quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros

IHGMC dá posse a novos membros

"Com muita honra, passarei a integrar o IHGMC como sócia efetiva"
Na próxima terça-feira, 27/12, o Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros dá posse ao seu novo presidente, o escritor Itamaury Teles e aos novos sócios efetivos e correspondentes. A solenidade de posse será realizada às 20 horas, no salão nobre da AABB, e coincide com as comemorações do aniversário dos cinco anos do IHGMC, dia 27/12.

Durante a solenidade será lançado o volume VIII da Revista do Instituto. Os novos sócios efetivos são os jornalistas Jerúsia Xavier Arruda e Délio Pinheiro Neto, Aderbal Esteves, Ajax Amaral Tolentino, Cel. Antônio Moreira Neto, Edwirges Teixeira de Freitas, Expedito Veloso Barbosa, Jussara Veloso Ferreira Antunes Maria Ângela Figueiredo Braga e Maria das Dores Antunes Câmara.

Os sócios correspondentes que tomarão posse são os jornalistas Cynthia Bernes (Belo Horizonte), Cláudia Correia Costa Carvalho (Luz/MG), Genoveva Ruisdias (Belo Horizonte), Adriano Souto (Belo Horizonte) e Alberto Sena Batista (Belo Horizonte); José Walter Pires (Belo Horizonte); Leonardo Álvares da Silva Campos (Belo Horizonte), Hermano Baggio Filho (Pirapora/MG) e Dêniston Fernandes Diamantino (Januária/MG).

Fundado há cinco, o IHGMC tem como finalidade pesquisar, interpretar e divulgar fatos históricos, geográficos, etnográficos, arqueológicos, genealógicos e suas ciências e técnicas auxiliares, e fomentar a cultura, a defesa e a conservação do patrimônio histórico, artístico e cultural do município de Montes Claros e região Norte de Minas.

SERVIÇO
Solenidade de Posse do IHGMC
Data: 27 de dezembro de 2011
Horário: 20h30
Local: AABB Montes Claros

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Ballet

Studio Jaqueline Pereira comemora 25 anos de dança com o Festival 25 verões


Branca de Neve

O Studio Jaqueline Pereira comemora, em 2011, seus 25 anos de existência. Para celebrar a data, a coreógrafa e bailairina apresenta, nos dias 15 e 16 de dezembro, às 20 horas, no Centro Cultural Hermes de Paula, o Festival 25 Verões, com fragmentos e lembranças dos melhores espetáculos infantis realizados nesta trajetória. No palco, os bailarinos apresentarão trechos dos espetáculos Branca de Neve, Peter Pan e Maria Julieta.

Fundado em 1986, o Studio Jaqueline Pereira trabalha dança clássica e moderna com adultos e crianças. Realiza anualmente espetáculos clássicos infantis coreografados pela educadora, bailarina e coreógrafa Jaqueline Pereira, assim como espetáculos contemporâneos com a participação de outros coreógrafos.

Seu trabalho artístico dialoga com a cultura, religiões e inquietações existenciais. A coreógrafa é reconhecida por produções que abrangem outras linguagens artísticas como a poesia, literatura, música e artes plásticas. De formação clássica, Jaqueline Pereira pode se reservar à liberdade de optar pelos caminhos da dança contemporânea que melhor expressem o furor imaginativo que sempre caracterizou sua obra. Em seus trabalhos, a linguagem contemporânea expressa sentimentos, ideias e impressões da realidade que possuem história e um substrato afetivo capaz de tocar o íntimo das pessoas.

Zé Romeu e Maria Julieta
O Studio Jaqueline Pereira se sobressaiu nos trabalhos “Reencontro”, “A Espera”, “Êxtase” e “40º no Verão de 50”. Também são espetáculos de destaque “Nós Vistos em Chopin”, com participação do pianista Flávio Augusto; “Vôo das Garças, adaptado da obra do músico Zé Côco do Riachão; “Fecha a porta Maria que o boi evém”, inspirado na obra da poeta Adélia Prado, “Canto Sagrado”, que trata da fé e religiosidade do sertanejo mineiro e, mais recentemente, “Pessoa”, espetáculo intimista inspirado em personagens da literatura, em filmes e em situações rotineiras do cotidiano.

Serviço
Festival 25 Verões
Studio Jaqueline Pereira
Dias: 15 e 16 de dezembro de 2011 – quinta e sexta-feira
Horário: 20 horas
Local: Centro Cultural Hermes de Paula
Ingressos: R$ 10,00


Oportunidade para artistas

Termina nesta sexta-feira, 16, prazo para inscrição no Programa BNB de Cultura 2012

Termina nesta sexta-feira, 16, o prazo para inscrições de projetos no Programa Banco do Nordeste de Cultura - Edição 2012 - Parceria BNDES. O Programa é uma linha de patrocínio direto do Banco do Nordeste, com a parceria do BNDES, com dotação orçamentária de R$ 8 milhões, para apoio à produção e difusão da cultura do Nordeste e Norte de Minas Gerais e do Espírito Santo (área de atuação do Banco do Nordeste), mediante seleção pública de projetos.

Os projetos serão selecionados nas seguintes áreas: música (com dotação de R$ 1,5 milhão), literatura (R$ 1,0 milhão), artes cênicas (R$ 1,25 milhão), dança (R$ 500 mil), artes visuais (R$ 1,0 milhão), audiovisual (R$ 1,0 milhão); patrimônio (R$ 500 mil) e artes integradas ou não-específicas (R$ 1,25 milhão).

Serão contemplados pelo menos 303 projetos - sendo, no mínimo, 59 de música, 38 de literatura, 55 de artes cênicas, 18 de dança, 44 de artes visuais, 22 de audiovisual, 18 de patrimônio e 49 de artes integradas ou não-específicas.

O edital contendo o regulamento do Programa e os respectivos formulários eletrônicos para inscrição de projetos, bem como as instruções para preenchimento e o modelo de relatório para prestação de contas, estão disponíveis no portal do Banco do Nordeste (www.bnb.gov.br).

Inscrição e habilitação de projetos

O período de inscrição dos projetos iniciou no último dia 1º de novembro e prossegue até 16 de dezembro deste ano, mediante entrega de seis vias de formulário de inscrição impresso, devidamente preenchido com letra legível, digitado ou datilografado, assinado por responsável pelo projeto, e acompanhado de seis cópias de cada anexo indicado no formulário. O formulário de inscrição e todas as informações necessárias aos proponentes estão disponíveis no Portal do Banco do Nordeste (www.bnb.gov.br).

A entrega dos projetos deverá ser feita nos seguintes locais: projetos oriundos do Ceará, nos Centros Culturais Banco do Nordeste-Fortaleza e Cariri (em Juazeiro do Norte); projetos originários dos demais Estados situados na área de atuação do Banco do Nordeste (Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Bahia, Alagoas, Sergipe, Norte de Minas Gerais e do Espírito Santo, nas sedes das superintendências estaduais do Banco do Nordeste); na Paraíba, as propostas também poderão ser entregues no Centro Cultural Banco do Nordeste-Sousa; por sua vez, os projetos de Estados localizados fora da área de atuação do Banco do Nordeste deverão ser enviados para o Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza.

De segunda a sexta-feira, no período de 10 às 16 horas, a entrega dos projetos deverá ser feita nesses locais, ou então pelo correio, com remessa para esses mesmos locais, como correspondência registrada com Aviso de Recebimento - AR (considerada a data de postagem), em envelope devidamente identificado.

No período de 02 a 13 de janeiro de 2012, todos os projetos inscritos passarão por uma análise técnica, objetivando a habilitação para a fase de seleção. Serão considerados desabilitados os projetos que apresentarem inconsistências e não atenderem às exigências previstas no edital.

Para a seleção dos projetos culturais, serão considerados sete critérios: qualidade técnica e/ou artística; atendimento aos interesses da comunidade e/ou desenvolvimento de ações que promovam a acessibilidade e a formação de plateias; ações e investimentos dos recursos financeiros voltados prioritariamente para municípios da área de atuação do Banco do Nordeste (região Nordeste, norte de Minas Gerais, Vale do Mucuri, Vale do Jequitinhonha e norte do Espírito Santo), menos providos de atividades culturais; formação ou aperfeiçoamento profissional; visibilidade físico-financeira e condições de sustentabilidade; ineditismo da proposta; e potencialidade de consolidação da imagem do Banco do Nordeste e do BNDES junto à sociedade.

Os projetos serão analisados por comissão julgadora formada por 40 avaliadores representantes de todos os Estados onde o Banco do Nordeste atua. Serão formadas oito comissões avaliadoras, uma para cada área do Edital (música, literatura, artes cênicas, dança, artes visuais, audiovisual, patrimônio e artes integradas ou não-específicas). Cada comissão terá cinco avaliadores externos, representantes de Estados diferentes.

Última chamada para o Conexão Vivo

PEC da música é aprovada e a música brasileira vive momento histórico

Cantores fazem show na Câmara e defendem isenção para CDs de artistas brasileiros


Banda cantou 'Que país é esse?' em acesso para comissões da Câmara
Artistas de todo o país, entre eles as cantoras Fafá de Belém e Sandra de Sá, estiveram na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (13) para pressionar pela aprovação da chamada "PEC da Música", que isenta de impostos a produção de CDs e DVDs com obras de artistas brasileiros. No salão que dá acesso aos corredores das comissões, uma banda nacional cantou a música "Que país é esse?", de Renato Russo.

A Proposta de Emenda à Constituição, prevista para ser votada em 2º turno nesta terça, prevê imunidade de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e do Imposto sobre Pordutos Industrializados (IPI) às produções musicais brasileiras em todo o pais. A isenção não inclui a etapa de replicação, que é quando as obras gravadas são copiadas para o suporte físico.
 

A cantora Fafá de Belém afirmou que, se o projeto for aprovado, fará de graça um show de agradecimento na Esplanada dos Ministérios. "Todos nós, uns 20 artistas, faremos um show para agradecer o povo brasileiro", contou. Para a artista, a PEC da Música vai incentivar novos talentos da música brasileira.
 

"Essa é a hora de dar ao artista a possibilidade de mostrar seu trabalho em condições decentes. Vai incentivar novos criadores, que poderão fazer o seu primeiro CD, o primeiro DVD", afirmou.
 

Os artistas presentes à Câmara se reuniram com o presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS), e líderes da base e da oposição. "Viemos agradecer a condução da votação anterior e pedir que os deputados confirmem o voto agora no 2º turno", disse. (G1)

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Dia de Gala no Norte de Minas

Matias Cardoso sedia Dia dos Gerais
 


Em sua terceira edição, o município ribeirinho de Matias Cardoso comemora nesta quinta-feira 08/12, o “Dia dos Gerais”, com a entrega das Medalhas Mathias Cardoso & Maria da Cruz - Comenda Civismo e Consciência dos Gerais. O evento que acontece às 10 horas, na praça da Matriz Cônego Marinho, será presidido pelo governador Antonio Augusto Junho Anastasia e o prefeito de Matias Cardoso, João Cordoval de Barros com homenagens a 24 personalidades (homens e mulheres) que de alguma forma fazem parte do Norte de Minas ou que lutam pelo seu desenvolvimento e que se destacaram nas áreas de ação social, agropecuária, cultura, educação, infraestrutura, meio ambiente, saúde e turismo.

Mesmo com a elevação de Matias Cardoso a capital do estado, no dia 8 de dezembro, ainda fica a expectativa de que o município seja reconhecido oficialmente como o mais antigo povoamento de Minas Gerais, além da primeira igreja do Estado, dividindo a condição de primeira cidade mineira entre Mariana e Matias Cardoso.

Durante o “Dia do Governo de Minas nos Gerais”, ocorrido no dia 15 de julho deste ano, no auditório Deputado Aécio Cunha, da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (AMAMS), o governador Antonio Anastasia assinou o decreto criando a Medalha dos Gerais.

DIA DOS GERAIS

As comemorações do Dia dos Gerais fazem referência à lendária figura do bandeirante Mathias Cardoso de Almeida, que, em 1660, se fixou às margens do Rio Verde Grande e, posteriormente, do Rio São Francisco, sendo o fundador do Arraial de Morrinhos, hoje a cidade de Matias Cardoso.
 
Entre os agraciados de 2011, com a Medalha Mathias Cardoso & Maria da Cruz – Comenda Civismo e Consciência dos Gerais estão:

MEDALHA MATHIAS CARDOSO - Afonso Florence – Ministro do Desenvolvimento Agrário; Diniz Pinheiro – Presidente da Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais; Olavo Machado Júnior – Presidente da FIEMG; Gabriel Guimarães – Deputado Federal; João Leite – Deputado Estadual; José Maria Junqueira – Vice-presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais – FIEMG; Olavo Bilac Pinto Neto – Secretário de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana de Minas Gerais; Tiago Ulisses – Deputado Estadual; Thiago Conalgo Cabral Vala – Juiz de Direito de Governador Valadares; Valmir Alexandre – Artista Plástico; Paulo César Mendes Barbosa – Professor da UNIMONTES; Francisco Maia Neto - Advogado

MEDALHA MARIA DA CRUZ – Carla Anastasia (Professora da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG; Elda Aléssio- Artista Plástica; Felicidade Patrocínio – Artista Plástica; Felicidade Tupimambá – Arista Plástica; Marisa de Melo Porto – Juíza de Direito; Maria Coeli Simões Pires – Secretária de Estado de Casa Civil e de Relações Institucionais de Minas Gerais; Maria Jaci de Oliveira Ribeiro - Educadora

Odete Terezinha Costa Maciel – Professora da UNIMONTES; Eliana Parreiras – Secretária de Estado de Cultura de Minas Gerais; Maria José Colares – Grupo Folclórico Banzé; Carmem Lúcia Costa – Coordenador da Pastoral da Criança Montes Claros; Maria do Socorro Pimenta Moura- Empresária.

Concerto de Natal

Orquestra Sinfônica de Montes Claros realiza Auto Natalino
 
Orquestra busca patrocínios para realizar o espetáculo
A Orquestra Sinfônica de Montes Claros (OSMC) realiza no próximo dia 18, às 20h, ginásio do SESC, com entrada franca, o seu já tradicional Concerto de Natal. A apresentação é parte integrante das comemorações pelos 10 anos do aniversário da OSMC e está sendo preparado um espetáculo especial para a cidade de Montes Claros.

A Orquestra contará com a participação do Grupo Lírico Bezzi e mais algumas surpresas. Este ano, o coreógrafo Paulo di Tarso assinará a direção cênica. O diretor e bailarino está na cidade do Rio de Janeiro e deverá trazer materiais para a confecção do cenário e dos figurinos. O Concerto de Natal é aguardado todos os anos, como parte integrante das festas de final de ano e fazem parte do calendário de atividades do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez (CELF).

“Se tudo der certo, se conseguirmos patrocínio suficiente para executar todas as ideias, as famílias montes-clarenses se encantarão com as ‘surpresas’ que estamos preparando. Estamos em busca de empresas que queiram nos ajudar a produzir este espetáculo para a população da cidade. Uma parcela já foi captada, mas ainda falta cerca de 60%. Caso alguma empresa se interesse, pode ligar para o Conservatório Lorenzo Fernândez através do telefone e falar com Cibele Brant, Sandra Borborema, Liliane Queiroz ou comigo”, explica a maestrina Maria Lúcia Avelar, diretora da OSMC. O telefone do CELF para mais informações é o (38) 3221-4466.

Ótica feminina

As memórias dos 50 anos da Unimontes são relembradas em livro produzido pela Academia Feminina de Letras


Com um livro de memórias sobre os fatos marcantes do ensino superior do Norte de Minas, desde o seu surgimento até os dias atuais, a Academia Feminina de Letras de Montes Claros participará das comemorações oficiais pelos 50 anos de criação da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), que serão completados em maio de 2012. A programação alusiva à data terá início em janeiro próximo.

A obra será assinada por quarenta mulheres em sua grande maioria egressas da própria Universidade nas áreas de Artes, História e Letras. Segundo a presidente da entidade, professora Marta Verônica Vasconcelos Leite, a Academia reúne professoras, escritoras e poetisas, todas com atuação profissional nas áreas de educação e cultura.
“A identidade das acadêmicas com a Unimontes é muito forte. Não seria exagero algum dizer que 99% das integrantes de nossa academia foram graduadas ou têm atuação como docentes na Universidade”, explicou a presidente.

A Academia Feminina de Letras de Montes Claros foi fundada em setembro de 2009 e possui 40 cadeiras (4 estão vagas). O processo de produção da obra alusiva ao jubileu de ouro da Universidade Estadual de Montes Claros começou com a publicação de um ofício sobre a homenagem, pelo qual as acadêmicas deverão apresentar suas sugestões para publicação e currículos.

Historias do Velho Chico

Livro de Fernando Mazza retrata as paisagens humanas e naturais ao longo do Rio São Francisco



“Vale do São Francisco – O Caminho do Sertão”, do fotógrafo Fernando Mazza - lançamento da Via das Artes, com patrocínio do Banco Volkswagen, apoio da Namisa – Nacional Minérios S/A e do Ministério da Cultura através da Lei Rouanet – revela um livro de arte resultado de mais de 10 anos de trabalho, cujo objetivo foi registrar, resgatar e divulgar a memória e cultura das populações ribeirinhas do Rio São Francisco.

O projeto mostra diferentes paisagens e o contexto sócio-ambiental com os tipos humanos e modos de vida diferentes, em cada parte do rio. Mostra, também, as transformações que o rio sofre ao longo de seu curso, cujo nascedouro está na Serra da Canastra, Minas Gerais, e sua foz no Oceano Atlântico, entre os estados de Alagoas e Sergipe. Banhando ainda os estados da Bahia e Pernambuco, destacando como a vida dessas populações é diferente de acordo com as características do rio.

Passado por uma criteriosa seleção da documentação fotográfica sobre o povo beiradeiro, como são chamados àqueles que vivem às margens do “Chico”, o livro enfoca os aspectos humanos e culturais, destacando os hábitos, costumes, religiosidade e folclore, apontados pela curadoria da antropóloga Maria Lucia Montes, especialista em cultura popular brasileira. E para concretizar todo o imaginário que este rio tem sobre as pessoas, destaca-se trechos de textos de Guimarães Rosa e o poema musicado de José Carlos Capinan.

SOBRE O AUTOR
Fernando Mazza Aprendeu o gosto pela fotografia com o avó, e desde então seguiu os caminhos da vida sempre com uma câmera na mão. Autodidata, recebeu várias premiações, publicou trabalhos em periódicos e expôs em diversos eventos, mantendo a Exposição Permanente “Vale do São Francisco: o Caminho do Sertão” no Palácio da Diocese da Barra – Barra – BA.

SERVIÇO
Lançamento do livro “Vale do São Francisco – O Caminho do Sertão”, de Fernando Mazza
Dia 13 de dezembro de 2011, terça-feira, às 19h00
Local: Livraria Cultura do Bourbon Shopping São Paulo – Rua Turiassú, 2.100 - São Paulo/SP.

domingo, 4 de dezembro de 2011

21ª Festa Nacional do Pequi

A 21ª Festa Nacional do Pequi será realizada nos dias 09, 10 e 11 de dezembro, em Montes Claros. No primeiro dia da Festa, na Praça Jatobás, haverá a primeira eliminatória do 8º Festival de Música.
Confira as músicas classificadas para o Festival:


1 - CARNE VIVA: BEU VIANA

2- O SAMBA NÃO TEM HORA: VIVIANE NORMANHA

3- SANGUE REAL: CIRO ARAÚJO

4- 1/3 E MEIO: JEFFERSON PALINI

5- NOS BRAÇOS DO VIOLEIRO: MANOELITO E MARCUS PARACATU

6- DE DENTRO PRA FLORA: REINALDO BESSA E JOÃO BATISTA

7- CONVERSANDO COM A NOITE: WALTER LAGES

8- RIO DE HISTORIAS: WALTER DIAS

9 – BRASILEIRA: TANIO CESAR

10- DE REPENTE ROCK AND ROLL: TANOS FERNANDES

11 – NASCENTES: JOSE AMARIO DA SILVA- MARINHO SAN

12- MANHÃ SERENA: DIORGEM FERREIRA JUNIOR

13 – CANTO QUE ESPANTA SOLIDÃO: EDUARDO LEMOS

14 – HUMANOS PASSARINHOS: HELDER CUNHA

15 – DIA PERFEITO: RODRIGO MATOS SOARES

16 – FLOR CIGANA: HEBERTH LINCOLN

17 – VELHOS VICIOS: SOLIMAR ARAUJO E BRUNO DONATO

18 – OUTRO SERTÃO E VEREDAS: BOB MARCILIO

19 – CAMAFEU: DIMAS DEPTULSKI

20 – FILHOS DE ZANZA: JOSE FRANCISCO S. ALMEIDA

21- PALCO DRAMA CASSIO RENY S. ALMEIDA

22- MINAS VALE OURO: CECILIO BELCHIOR ANDRADE

23- NASCER: ALEXANDRE RODRIGUES SOUZA

24 – CERRADO SERRADO: CESAR PRATES MACEDO


MÚSICAS SUPLENTES

PRA QUE?: HELCIO A SILVA

ROSA DOS VENTOS: TIAGO WANDERLEY SANTOS

CANÇÃO DAS MANHÃS: MARCUS PARACATU

MINAS É DE MINAS: CRISTIAN FARLEY

A TEMPO: LUCIANO FERREIRA

Rede Fora do Eixo

Congresso que discute as novas possibilidades da cultura


Entre os dias 11 e 18 de dezembro, integrantes do coletivo cultural Retomada, ponto de difusão dos projetos do Fora do Eixo em Montes Claros e Norte de Minas, participam da quarta edição do Congresso Fora do Eixo (COFE), realizado na Universidade de São Paulo (USP). O congresso trata-se do maior encontro presencial da rede Fora do Eixo e, além de representantes do circuito, conta com a presença de diversos setores da sociedade. Serão sete dias de atividades intensas, com uma proposta diferenciada de estímulo ao intercâmbio entre os participantes, permitindo um cruzamento de ideias entre os mais variados agentes.

Retomada
O Retomada é um projeto que foi fundado em 2007 e faz parte de uma rede colaborativa e descentralizada de trabalho constituída por coletivos de cultura espalhados por todo Brasil, o Circuito Fora do Eixo. No mês de outubro o coletivo voltou a realizar seus projetos, representando uma nova forma de tratar a arte, um lugar onde as ideias, a cooperação e a associatividade formam os pilares de uma nova ótica sobre o que é o independente.

As ações do grupo visam movimentar e fomentar na cidade a produção cultural, assim como a exposição da mesma para um público disposto a conhecer e apreciar o novo. Como Ponto Fora do Eixo, o Retomada promove ações diversas e possibilita que o público do Norte de Minas conheça e interaja com artistas de todo o Brasil, fazendo um intercambio de ideias e movimentando a cultura. Através do Retomada, a força cultural "Catrumana" se expande, rompe barreiras e é comunicada ao mundo.
Fora do Eixo

O Circuito é uma rede de trabalhos que teve início em 2005, através da união de idéias de produtores culturais das regiões centro-oeste, norte e sul. A ação começou nas cidades de Cuiabá (MT), Rio Branco (AC), Uberlândia (MG) e Londrina (PR), através de pessoas que queriam estimular a circulação de bandas, o intercâmbio de tecnologia e o escoamento de produtos nesta rota, desde então batizada de "Circuito Fora do Eixo". Hoje o Fora do Eixo está em 25 estados e em diversas cidades, como é o caso de Montes Claros.

Serviço

Para conhecer mais sobre o Fora do Eixo é só entrar no site do circuito, pelo www.foradoeixo.org.br. E quem quiser se manter informado sobre os projetos do Retomada, é só entrar nas redes do coletivo, www.retomadamoc.wordpress.com, www.facebook.com/retomadamoc e @retomadamoc.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Orquestra Sinfônica de Montes Claros

Concerto com violinista traz nova perspectiva para profissionais da música


Na última sexta-feira (25), os montes-clarenses assistiram a um concerto do mais alto nível já apresentado na cidade pela Orquestra Sinfônica de Montes Claros (OSMC), sob a regência da maestrina Maria Lúcia Avelar.

O violinista alemão Frank Haemmer (chefe de Naipe de Orquestra) e integrante da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais foi o grande convidado da noite.

Durante três dias, Frank Haemmer realizou um masterclass para aproximadamente 40 músicos e estudantes do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez (CELF) e demais escolas da região.

Oportunidade para que os profissionais aperfeiçoassem suas técnicas com um dos melhores violinistas da Filarmônica de Minas Gerais. Foi um momento de troca de experiência sob a avaliação de um profissional orientador para um bom aproveitamento prático e teórico.

O foco do Masterclass foi em “Técnicas de Interpretação Barroca no Violino”, especialmente as composições dos músicos Antonio Vivaldi e Johann Sebastian Bach.

Música como “As Quatro Estações” e “Concertos para dois Violinos”, “Concerto para quatro violinos” e “Concerto de Lá menor” foram executadas e ao final da interpretação, a OSMC foi aplaudida de pé por toda a plateia que dizia “Bravo” e pedia “Bis”.

10 ANOS OSMC
As orquestras estão em constantes mudanças no seu quadro de músicos, o que é normal. No caso específico da OSMC, pelo fato de Montes Claros estar engatinhando ainda na formação de violinistas (o curso se firmou a pouco mais de 10 anos) existe a necessidade de estar constantemente promovendo cursos de capacitação, os chamados Masterclass.


Desde 1979 professores vêm de outras partes do país para o masterclass de Violino. Porém, na medida em que o profissional iria se aperfeiçoando, acabava recebendo propostas melhores para ministrar aulas em Belo Horizonte e outras cidades, e o curso novamente dava uma caída.

A retomada ocorreu a mais ou menos uns 15 anos, se firmando com o professor Manoel Thiago. “Esta prática de se trazer professores de fora ainda continua, mesmo hoje, com bons professores no Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez. O violino é a base de uma orquestra, e por tal motivo, o aprendizado desse instrumento é um dos mais difíceis e requer muita prática”, conta Maria Lúcia Avelar.

“São estes cursos que nos possibilitam ousar mais na escolha do repertório e no grau de dificuldade das obras. E os músicos que estão na orquestra há mais tempo, pois já participaram de vários masterclasses em anos anteriores, com este projeto puderam atuar também como ministrantes”, informa a diretora Maria Lúcia Palma Avelar.

A diretora da OSMC faz uma análise sobre o processo de crescimento da Orquestra. “A análise sobre a trajetória de 10 anos da Orquestra é bastante positiva. Os patrocínios aos nossos projetos têm sido um meio eficaz de viabilização de projetos que atendam nossas necessidades. Ganham com isto, não apenas nós músicos, que melhoramos nossa qualidade técnica, mas nossa cidade com o crescimento da sua Orquestra”, informa a maestrina responsável pela OSMC.

PARCEIROS
Os amantes da chamada música clássica se beneficiam com o desenvolvimento e as parcerias neste momento são fundamentais. “Nós temos empresas que foram e têm sido parceiras em nosso processo de crescimento.

A Novo Nordisk e o Banco do Nordeste do Brasil sempre nos patrocinaram. E nesse ano, o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que se uniu ao BNB e ao Governo Federal, através da Lei de Incentivo à Cultura para nos dar mais esta oportunidade. Se não fosse este projeto aprovado em 2010, nosso ano teria sido ‘magro’ no que diz respeito à produção artística e cultural”, explica a diretora da OSMC.

NOVOS PROJETOS
A Orquestra Sinfônica de Montes Claros através da Fundação Cultural Marina Lorenzo Fernândez, aprovou um novo projeto junto ao Ministério da Cultura (MinC) e que será executado a partir do inicio de 2012.

“Aguardamos ansiosos a captação de recursos, pois nossa agenda já está toda programada e posso garantir que a cidade de Montes Claros e região terão um ano repleto de concertos e atividades a serviço de nossa sociedade, sobretudo aos amantes da música clássica”.

Como parte integrante da nossa programação, acontecerá em Dezembro, o tradicional Concerto de Natal, quando presentearemos a cidade com um belo espetáculo. É importante ressaltar que a captação de recursos para realização desse evento ainda não foi concluída. Diante disso, contamos com o apoio de possíveis patrocinadores, que contribuirão para o Natal dos 10 anos da Orquestra Sinfônica de Montes Claros”, finaliza a maestrina.

Outras informações sobre a OSMC pelo site: www.sinfonicamontesclaros.com.br ou através do telefone (38) 3221-4466 falar no Departamento Cultural.

domingo, 27 de novembro de 2011

Câncer de mama

Unimontes tem a dança como resgate da autoestima no tratamento


A dança está servindo como terapia para elevar a autoestima de mulheres com câncer de mama, o que ajuda no tratamento da doença. Foi montado um grupo de dança, integrado por 20 pacientes assistidas pelo projeto de extensão “Vida Presente”, que atende 50 mulheres diagnosticadas com câncer de mama, desenvolvendo atividades físicas, terapias de grupo e recreação. A iniciativa é do departamento de Educação Física da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).

As integrantes do Grupo “Vida Presente” participaram do espetáculo coreográfico “Mulheres brasileiras, mulheres guerreiras”, apresentado na última sexta-feira (25/11), no auditório da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams), durante o encerramento do 3º Encontro Norte-mineiro de Combate ao Câncer. Contando com o apoio da Unimontes, a promoção foi inserida nas comemorações do Dia Nacional de Combate ao Câncer (27 de novembro).

O espetáculo foi montado com o apoio dos professores José Roberto Lopes de Sales (que também é coreógrafo), Milton Chaves e Alessandra Ribeiro, do departamento de Educação Física. As 20 mulheres assistidas pelo Projeto “Vida Presente” representaram danças típicas das diversas regiões brasileiras usando figurinos das manifestações como baianas, dança de São Gonçalo, xaxado, índias, forró (“caipira”) e a dança gaúcha. Ao final da coreografia, houve a entrada de uma das mulheres, caracterizada de Carmen Miranda, ao ritmo da música “Aquarela do Brasil”, de Ary Barroso.

GUERREIRAS
“No grupo, contamos com a participação de 20 mulheres que são verdadeiras guerreiras na luta contra o câncer de mama”, afirma a professora Claudiana Donato Bauman, coordenadora do projeto “Vida Presente”. São atendidas as mulheres do “Projeto Presente”, ação filantrópica voltada para o acolhimento de pacientes de baixa renda que enfrentam o tratamento do câncer de mama.

Por intermédio do projeto de extensão da Unimontes, iniciado em 2005, as pacientes participam de atividades de terapia e recreação duas vezes por semana, no Serviço Social do Comércio (Sesc) – em Montes Claros. “As atividades desenvolvidas ajudam a elevar a autoestima das mulheres submetidas ao tratamento do câncer de mama, evitando que possam enfrentar algum processo de depressão. Desta forma, proporcionam às mulheres uma melhor qualidade de vida, tanto física como psicologicamente”, avalia a professora Claudiana Bauman.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

The Pholhas

Grupo se apresenta pela primeira em Montes Claros nesta sexta-feira



A grande pedida desta sexta-feira é o show do The Pholhas, em Montes Claros e que faz o convite é o colega jornalista Wesley Gonçalves. Confira:

Chegou o grande momento. Montes Claros vai conferir o show de uma das bandas mais importantes do cenário nacional, The Pholhas. A apresentação será às 22 horas, no Buffet Duca e Nazareth Prates.

Ao longo de 42 anos de carreira e com repertório invejável de 17 discos, entre vinil e CD, a Banda Pholhas ainda continua sendo solicitada para se apresentar em várias cidades do País e do exterior. Os últimos shows da banda foram nas cidades de Teresina (PI) 21/10; Chapadinha (MA) 22/10; Natal (RN) 28/10 e Campina Grande (PB) 29/10. Foram de lotação.

Com repertório bastante variado, o grupo mostra ao logo de pouco mais de duas horas de show, seus antigos sucessos: My Mistake, Forever, Who’ll Stop the Rain, She Made Me Cry entre outros, além de fazer uma releitura musical de clássicos do rock inglês e norte-americano, passando por Bee Gees, Creedence Clearwater Revival, Elvis Presley, Rolling Stones e Beatles.

A banda que foi criada em 1969, iniciou sua carreira como covers de grupos dos EUA e Inglaterra e passou a compor também em inglês e coleciona discos de ouro e várias premiações.

O produtor cultural Ildeu Gonzaga, da ISA Captação Artística, explica que a história musical dos Pholhas está ligada a vida de muitos montes-clarenses.

“Uma banda que tem uma história musical que ultrapassa quatro décadas tem que ser vista e revista por essas gerações, a que te viu nascer e a que nasceu ao longo dos seus 42 anos de existência. A realização deste show inédito em Montes Claros é um sonho que foi acalentado há anos, por mim e por centenas de fás locais e que só agora será concretizado”, comentou.

Ainda segundo Gonzaga, falar de música no Brasil tem que abrir um parêntese para a Banda Pholhas, que conseguiu destaque no cenário “Pop” musical nacional, pois sempre mostrou um trabalho de qualidade, comprovado tanto nas gravações quanto nos shows que fazem por todo país e na América do Sul.

Para garantir maior comodidade ao público, a ISA Captação Artística conseguiu junto ao Buffet Duca & Nazareth que os produtos que ali forem servidos e consumidos poderão ser pagos com cartão de crédito.

Desde o final de 2007, com a saída definitiva de Hélio Santisteban, que o grupo é formado por Bitão, Paulinho e João Alberto que resolveram não ter mais um tecladista fixo, mas sim um tecladista especialmente convidado para cada apresentação. Essa fórmula deu tanto certo que virou um atrativo a mais dos shows.

“A importância dos parceiros é total. Sem parceiros fica impossível a realização de qualquer evento. Tenho o maior orgulho de possuir parceiros leais como: 98,9 FM; 93,5 FM, TV Geraes; site Bem na Net; Sociedade Rural; Sapataria do Futuro; Celsom; Pintar Express; FW Veículos e Mc Squash.

Outras informações sobre a banda Pholhas no site: http://www.pholhas.com.br.

Patrimônio histórico ameaçado

Igreja mais antiga de Minas pede socorro


A notícia de hoje nos chega através do colega fotógrafo e jornalista Manoel de Freitas, um grande observador das belezas e riquezas do Norte de Minas.  Na pauta, a Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Matias Cardoso, considerada a mais antiga de Minas Gerais.

Tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1954, a igreja está em avançado estado de degradação, desmoronando todo dia um pouco, ferindo de morte um conjunto de bens culturais de valor incalculável, além de colocar em risco a vida dos fiéis. A história da Igreja Matriz de Matias Cardoso está ligada a incursões de bandeirantes paulistas no sertão mineiro em busca de ouro e pedras preciosas. Januário Cardoso foi o principal benfeitor do arraial, assim como edificador da igreja, provavelmente construída entre 1670 e 1673.

Daí é inadmissível que continue sendo protelado seu processo de restauração, anunciado nos quatro últimos anos pelos deputados que integram a bancada de Minas na Assembléia Legislativa e na Câmara Federal, e, sobretudo, pelo prefeito reeleito João Cordoval de Barros, o “João Pescador”. O chefe do executivo de Matias chegou a anunciar que a verba para o restauro do maior patrimônio do município estava garantida junto a Petrobrás, dependendo apenas de “algumas assinaturas”.

O certo é que, na sexta-feira da semana passada, apenas três fiéis acompanhavam a missa na Matriz de Nossa Senhora da Conceição, padroeira da cidade. De modo que a ameaça de desabamento, de ruir o teto ornamentado por obras de artes de reconhecido valor no mundo inteiro, cada dia mais afasta os católicos da curiosa edificação em forma de fortaleza, em alvenaria, com tijolos requeimados. Mais curioso ainda é que, a despeito de tamanha fragilidade, com o objetivo de homenagear personalidades, no dia 8 de dezembro, quando se celebra a festa de sua padroeira, se transforma em “Capital de Minas”, ensejando a entrega de mais de 100 Medalhas de “Maria da Cruz e Mathias Cardoso, Comenda Civismo e Consciência dos Gerais”.

A situação é tão caótica que, segundo o Jornal da Serra Geral de Minas, com sede em Janaúba, durante o período chuvoso o padre Adailton Oliveira da Costa celebra as missas usando guarda-chuva, face às inúmeras goteiras. Um verdadeiro atentado ao passado de Minas, estampado em seu rico interior, em suas torres laterais quadrangulares, no muro com colunas nos ângulos e nos portões e na sucessão de arcos semicirculares, formando um avarandado no térreo, sob os corredores superiores.

Sua importância histórica - no entorno surgiu o primeiro povoamento e núcleo urbano de Minas Gerais, - não tem sido suficiente para garantir a restauração da Matriz de Nossa Senhora da Conceição, construída pelos jesuítas no século XVII. E o descaso é tão antigo como a edificação: desde que foi erguida, passou por uma reforma, em 1912, e conserto e pintura, em 1998, realizados pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha).

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Estações Musicais

Projeto de volta em única apresentação


Nesta sexta-feira (18), às 19h30, no espaço de eventos da OAB, a Unimontes realiza mais uma edição do projeto Estações Musicais, com o concerto “Eternamente Gershwin”. A apresentação única será aberta ao público, com entrada gratuita.
O professor Fábio Carvalho é diretor-executivo do projeto e salienta a escolha do tema para esta sessão: “fazemos um tributo à imortalidade da música do compositor George Gershwin, cuja qualidade permanece incontestável até os dias de hoje”. Ele destacou ainda que “nenhum outro músico norte-americano, em sua época, soube mesclar tão harmonicamente estilos diferentes como o blues e o clássico, o jazz e o gospel”.

QUATRO ANOS

O projeto Estações Musicais Unimontes foi implantado há quatro anos, a partir de ações desenvolvidas pelos professores do departamento de Artes da Unimontes e do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernandez. A coordenação do projeto é da professora e pianista Thalita Peres, com o envolvimento de solistas, cantores e instrumentistas das duas instituições.

Nesse período, foram apresentados os concertos: “Alma Latina”, “Ópera no Outono”, “Invierno Porteño”, “Noite de Luz”, “Imaginária Primavera” e “Uma noite na Broadway”, todos com sucesso de público.

No concerto “Eternamente Gershwin”, segundo Fábio Carvalho, serão apresentados os 14 dos maiores sucessos compostos pelo norte-americano, “a maioria extraída de musicais da “Broadway”, que levam o público-ouvinte a uma viagem de estilos diferenciados, mas integrados entre si. Da ópera “Porgy & Bess” ao musical “Of thee I sing”, o espetáculo apresenta canções como “I love you Porgy”, “Summertime”, “Soon”, “Embraceable You” e “I´ve got a crush on you”.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Blues, poesia e rock

Mistura marcante do cantor Digo Ribeiro


Nesta sexta-feira, 28 de outubro, sexta-feira, o cantor de folk rock e blues, Digo Ribeiro, desembarca em Montes Claros para fazer seu primeiro show em terras Norte Mineiras. Digo, que mora em Belo Horizonte, é um dos grandes destaques da atual cena independente da música mineira. O cantor recentemente produziu o CD “Pra quando louco for eu” e está em divulgação desse trabalho.

Digo Ribeiro iniciou seus trabalhos na música em 2004, interpretando composições próprias no violão. Com influências dos mutantes de Rita Lee e Arnaldo Batista, do Pink Floyd de Roger Walters e David Gilmor e ainda de Secos e Molhados de Ney Matogrosso, Digo consegue colocar emoção em voz e fazer um show surpreendente.

Em 2007 o artista uniu-se a banda “Prótons e Elétrons” tomando a frente os vocais onde ficou por um ano. No ano de 2008, Digo reiniciou seu trabalho com violão e voz, onde toca e canta uma mistura de rock, blues e folk/rock. Ele canta o mundo contemporâneo de forma crítica, instigante e poética sem deixar de lado as possibilidades de sonhar com um mundo mais positivo.

Serviço

Digo Ribeiro se apresenta a partir das 22h, no Vilarejo Music Bar (avenida Dulce Sarmento, 233, São José). A entrada custa R$ 20,00.

Chorinho e gastronomia

Diamantina Gourmet ao som de chorinho


No Dia Nacional da Cultura (05/11), começará a segunda edição do Festival de Gastronomia e Cultura Diamantina Gourmet. Até o dia 15 de novembro, a cidade de Diamantina estará repleta de aromas e melodias. Durante o período, dez estabelecimentos da cidade oferecerão menus especiais, que homenageiam um compositor de chorinho. O objetivo do festival é associar os temperos e receitas da culinária local ao estilo musical, proporcionando o intercâmbio entre música e gastronomia. Os preços variam de R$38 a R$45, por pessoa.

O evento conta ainda com uma vasta programação cultural, que inclui a exibição de filmes e documentários - do canal GNT e do acervo do IPHAN - e do longa-metragem O Mineiro e o Queijo; as feiras de Cultura e de Artesanato, o Café no Beco e diversas apresentações de música. Promovido pela ADELTUR (Associação Diamantinense das Empresas Ligadas ao Turismo) e pela Prefeitura Municipal de Diamantina, o Festival de Gastronomia e Cultura Diamantina Gourmet consolida Diamantina como um destino turístico reconhecido em todo país.

Estabelecimentos participantes:

Restaurante Relíquias do Tempo
(38) 3531-1627

Al Árabe
(38) 3531-2281

Deguste Dressing
(38) 3531-1030

Livraria e Café Espaço B
(38) 3531-6005

Restaurante Apocalipse
(38) 3531-3242

Restaurante Caipirão
(38) 3531-1526

Restaurante O Garimpeiro
(38) 3532-1040

Recanto do Antônio
(38) 3531-1147

Athenas do Norte Delicatessen
(38) 3531-8623

Restaurante O Diamante
(38) 3531-1561

 

Meios de Hospedagem:

Pousada do Garimpo
(38) 3532-1040

Pousada Relíquias do Tempo
(38) 3531-1627

Diamante Palace Hotel
(38) 3531-1561

Estância do Salitre
(31) 9168-5413

Hotel Montanhas de Minas
(38) 3531-5333

Pousada dos Cristais
(38) 3531-3923

Pousada Vale do Garimpeiro
(38) 3531-3844

Pousada Vila do Imperador
(38) 3531-3061

Hotel Ribeirão das Pedras
(38) 8816-1316

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

A Flauta Mágica

Die Zauberflöte - Ópera em dois atos

Música de Wolfgang Amadeus Mozart e libreto de Emanuel Schikaneder, composta em 1791, mesmo ano do falecimento de Mozart


Com produção do Ensemble Lirais (cantores líricos das gerais) do qual participam professores e alunos do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernandez (CELF ) e da Unimontes, A Flauta Mágica será apresentada ao público apreciador do gênero numa versão em português feita pelo Maestro Carlos Eduardo Prates e adaptada a nossa realidade com algumas reduções e substituição dos diálogos por narração. O espetáculo será nos dias 27, 28, 29,30 de outubro de 2011, no auditório do CELF. 

A ópera foi escrita no séc. XVIII época em que brotava o Iluminismo ou Era da Razão, despertado por filósofos como Baruch Spinoza, John Locke, Pierre Bayle e pelo matemático Izaac Newton e cujo centro foi na França, liderados por intelectuais como Denis Diderot, Voltaire, Montesquieu e outros. Período este que se denominou Século das Luzes, onde se incutia o uso da razão e da sabedoria para se obter uma vida melhor, a fim abolir superstições cultivadas durante a Idade Média que colocava a maioria dos seres humanos numa condição limitada de pensamento e de ação, rumo a um pensamento renovado de justiça e igualdade para superar as artimanhas dos governantes e de outros poderes da época.

O autor do libreto se inspirou em várias fontes literárias tal qual o conto de fadas Lulu Oder Die Zauberflöte de Christoph Martin Wieland, elementos mágicos originaram-se da peça Megära de Philipp Hafner e elementos maçônicos do romance Sethos de Jean Terrasson, ambientado no Egito antigo onde se supõe seja o local do surgimento dos rituais da maçonaria.

O Papageno, vendedor de pássaros, e outras situações de humor contidas na ópera foram inspirados no teatro popular vienense.

Os personagens principais Tamino (príncipe egípcio) e Pamina (princesa, filha da Rainha da Noite) encorajados por Sarastro (grão sacerdote de Ísis e Osíres), conselheiro que detém o poder pela sabedoria e não pela força, enfrentam e vencem as provas impostas pelo Templo da Sabedoria , conseguindo a realização de uma união ideal. Sarastro um verdadeiro guia, mostra o caminho para conseguir autonomia e liberdade de pensamento, se contrasta com a Rainha da Noite, a vilã da história que representa tudo aquilo que o iluminismo condena, ou seja, a superstição, a irracionalidade, a aristocracia, a tirania e a subordinação social e intelectual.

Dos elementos da maçonaria (da qual Mozart e Schikaneder faziam parte) o que se vê são os rituais de iniciação, provas pelas quais passam Tamino e Pamina, a fim de concretizarem o amor mútuo ao final da história.

A construção da música foi inspirada no Singspiel (lit.”brincadeira cantada”), um drama musical alemão caracterizado pelo diálogo falado alternado com canções, baladas e árias que às vezes são líricas, estróficas e ora tomam formas que lembram as canções folclóricas.

Todos estes elementos aliados à genialidade musical do compositor austríaco Mozart fizeram da Flauta Mágica a melhor, mais apreciada e representada ópera do autor.

A direção geral será de Maristela Cardoso (foto) responsável pela introdução do exercício da ópera na cidade e região atuando desde 1988 com a inesquecível Madame Butterfly de Puccini até os dias de hoje com a mesma garra, empenho, dedicação e amor pela causa. Ela que, além de valorizar os já consagrados cantores, incentiva e oportuniza aspirantes a fim de fortalecer e solidificar o movimento de ópera local, contribuindo de forma exemplar no engrandecimento e diversidade da nossa cultura.

De Belo Horizonte e com larga experiência no ramo, diretamente do Palácio das Artes teremos Francisco Mayrink na direção artística. É um grande nome que aqui atua desde a primeira montagem e que é admirado e respeitado pelo talento, desempenho e profundo conhecimento do gênero. Será também dele o figurino desta montagem.

E de Vitória do Espírito Santo receberemos a cantora no papel da Rainha da Noite, soprano Patrícia Eugenio, que vai enriquecer o elenco de cantores líricos de nossa cidade. Cenário e produção gráfica de Tânia Artes, Ifigênia Alkquimim e Rodrigo Rodrigues. Assessoria de Roberto Mont’Sá e Christiane Franco e acompanhamento instrumental de Izaías Ramos, Francisco Stehling e Bete Meira.

SERVIÇO:

A FLAUTA MÁGICA
Local: Auditório do Conservatório Lorenzo Fernandez
Data: 27, 28, 29,30 de outubro de 2011
Horário: 21h  
Entrada franca com retirada de convites no Conservatório, na Unimontes (Departamento de Artes) ou com os componentes da ópera. Serão fornecidos dois convites por pessoa.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Forró em Bocaiuva

Quem anima a festa é a banda cearense Aviões do Forró


O colega jornalista Paulo Brandão nos avisa que Bocaiuva recebe nesta sexta-feira, 21 de outubro, uma das maiores bandas de forró do Brasil, “Aviões do Forró”.

O evento acontece na Praça da Matriz do Senhor do Bom Fim e promete atrair milhares de pessoas. O show está marcado para as 22 horas, sendo que a abertura dos portões será a partir das 18 horas. Os ingressos estão sendo vendidos na Rivas Som, na Avenida Francisco Dumont, Centro, de frente ao Banco Itaú, e na Praça Wan Dyck Dumont, ao lado da prefeitura.

A banda cearense completou recentemente nove anos de sucesso e é liderada por Xand Aviãoe Solange Almeida. O “Aviões” já realizou duas turnês internacionais. A primeira foi em 2008, nos Estados Unidos e a segunda, em fevereiro de 2011, onde a banda realizou quatro shows pela Europa.

Cinema Comentado

Filme do diretor Emir Kusturica celebra o futebol e a personalidade do polêmico Maradona                 
     
Neste sábado, dia 22/10, o CineSesc e o Cinema Comentado Cineclube apresentam a estréia do documentário Maradona (2010), do premiado diretor (e fanático por futebol) Emir Kusturica. O cineasta celebra, no filme, a história de Diego Maradona: um herói desportivo, um artista brilhante, um ídolo em decadência e uma inspiração para milhões de pessoas por todo o mundo. De Buenos Aires a Nápoles, passando por Cuba, Kusturica traça um retrato da vida do atleta, desde o seu início até alcançar a fama mundial – da mais espetacular ascensão à inevitável queda.

Pelé é o maior jogador de futebol de todos os tempos, mas Diego Armando Maradona foi certamente o mais folclórico. No documentário, o “dono da camisa 10” é exposto como o homem por trás do mito. A película, que evita a narrativa linear e cronológica, enfatiza o gol contra a Inglaterra nas quartas-de-final da copa de 1986 (“o gol do século”); cria livre associação entre a vitória e uma suposta vingança pela Guerra das Malvinas; e explora bastante o tom politico, mostrando um hilário encontro com Fidel Castro, um agressivo discurso anti-Bush, e as várias críticas à politicagem da FIFA.

O documentário foge dos padrões convencionais e é assomadamente passional e pessoal, nada isento. No entanto, apesar de reforçar o mito, Kusturica mostra um Maradona humano, que reconhece seus erros, e desconstrói a imagem de uma pessoa arrogante. A idolatria do diretor encobre fatos conhecidos e parece isentar o ídolo de muitas “mancadas” – como o envolvimento com a cocaína e com a máfia napolitana. A abordagem do tema (drogas) é feita de maneira muito subjetiva, com Maradona afirmando que se sentia “como em um sonho do qual não se pode acordar”.

O tom confessional da narrativa é reforçado pelos depoimentos do jogador: “Existe um monte de coisas das quais sinto uma culpa terrível, dentro de mim. Podem falar que estou bem, que estou melhor ou que estou pior que antes. Mas isto não está dentro de mim. Eu sei a culpa que tenho, e isso não posso mudar. Emir, sabe que jogador eu teria sido sem a cocaína? Que jogador nós perdemos! O que me amarga a boca é que eu poderia ter sido mais do que sou. Te garanto”.

Emocional e emotivo, Maradona é uma obra que reflete perfeitamente o cinema anárquico e humanista de Emir Kusturica – cineasta sérvio de intensa criatividade e muitos prêmios por filmes como “Quando Papai Saiu em Viagem de Negócios”, “Arizona Dream” e “Underground-Mentiras de Guerra”. Classificação indicativa: 14 anos.

O CineSesc e o Cinema Comentado Cineclube acontecem aos sábados, a partir das 19h, no Salão de Convenções do Sesc-Pousada Montes Claros – Rua Viúva Francisco Ribeiro 199 (Ginásio do Sesc). As sessões são gratuitas, abertas a todos os interessados, e depois acontece um bate-papo com a platéia sobre o filme apresentado.

PRÓXIMAS ATRAÇÕES – Mostra Cinema e Artes

29/10 – Curta Circuito: “O Rap do Pequeno Príncipe contra as Almas Sebosas” (2000), dirigido por Paulo Caldas e Marcelo Luna.