde Português será servido nas barracas. O Vinho Verde é um vinho naturalmente leve e fresco, produzido na Região Demarcada dos Vinhos Verdes, no noroeste de Portugal. Com baixo teor alcoólico, e, portanto menos calórico, o Vinho Verde é uma bebida frutada, fácil de degustar e ótima como aperitivo ou para harmonizar com refeições leves e equilibradas.

O público poderá ainda degustar o tradicional Pastel de Nata, mais conhecido como Pastel de Belém por ter sua origem no tradicional bairro de Belém, em Lisboa. O veterano doce Português é um pastel assado no forno, em fôrmas de empada, tendo massa folhada no fundo e lados. O recheio é feito de gemas e nata (creme de leite), um pouco de farinha de trigo e casca ralada de limão.

Não poderia faltar o tradicional bacalhau. O famoso ingrediente da culinária lusitana será servido de diversas formas e por vários restaurantes durante a festa. O bacalhau possui um estatuto único na cozinha portuguesa, pois é ao mesmo tempo um alimento muito frequente no seu receituário e um símbolo da própria identidade nacional.

SERVIÇO
Dia: 18 de junho
Horário: das 12h às 22h
Local: Praça Marília de Dirceu (Lourdes)
Entrada: gratuita
Informações: (31) 3213-1557
Estimativa de público: entre 10 e 12 mil pessoas

PROGRAMAÇÃO
12h – Abertura oficial – (execução dos hinos de Portugal e do Brasil pela Banda da Polícia Militar de Minas Gerais)

12h30 – Apresentação do Coral Luis de Camões

13h às 14h – Ato Poético - Poesia portuguesa (O polo de Pesquisa em Poesia Portuguesa Moderna da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais convida para um encontro com a poesia portuguesa)

14h30 – Apresentação do músico português Carlos Almeida (músicas populares portuguesas, fados e outras novidades do universo musical português)

16h – Apresentação do Grupo Folclórico Gil Vicente (do Centro da Comunidade Luso Brasileira de BH, com suas músicas e danças folclóricas portuguesas)

17h – Transmissão do jogo Portugal X Áustria (Eurocopa 2016)

18h – Apresentação do grupo de Chorinho Isto é Nosso (execução de melodias clássicas de Pixinguinha, Ernesto Nazareth, Jacob do Bandolim e outros mestres)

20h30 – João Pires apresenta o espetáculo Coladera (Coladera é um ritmo popular caboverdiano originada de ritmos como o fado português e o lundum angolano. Também foi influenciado pelo samba, a ruma e a cumbia)

21h45 – Entrega do Prêmio Melhor Prato Alentejano da Festa Portuguesa 2016

22h – Encerramento

sábado, 28 de maio de 2016

Fundo Estadual de Cultura

Governo de Minas Gerais lança edital com investimento recorde


Repleto de novidades e com valor total de R$ 11,5 milhões, FEC abre editais específicos para Pontos de Cultura e comunidades tradicionais. Inscrições começam no dia 20 de junho


A Secretaria de Estado de Cultura lança o edital do Fundo Estadual de Cultura 2016, atendendo a uma das demandas mais requisitadas do setor. Neste ano, o FEC bate um recorde de investimentos em projetos, totalizando o valor de R$ 11,5 milhões.

As inscrições têm início em 20 de junho e acontecem até 20 de julho de 2016. A pré-inscrição online estará disponível no site da SEC a partir do dia 20 de junho.

A presente edição do FEC vem recheada de aprimoramentos. Para melhor distribuição de recursos, o edital foi dividido em três frentes com intuito de especificar proponentes dos projetos, melhorando a distribuição e a transparência no repasse dos recursos: Direito Público Municipal; Pontos de Cultura; Organizações da Sociedade Civil.

Outra novidade é a categoria destinada às comunidades tradicionais de Minas Gerais, com R$ 2,5 milhões de investimento.

Mais uma melhoria é o incremento promovido por emendas parlamentares, que totalizaram R$ 5 milhões. Além disso, R$ 2,17 milhões são oriundos de valores que voltaram ao Tesouro Estadual provenientes de multas e devoluções de recursos de projetos culturais durante o ano de 2015, algo também inédito.

O secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo, afirma que os editais do Fundo são os instrumentos de maior eficiência para a democratização do acesso aos recursos públicos destinados ao fomento da atividade cultural. “Nossa gestão considera o FEC como uma prioridade na estratégia de levantamento de recursos financeiros para o incremento da cultura”, diz. 

Para o superintendente de Fomento e Incentivo à Cultura, Felipe Amado, o FEC vem sendo robustecido como forma de resposta aos anseios dos cidadãos. “O principal desafio foi absorver as demandas apresentadas pela sociedade civil. Ao contemplar os Pontos de Cultura, ressalta-se a importância da Lei Cultura Viva e seus desdobramentos. O destaque a projetos de culturas populares e tradicionais reforça o atendimento a outra demanda efervescente na defesa da diversidade cultural”, ressalta Amado.

As alterações pretendem capilarizar os investimentos para entidades culturais espalhadas por todos os 17 territórios de desenvolvimento do estado, uma marca do Governo Fernando Pimentel, além de garantir a equidade nos estímulos da SEC ao contemplar projetos que encontram maior dificuldade de inserção no mercado.

DISTRIBUIÇÃO DOS RECURSOS DO FEC
O edital de 2016 foi subdividido em três frentes. A primeira delas destina-se a contemplar as Organizações da Sociedade Civil, no valor total de R$ 6,6 milhões. Tal edital será dividido em duas categorias:

1) projetos que promovam as culturas populares e tradicionais, no valor unitário de até R$ 25 mil, totalizando R$ 2,5 milhões e envolvendo cerca de 100 propostas;

2) projetos de médio porte realizados pelas organizações da sociedade civil, com valor unitário de até R$ 100 mil, somando R$ 4,1 milhões.

O segundo edital é destinado aos Pontos e Pontões de Cultura, que são grupos, coletivos e entidades de natureza ou finalidade cultural que desenvolvem atividades em suas comunidades, reconhecidos, certificados ou fomentados pelo Governo Federal por meio dos instrumentos da Política Nacional de Cultura Viva.

A iniciativa visa atender a cerca de 60 Pontos de Cultura, com valor unitário de até R$ 40 mil, totalizando R$ 2,4 milhões.

Por último, o edital voltado para instituições de Direito Público Municipal irá contemplar as mais diversas atividades artístico-culturais, em projetos de até R$ 100 mil. Cada prefeitura poderá apresentar somente uma proposta, e o valor total deste edital é de R$ 2,5 milhões.

Estima-se que serão contempladas entre 25 e 50 instituições de Direito Público Municipal.

Inscrições
As inscrições acontecem a partir do dia 20 de junho e se estendem até 20 de julho. Nos 30 dias anteriores o edital e seus formulários ficam disponíveis via internet para consultas.

As inscrições presenciais podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, no Protocolo Geral da Cidade Administrativa de Minas Gerais – Ed. Gerais – 1º andar; ou de segunda a sexta-feira, de 7h às 17h, ou sábado, de 8h às 12h, na Unidade de Atendimento Integrado – UAI Praça Sete.

CAPACITAÇÕES 
A SEC irá promover oficina gratuita de capacitação de entidades culturais interessadas em participar dos editais 2016 do FEC. Em parceria com a Fundação TV Minas, haverá transmissão simultânea, via streaming, para que proponentes possam interagir pelas redes sociais e apresentar possíveis dúvidas.

HISTÓRICO
O FEC promove a distribuição de recursos por meio de financiamento e apoio a propostas que tradicionalmente encontram dificuldade em captar recursos no mercado. O repasse de verba do FEC, ao contrário da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, é direto, sem necessidade de captação junto a empresas.

Criado em 2006, o edital completa uma década de existência. Desde o início, já ultrapassou a marca dos R$ 55,5 milhões, que atenderam a mais de 1.000 projetos culturais. Nesta edição chega ao seu ápice, com valor de R$ 11,5 milhões, que irá incentivar até 300 propostas.


SERVIÇO
Lançamento do Fundo Estadual de Cultura
Período de inscrições: 20 de junho a 20 de julho
Informações: cultura.mg.gov.br ou (31) 3915-2655