quarta-feira, 25 de maio de 2011

Músculos e coração

Atletas do Jiu Jitsu de Montes Claros ganham o mundo conquistando medalhas. Em casa, ajudam crianças a terem um novo parâmetro para sonhar


Jerúsia Arruda

Montes Claros é mesmo uma caixinha de surpresa. Por onde quer que se ande, sempre é possível deparar com histórias intrigantes, de pessoas que levam a vida de um jeito único, desafiando adversidades e superando obstáculos.

É assim com um grupo de atletas, lutadores de Jiu-Jitsu e luta livre, que mesmo a despeito da falta de apoio e de recursos, tem a sala de troféus repleta, conquistados em campeonatos regionais, estaduais e nacionais.

- O desafio agora é vencer o sulamericano, que acontecerá em Salvador/Ba, nos dias 17 e 18 de junho, e o mundial, no Ibirapuera, em São Paulo, no próximo mês de julho – diz Marcos Antônio, que conquistou o direito de participar das duas competições durante o campeonato mineiro de artes marciais realizado no último mês de maio em Betim/MG, onde, junto com a equipe da academia Gracie Barra, do mestre Marcos David, conquistou 23 medalhas - 2 de ouro e 21 de prata -, e duas vagas para o sulamericano e para o mundial.

- Estamos treinando duro, nos preparando para o desafio e, se Deus permitir, vamos trazer a medalha – diz André Muniz, 21 anos, dono da segunda vaga nos campeonatos.

Mas, para os atletas, apesar da força de vontade e dedicação, a dificuldade é conseguir patrocínio para custear as despesas para a viagem e manter a equipe durante o período em que é preciso intensificar o ritmo de treinamento.

- Fazemos um apelo aos empresários da cidade e região, que nos apoiem. O investimento financeiro pode ser deduzido do imposto de renda e a projeção do esporte da cidade não tem preço. Além disso, realizamos um trabalho social com 40 crianças e muitas delas integram a equipe que tem conquistado medalhas em todas as competições que a academia participa e sem apoio fica difícil garantir a participação de todos por causa dos custos – ressalta.

Marcão diz que entre as crianças tem campeão mineiro e brasileiro de Jiu-Jitsu.

- As crianças de 8 a 13 anos treinam na academia às segundas, quartas e sextas-feiras, às 18 horas. O projeto tem como objetivo dar uma oportunidade para que elas aproveitem melhor o tempo ocioso, evitando que fiquem nas ruas, expostas aos riscos de violência e às drogas – justifica.

Douglas, de 12 anos, participa das aulas há pouco mais de um ano e conquistou a copa Leão Dourado, em Betim.

- Desde que comecei a participar das aulas, minha vida mudou. Antes ficava à toa, não gostava de estudar, vivia na rua. Agora tenho que cumprir um período de treinamento para continuar na equipe de competidores e ter boas notas na escola para manter a vaga na academia – explica Douglas.

Marcos diz que a devido à grande participação das crianças, a academia ficou pequena e precisam de um espaço maior e mais instrumentos para realizarem as aulas.

- O ideal seria uma parceria com a prefeitura, mas temos dificuldade de acesso à secretaria municipal de Esporte. Também poderíamos contar com o Bolsa Atleta, já que para nos manter precisamos trabalhar em outro emprego, quando poderíamos nos dedicar inteiramente ao esporte e ao projeto. Infelizmente, a realidade é outra. –diz.

POSSIBILIDADES
A Secretaria de Juventude, Esportes e Lazer informou que ainda não recebeu pedido oficial de apoio por parte do grupo de Jiu Jitsu, mas que está à disposição para acolher a solicitação, e que apesar de manter projetos de apoio a ações esportivas como essas, somente depois da solicitação formal é que poderá dar parecer oficial sobre a viabilidade ou não de apoio.

Quanto ao Programa Bolsa Atleta, o ministério do Esporte informa que o benefício se destina à manutenção pessoal dos atletas que não possuem nenhum tipo de patrocínio e para custear as despesas referentes à inscrição, transporte, estadia, alimentação, entre outras despesas decorrentes da competição.

Ainda de acordo com o ministério do Esporte, o valor da bolsa varia entre R$ 300, para os atletas estudantes, e R$ 2.500, para os esportistas olímpicos e paraolímpicos. Após inscrever, se for selecionado, o atleta receberá o benefício mensalmente durante um ano.

Cabe ao ministério do Esporte selecionar os atletas que atendam aos pré-requisitos determinados em Lei, conforme sua categoria esportiva. Para pleitear o benefício o atleta não pode receber qualquer tipo de patrocínio, entendido como tal a percepção de valor pecuniário, eventual ou permanente, resultante de contrapartida em propaganda; não receber salário pela prática esportiva; ter participado de competição no ano imediatamente anterior àquele em que está pleiteando a Bolsa, tendo obtido classificação.
Mais informações e inscrição no site do programa:

Aplausos a Maria Lúcia Godoy

A soprano mineira participa do projeto Estações Musicais e recebe homenagem em Montes Claros

O projeto Estações Musicais na Unimontes apresenta, no dia 31 de maio, às 19h30, no Auditório do Espaço OAB Eventos, o concerto Maria Lúcia Godoy – uma trajetória de sucesso, ocasião em que a cantora lírica também será homenageada pelo projeto.

A soprano mineira Maria Lucia Godoy é reconhecida como a maior cantora brasileira de sua geração. É, ao mesmo tempo, uma cantora de rara sensibilidade que interpreta, e uma atriz de talento que canta.

Essa versatilidade permite que ela esteja à vontade tanto nas obras clássicas mais elaboradas quanto nas populares mais autênticas, e possua um imenso repertório, que vai das canções napolitanas, modinhas imperiais e serestas mineiras a autores contemporâneos como Edino Krieger, Cláudio Santoro, Ronaldo Miranda, Marlos Nobre, Waldemar Henrique, Heckel Tavares, Tom Jobim, Milton Nascimento, Chico Buarque de Holanda, Wagner Tiso, entre outros.

A celebrada soprano Bidú Sayão chegou a considerá-la sua sucessora.

Ligada culturalmente a momentos marcantes da história brasileira, Maria Lúcia Godoy já cantou em homenagem ao translado dos restos mortais de D. Pedro I ao Brasil, no Mosteiro dos Jerônimos (Lisboa). Convidada pelo presidente Juscelino Kubitschek, apresentou-se na cerimônia de inauguração de Brasília. Foi condecorada com a Grã-Cruz da Inconfidência, pelo governo de Minas Gerais.

Maria Lucia Godoy é considerada a maior intérprete de Heitor Villa-Lobos, cuja obra sempre foi presença obrigatória em seu repertório. A cantora possui 18 discos gravados, a maioria deles dedicados à música brasileira. No CD “Cantares de Minas” inclui a modinha Amo-te Muito do compositor montes-clarense João Chaves.

Sobre a cantora, Vinicius de Moraes disse: Maria Lúcia quando canta, colhe estrelas no céu. E Juscelino Kubitscheck: A mais bela, a mais comovente, a mais importante voz deste país.

HOMENAGEM
No espetáculo do dia 31 de maio, sob a coordenação da professora e pianista Talitha Peres, o projeto Estações Musicais na Unimontes homenageará a soprano através das vozes das cantoras montes-clarenses Patrícia Peres, Aparecida Soares, Simone Santana, Maria Odília Quadros, Juliana Peres e da pianista Talitha Peres que interpretarão canções sempre presentes na carreira da artista.

As cantoras interpretarão serestas com a participação do Madrigal Estações Musicais, sob regência do professor Fábio Carvalho, e do Grupo de Serestas Vozes de Prata, sob coordenação da professora Fabíola Monção.

Também participam do espetáculo os atores: Mônica Mesquita, Hellen Durães, Alison de Sá, Juliana Vieira e Helmer Ezion, alunos do Curso de Teatro da Unimontes, sob a coordenação do prof. Paulo Henrique Dias.

MARIA LUCIA GODOY
A cantora e atriz é mineira, nascida na cidade de Mesquita, de onde se mudou para Belo Horizonte ainda criança. Na capital mineira, ela se formou em Letras na Universidade Federal de Minas Gerais, e iniciou seus estudos musicais com Honorina Prates. No Rio de Janeiro, estudou com Pasquale Gambardella e, posteriormente, obteve bolsa de estudos para aperfeiçoamento com Margarete von Winterfeld na Alemanha

Serviço

Projeto Estações Musicais na Unimontes
Dia 31 de maio, às 19horas, no auditório do Espaço OAB Eventos (Rua Walter Ferreira Barreto, nº 154 – Ibituruna, Montes Claros).A entrada é de graça.

Waly Salomão

A turbulência poética do artista encerra a programação cinematográfica de maio

 
No sábado, dia 28/05, o CineSesc e o Cinema Comentado Cineclube, exibem Pan-Cinema Permanente (2008), documentário dirigido por Carlos Nader. Baiano de Jequié, filho de um sírio muçulmano e uma sertaneja baiana, Waly Salomão (1943-2003) era um artista que se manifestava em múltiplas direções. Formado em Direito, tornou-se poeta, rabiscando os versos de seu primeiro livro numa cela, no Carandiru. Amigo de Hélio Oiticica, aproximou-se dos tropicalistas, tornando-se um dos compositores preferidos de Caetano Veloso, Gal Costa e Maria Bethânia, para quem compôs sucessos como “Mel” e “Talismã”.

Reunindo extenso material inédito, o filme revela algumas das facetas desse incansável caleidoscópio. Tomando emprestado o título de um poema escrito pelo próprio Waly, Pan-Cinema Permanente é uma mistura de homenagem, biografia e manifesto. O documentário une o retrato de um personagem muito interessante e a forma com que sua história e seus pensamentos são representados, misturando depoimentos e trechos de poesia e música.

As cenas que retratam o poeta recitando ou proclamando seus versos e desabafos são de uma força estupenda. Ele é um artista que se impõe pela palavra e que tentou uni-las ao uso do vídeo como nova forma de manifestação artística. O filme foi moldado ao longo de 15 anos, durante os quais o cineasta gravou Waly falando diretamente para câmera; ou como se fizesse parte de poemas-visuais; ou ainda em suas passagens por debates ou programas de TV.

Com momentos divertidos, provenientes de cenas como a visita de Waly a Síria, e também emotivos, derivados da participação dos filhos do poeta, Pan-Cinema Permanente é um justo retrato de um artista que faz imensa falta, numa época em que a poesia parece ser cada vez mais algo que ficou no passado. Felizmente, unindo cinema e videoarte, Carlos Nader conseguiu criar um filme que, mesmo sem abrir mão de algumas abstrações, mantém-se com os pés bem firmes no chão em seu propósito. Classificação etária do programa: 12 anos.

O CineSesc e o Cinema Comentado Cineclube acontecem aos sábados, a partir das 19h, no Salão de Convenções do Sesc-Pousada Montes Claros – Rua Viúva Francisco Ribeiro 199 (Ginásio do Sesc). As sessões são gratuitas, abertas a todos os interessados, e depois acontece um bate-papo com a platéia sobre o filme apresentado.

sábado, 21 de maio de 2011

TUDO KONSTA

Mostra Cultural revive o trabalho de Konstantin Christoff


Será aberta na próxima terça-feira, 24 de maio, na Galeria Internacional de Artes Márcio Leite, a mostra cultural em homenagem ao mestre das artes plásticas Konstantin Christoff.

Konsta, como era conhecido entre amigos, faleceu no último mês de março, aos 87 anos, em Montes Claros.

Com a intenção de homenageá-lo e divulgar o grande trabalho deixado por ele, os organizadores da mostra entraram em contato com famílias e instituições da cidade que possuem telas pintadas por Konstantin. Com isso, muitas pessoas se envolveram no projeto. A mostra é composta por obras de várias fases do artista.

Além disso, quem visitar o espaço poderá assistir a exibição de um acervo digital inédito com obras do mestre Konsta.

Para o artista Márcio Leite TUDO KONSTA é uma forma de agradecer tudo que Konsta fez por Montes Claros. “Ele fez a diferença por onde passou. Na Santa Casa, na Unimontes, nas artes plásticas. Para mim é impossível pensar em Montes Claros e não me lembrar de Konsta. Ele também sempre me incentivou a dar saltos maiores e foi a minha ponte para o mundo das artes plásticas. Só tenho que agradecê-lo por tudo isso”. – enfatiza Leite.

A exposição é aberta ao público e tem curadoria da jornalista Felicidade Tupinambá. O horário de visitação é de 10 da manhã ás nove da noite.
 
SOBRE KONSTA
Konstantin Christoff nasceu na Bulgária, em 1923, e ainda menino, aos 9 anos, veio para Montes Claros, acompanhado do pai, da mãe e do irmão Rayu, falecido posteriormente em acidente aéreo.

Ainda adolescente, interessou-se pelo desenho de humor e pelas histórias em quadrinhos. Na década de 40, mudou-se para Belo Horizonte onde cursou Medicina, na UFMG. Na Santa Casa, trabalhou como cirurgião geral e, depois, cirurgião-plástico.

Já médico e após o retorno a Montes Claros, ele se dedicou a pintura. Fez retratos, paisagens, naturezas mortas. O humor e a ironia estavam presentes na maior parte do seu trabalho.

Em 1955, casou-se com Dona Yêdde Ribeiro com quem teve 3 filhos: Rayu, Andrey e Igor.

Konstantin ilustrou livros e publicou numerosos desenhos na Imprensa brasileira, inclusive nas famosas revistas “Careta”, do Rio de Janeiro, “Edição Extra” de São Paulo e Playboy que deu-lhe a oportunidade de mostrar os encantos da mulher nua numa exposição individual: “Nus – Estudos para a Viúva do Grande Homem”, na Galeria Novotempo, em Belo Horizonte.

Produziu várias séries como Auto-Retrato, Via Sacra, Viagem a América e Oito Pecados Capitais.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Um banho de Cultura

Depois de um período de regime, Montes Claros volta a sediar eventos culturais de expressão, com a realização do Festival de Cinema e a apresentação da Filarmônica de Minas Gerais

Por Jerúsia Arruda

O primeiro Festival de Cinema de Montes Claros foi realizado em janeiro de 2007 com a promessa de ser anual. Quatro anos depois, a segunda edição é finalmente anunciada com a proposta de difundir a sétima arte, especialmente a produzida na região, entre os dias 17 e 22 de maio.

Na primeira edição, o festival foi promovido pela Fundação Cultural Genival Tourinho em parceria com a secretaria municipal de Cultura, subsidiado por recursos do Ministério da Cultura, na ordem de R$ 200 mil. Neste ano, o Festival conta com o patrocínio da Petrobras e, apesar dos mais de trinta filmes programados para serem exibidos durante os seis dias do evento, certamente, a grande atração da mostra é o espaço aberto para os filmes produzidos por profissionais da região. Conforme o secretário municipal de Cultura, Ildeu Braúna, em coletiva com a imprensa realizada no Casarão Versiani-Maurício na noite de terça-feira, 17/05, “o objetivo é difundir e estimular a produção audiovisual dos cineastas norte-mineiros”.

A programação, aberta oficialmente na terça-feira, acontece no Centro Cultural Hermes de Paula e Cine Tenda, no centro histórico da cidade (Rua Coronel Celestino, atrás da Igreja Matriz). Já na abertura do festival foi possível perceber o toque do artista Sergio Botelho, criador dos bonecos de Olinda e participante do projeto audiovisual da Petrobras, cuja obra desfilou pelas ruas, do Casarão Versiani-Maurício ao Centro Cultural, compondo o cenário montado para receber os convidados.

Durante a coletiva com a imprensa, Guilherme Carvalho, gerente de articulação regional da Petrobras disse que Montes Claros caminha muito bem nas artes audiovisuais e tem toda a possibilidade de a empresa manter o patrocínio para a terceira edição do Festival. “Já temos parceria com a Cultura na realização das Festas de Agosto e agora, durante o Festival, estamos com a exibição de filmes na praça principal do bairro Maracanã. A proposta é promover a inserção social através do cinema”, explica.

Também participaram da coletiva Julio Lopes, gerente da Biodiesel Darcy Ribeiro; o artista plástico Silvio Botelho; Mallu Moraes, coordenadora da oficina de Interpretação de Cinema, e Sérgio Diniz, da secretaria de Cultura e da coordenação do Festival.

Após a coletiva, foi realizada a solenidade de abertura oficial do Festival no centro cultural e, em seguida, com muitas gargalhadas, o público presente assistiu ao curta metragem Meia Hora com Darcy, última entrevista concedida pelo antropólogo e político ao diretor Roberto Berliner, dois meses antes de sua morte, no auditório Cândido Canela do centro cultural.

OFICINAS
Durante o Festival, estão sendo ministradas as oficinas de Interpretação para Cinema, por Mallu Moraes, e de Roteiro, por Di Moretti, ambos os profissionais reconhecidos pelos trabalhos no cinema nacional e na teledramaturgia.

A oficina de Interpretação para Cinema, com 34 vagas, acontece de 16 a 21 de maio, de manhã e à tarde, na Sala de Multimeios do centro cultural Hermes de Paula. Atriz, intérprete e produtora, Mallu Moraes tem no currículo passagens pela Rede Globo e pela extinta TV Manchete, se destacado no cinema nacional com atuação em vários filmes, entre eles o consagrado Carlota Joaquina (Brasil/1995, com direção de Carla Camurati).

Já a oficina de Roteiro tem duração de três dias, de 18 a 20 de maio, ministrada pelo roteirista e professor de roteiro Di Moretti, nome bastante conhecido no meio cinematográfico. Com 30 vagas, a oficina será realizada em três módulos, na Sala de Multimeios da nova sede da secretaria municipal de Cultura, localizada no Sobrado Versiani-Maurício, no centro histórico da cidade.

 
MOSTRAS
Além das oficinas, será realizada a Mostra Digital Norte Mineira, com produções de curtas locais e regionais, em formato digital e com duração máxima de 25 minutos. Foram selecionadas produções com temas livres ou que destacam a atividade do cidadão mineiro e seu meio ambiente. “Em Montes Claros e região tem sido expressiva a atividade de jovens na produção de filmes, que nem sempre chegam ao público. A mostra é uma oportunidade para que estes artistas exibam seus trabalhos”, ressalta Sérgio Diniz, da coordenação do Festival.

Também serão realizadas a Mostra de Filmes Infantis, de quinta-feira a domingo (19 a 22 de maio), com sessões a partir das 9h30, para a faixa etária de 8 a 12 anos; e a Mostra Competitiva de Curtas e Longas, de 18 a 21 de maio (quarta-feira a sábado), com debates ao final de cada exibição, intermediados pelo jornalista e crítico de cinema, Elpídio Rocha, e participação de convidados das equipes dos filmes (diretores, atores e produtores). As sessões serão às 17h e 19h.

ENCERRAMENTO
O 2º Festival de Cinema de Montes Claros termina no domingo, 22/05, com exibição em sessão única, às 20h Cine Tenda e entrega do Troféu Guimarães Rosa aos ganhadores do júri popular e aos homenageados.

Sinfonia no Norte de Minas

Orquestra Filarmônica de Minas Gerais se apresenta em quatro cidades norte-mineiras neste mês de maio


No próximo sábado, 28, a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais se apresenta em Montes Claros, às 20h30, na Praça dos Esportes, com entrada franca. Esta é a segunda vez que a filarmônica se apresenta na cidade - a primeira vez foi em 2008.

Em turnê pelo interior do Estado, a orquestra também se apresentará em Bocaiúva, Janaúba e Pirapora. Os concertos são conduzidos pelo diretor artístico e regente Fabio Mechetti e participação de 85 músicos de várias partes do Brasil e do mundo, que compõem a orquestra.

Em Montes Claros, sob a batuta do maestro Marcos Arakaki, regente assistente da orquestra, os músicos apresentam um repertório variado, marcado por obras-primas de reconhecimento público e outras peças menos conhecidas. No espetáculo, a filarmônica interpretará as obras Jobimniana: Fantasia sinfônica sobre os temas de Tom Jobim, do brasileiro Cyro Pereira; Pizzicato Polka, de J. Strauss; Fosca: Abertura, de Carlos Gomes; Cavalleria Rusticana: Intermezzo, de Pietro Mascagni; Dança Eslava nº7, de Antonín Dvorák; Dança Húngara nº 5, de Johannes Brahms; Príncipe Igor: Danças Polovitsianas, de Alexander Borodin; e O Danúbio Azul, também de J. Strauss.

De acordo com os organizadores, o objetivo da turnê é levar a música de concerto a diferentes regiões do Estado possibilitando que novos públicos tenham contato direto com música sinfônica de excelência.

PROGRAMAÇÃO

Antes do concerto em Montes Claros, os Grupos de Câmara da Filarmônica de Minas passam pelas cidades de Bocaiúva, Janaúba e Pirapora. Nestes concertos, o público terá a oportunidade de ouvir repertórios especiais e abrangentes, executado pelos principais músicos de cada naipe da orquestra.

Em Bocaiúva, no dia 26, é o Quarteto de Cordas que faz uma apresentação no Centro Cultural Henfil. Em Janaúba, no dia 27, no Centro Cultural Marly Sarney, a apresentação fica por conta do Quinteto de Metais. Também no dia 27, em Pirapora, o Centro de Convenções José Geraldo Honorato Vieira recebe o Quinteto de Sopros. Todas as apresentações acontecem às 20h30, com entrada franca. Os ingressos serão distribuídos meia hora antes do início da apresentação.

A turnê da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais no Norte de Minas tem o patrocínio da Mercedes Benz e Supermix, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Cinema

Documentário mineiro é selecionado para mostra do Festival de Cannes



O média-metragem Permanências, do cineasta mineiro Ricardo Alves Junior, foi selecionado para participar da Semana da Crítica, mostra paralela do Festival de Cannes (França,) que começou na quarta-feira (11/05).

Permanências foi construído a partir da vivência do diretor no conjunto habitacional IAPI, localizado no bairro Lagoinha, em Belo Horizonte. O filme foi realizado com recursos do programa Filme em Minas, programa de incentivo ao audiovisual mineiro da Companhia Energética de Minas Gerais – Cemig, e produzido pela Entrefilmes e Sapukai Filmes, com coprodução da Desbun Filmes. No Brasil, o filme recebeu o prêmio de melhor filme na 3ª Janela Internacional de Cinema do Recife, em 2010.

Para Ricardo, o IAPI chama a atenção por ser um navio naufragado na cidade. O conjunto foi locação do outro trabalho do diretor, Material Bruto, e agora se tornou personagem. Em Permanências é mostrado o tempo passando pelos diversos corredores, vazios em determinados momentos, com imagens fantasmagóricas. Foram 45 dias de filmagem em que o diretor ficou morando no edifício junto com a equipe.

No média-metragem, Ricardo não conta a história do edifício mas das pessoas que passam suas vidas lá. Para o diretor, as pessoas que residem lá, de alguma maneira, fazem parte da arquitetura do conjunto habitacional. Os personagens vivenciam ações cotidianas e os diálogos são quase relatos. O filme retrata permanências do tempo, da arquitetura e dos moradores e, entretanto, aponta para a existência de outras vidas não reveladas no lugar.

O DIRETOR
Ricardo Alves Junior nasceu em Belo Horizonte e é formado em cinema pela Universidad del Cine de Buenos Aires (Argentina). Além de Permanências, dirigiu o premiado curta Material Bruto, vencedor de mais de dez prêmios no Brasil e no exterior.

O segundo filme, Convite para jantar com Camarada Stalin, ganhou como melhor curta 16 mm no Festival de Brasília em 2007, foi exibido em diversas cidades no exterior e foi incluído na lista dos curtas mais representativos da década na mostra “Cinema Brasileiro: Anos 2000, 10 questões”.

FILME EM MINAS
Criado pela Cemig em parceria com a Secretaria de Cultura de Minas Gerais, o Filme em Minas é um programa bienal de estímulo ao audiovisual no Estado. Abrangente, o programa incentiva pesquisas, além da adoção de novas linguagens e formatos que revelam a pluralidade da cultura mineira.

Entrando em sua 5ª edição neste ano, o Filme em Minas irá investir R$ 4,5 milhões em projetos mineiros. Os recursos serão distribuídos no biênio 2011/2012 e irão contemplar sete categorias visando atender à diversidade da produção audiovisual do Estado. De 2005 a 2010, foram 111 projetos contemplados, com investimentos superiores a R$ 13 milhões.


Cultura

Secretaria de Cultura de Montes Claros tem nova sede

Sarau marca a inauguração da nova casa



A secretaria municipal de Cultura inaugura nesta sexta-feira 13, a sua nova sede no histórico Casarão Versiani e Maurício, construído em 1812, tombado pelo Conselho Municipal do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural de Montes Claros, e que nos últimos cinco anos passou por reformas e restaurações retomando toda a sua imponência original.

A programação especial, que terá início às 18 horas, certamente levou em consideração o cenário que espera pelos convidados.  “É um prédio que remonta ao século XIX, um local que abriga histórias, sobretudo as que nos remetem à música e à arte da época, de nossos trovadores que neste ambiente secular certamente protagonizaram noites inesquecíveis”, ressalta o secretário de Cultura, Ildeu Braúna, que também é músico, poeta e escritor, ao comentar a programação que ele define como um “sarau”, evento cultural realizado geralmente em casas particulares e que envolve várias manifestações artísticas.

PROGRAMAÇÃO
A programação, que se estenderá até às 23 horas, será desenvolvida simultaneamente em vários ambientes do velho casarão, que comporta mais de duas dezenas de cômodos em seus dois pavimentos.
À abertura, com perfomances artísticas, se apresentam os músicos Felipe Dantas Rocha (sax), Marcos Paracatu (viola), Orquestra de Rabecas e Dorislene Araújo (poesia).
Às 18 horas, terá início a solenidade oficial de inauguração, acompanhada da apresentação de grupos que atuam no Projeto Montes Claros em Seresta, do SESC-MG: “Namorados da Lua”, “Grupo Idade do Ouro”, “Grupo Idade da Prata” e “Grupo Amo-te Muito”.

4º Encontro Nacional de Bateristas de Montes Claros

No dia 12 de maio de 2011, no Centro Cultural Hermes de Paula, às 19 horas, acontecerá o 4º Encontro Nacional de Bateristas de Montes Claros, sob a coordenação do professor de bateria Marco Neves e da direção do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez. Durante o evento acontecerá um Workshop com o renomado baterista Daniel Oliveira de Brasília/DF.

O encontro tem como objetivo, promover, impulsionar o Curso de Bateria do conservatório e incentivar os alunos e adeptos o gosto pelo instrumento. Para o evento é estimado um público alvo de músicos de todas as áreas, percussionistas e demais interessados.

Para o coordenador do evento, professor Marco Neves, “Esta é a oportunidade de debatermos o estudo da bateria e promover um intercâmbio dos alunos de bateria do conservatório, músicos da cidade e região, além é claro, de divulgar o trabalho dos mesmos”.

Para o encontro será cobrado ingresso no valor de R$ 10,00, que poderão ser obtidos com o professor Marco Neves, no Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez ou pelo telefone: 9102-3031.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Retratos Catrumanos

Imagens do sertão sem o estigma usual da carência e da miséria

O fotógrafo montes-clarense Fabiano Lopes, expõe o ensaio Retratos Catrumanos até dia 12 de maio na Casa Una, novo espaço cultural em Belo Horizonte dedicado a convergência de linguagens.

Produzido em forma de ensaio fotográfico, manifestação característica do fotojornalismo brasileiro dos anos 70, que buscava em uma série de fotos a compreensão mais aprofundada de determinado tema, este trabalho retrata o povo norte mineiro e seus aspectos culturais, apresentando o sertanejo sem o estigma usual da carência e da miséria, mas sob o olhar da valorização, do respeito e dignidade que lhe devem ser imputados.

Captadas durante as edições da Expedição Caminhos dos Geraes, um desdobramento do Movimento Catrumano (grupo articulado por intelectuais, artistas e políticos do Norte de Minas com objetivo de documentar e dar visibilidade a todo o potencial natural e cultural do Norte de Minas), estas imagens “exploram a complexa relação entre espaço, estética, emoção e luz - atos que compõem a ato fotográfico - buscando pensar e discutir o sertanejo e seu importante papel na formação do nosso estado”, define o fotógrafo.

Retratos Catrumanos está em constante desenvolvimento, sendo parte de um importante acervo do núcleo de fotografia Olho Seco, coletivo de fotógrafos profissionais da cidade, com objetivo de pensar e produzir conteúdo jornalístico e documental de maneira crítica e independente, colocando a região como foco primordial de seus trabalhos.

A exposição já foi apresentada em Montes Claros na XIX Festa Nacional do Pequi e no l Seminário de História da Universidade Estadual de Montes Claros, por intermédio do Núcleo de História e Cultura Regional (Nuhicre), após a passagem pela capital mineira volta à cidade em uma exposição itinerante pelas escolas municipais, projeto desenvolvido em parceria com a secretaria municipal de Cultura.

A Casa Una está localizada próximo ao Circuito Cultural da Praça da Liberdade e fica num antigo casarão construído no início do século XX, hoje pertence ao Patrimônio Histórico e Artístico de Minas, com o objetivo de promover o diálogo e o encontro com filosofia, literatura, cinema, artes, música, comportamento, história e moda por meio de palestras, seminários, exposições, cursos, performances e outros eventos culturais.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Comédia em dose dupla

O grupo de teatro Faceato apresenta  As dez mais do córtex cerebral e o show de humor No Stress

Nos dias 05 e 06 de maio, o centro cultural Hermes de Paula será palco da apresentação do grupo de teatro Faceato com o espetáculo As de mais do Córtex Cerebral, texto de Cyrano Rosalén e Anfilófio Neto. Gilmar Honorato interpretará o Alfredo, um cidadão comum, viúvo, que cansado de viver só, resolve procurar uma agência de casamento em busca de uma nova companheira.
 
- O personagem Alfredo é um exigente viúvo, em busca da Amélia, aquela que não existe mais, a famosa mulher de verdade. Mas, as coisas vão se complicando porque encontrar essa nova companheira, não é tarefa fácil. E o Alfredo vai acabar numa clínica psiquiátrica - diz Gilmar, que há 22 anos atua como ator de teatro.

Além do Alfredo, o público vai conhecer a história de Antônio, o dono da agência de casamento interpretado por Rodynaldo Brito; a Magnólia, a atrapalhada e engraçada enfermeira, vivida por Bira Moreira e ainda Margareth, a outra enfermeira.

Na sonoplastia, Getúlio Evangelista, maquiagem (Josy Santos) e direção geral, o conhecido Mestre Baptista.

No Stress
No sábado, 07, as 20h30, o grupo Faceato apresenta o humorístico No Stress com o mesmo elenco e direção, contando ainda com a participação de Jéssica Klantayque e Ernane Pimenta.
- No Stress são vários monólogos de diversos tipos diferentes. E até a morte aparecerá no palco, que acabará de vez com o stress, inclusive da plateia - diz Gilmar.O ator garante que a peça é só riso e descontração, permitindo muitas vezes a interação dos atores com  a plateia.