sexta-feira, 28 de novembro de 2014

A Semente da Vitória

O preparador físico e mental Nuno Cobra apresenta palestra em Montes Claros 

 
Professor Nuno Cobra

O Professor Nuno Cobra Ribeiro, respeitado mundialmente por suas realizações no decorrer de mais de 50 anos de trabalho, pioneirismo e sucesso, é um dos 100 palestrantes mais procurados do pais. Ele estará em Montes Claros para ministrar a palestra “A Semente da Vitória”, no dia 08 de dezembro, às 19h, no Centro de Eventos do Parque de Exposições João Alencar Athayde,  dentro do Projeto Acontece Credinor. Devem participar 1.500 pessoas. A entrada é gratuita.

O Preparador físico e mental foi professor de grandes atletas como Ayrton Senna, Mika Hakkinem, Rubens Barrichello, Alexandre Barros, Patrícia Medrado, Jaime Oncins, entre outros, e de grandes empresários como Alair Martins, Abílio Diniz, Amilcare Dalevo, Roberto Justus etc. Realizou também, trabalhos com menores abandonados, excepcionais carentes, jovens infratores e presidiários.

Foi o primeiro a tratar de conceitos que a psicologia moderna coloca no centro dos seus estudos, como a inteligência emocional (1960). Nuno Cobra busca desenvolver as habilidades mentais, emocionais e espirituais através do corpo, numa visão do homem como um todo: integração corpo-mente-emoção-espírito.

Para Dario Colares, Presidente do Conselho Administrativo da Sicoob/Credinor, responsável pela conferência, trazer Nuno Cobra a cidade é demonstração da entidade em subsidiar o associado com informações relevantes que impliquem no desenvolvimento das organizações onde lideram e trabalham.

“A palestra integra o Projeto Acontece Credinor, 9ª edição. Nosso objetivo viabilizar um novo olhar para os profissionais e para as empresas, potencializando melhor desempenho em todos os aspectos.  Como uma entidade cooperativista queremos que os empreendedores possam se conscientizar sobre a importância  do  crescimento pessoal e social, para que alcancem o sucesso, mas sobretudo para que cresçam em direção aos seus objetivos, afirma.


Informações nas agências da Sicoob/Credinor.

Eu faço Cultura

Projeto Eu Faço Cultura chega a Montes Claros 

Maior projeto cultural itinerante do Brasil leva oficinas e espetáculos de arte e música de forma gratuita

Quarteto Baru

O Eu Faço Cultura, maior projeto cultural itinerante do Brasil, chega a Montes Claros (MG) no dia 6 de dezembro.

O EFC oferece oficinas de percussão, circo, artes plásticas, dança e fotografia, além de apresentações de teatro e música e cinema a céu aberto. A programação especial conta com muita diversão, atividades e vivências enriquecedoras, com entrada gratuita.

As oficinas serão realizadas na Rua Santinha Tolentino, Bairro Edgar Pereira, próximo à quadra poliesportiva, das 9h às 19h30. “Nossa expectativa é de que as crianças e suas famílias tenham oportunidade de conhecer as oficinas e também de levar uma opção de entretenimento para locais pouco convencionais para esse tipo de ação”, explica o diretor de Cultura da Fenae, Moacir Carneiro.

Haverá entrega de certificados de participação e apostilas em todas as tendas onde serão realizadas as oficinas.

DIVERSÃO

Inka Clow
Pula-pula, algodão doce e espaço para brincadeiras também vão garantir a diversão da garotada. No palco, muita música. Quem se apresenta são as bandas Quarteto Baru e Choro de Confraria. Já os espetáculos culturais ficarão por conta da Companhia Circo Rebote, com a peça “Inka Clow”, e a Companhia Olho de Gato, com o espetáculo “Dona Baratinha Não Quis Casar”. Uma festa para toda a família. Enquanto os pequenos se divertem, shows de música instrumental entretêm os adultos.

O Eu Faço Cultura é o resultado da mobilização do Movimento Cultural do Pessoal da Caixa (MCPC), uma iniciativa da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae) e das Apcefs.

No Brasil, é o maior projeto cultural financiado com recursos do IR de pessoa física. A Lei Rouanet prevê a destinação espontânea de até 6% do Imposto de Renda devido para projetos culturais. Essa é a base de funcionamento do MCPC, que já engajou cerca de 30 mil dos 100 mil empregados da Caixa.

“Por levar disciplinas culturais a milhares de cidadãos brasileiros, contribuindo para a cidadania e o desenvolvimento pessoal dos participantes, o EFC é importantíssimo”, destaca Moacir Carneiro. Esse novo modelo beneficia ainda mais comunidades com fragilidades sociais. “Já passamos por onze cidades esse ano, e a receptividade e a participação das pessoas têm sido excepcionais”, explica. Ele acrescenta: “São as doações dos empregados da Caixa que levam esse projeto cada vez mais longe e que o fazem cada vez mais bonito”.

Ao longo dos sete anos de existência, o Eu Faço Cultura já passou por mais de 60 cidades, com mais de 200 eventos realizados. Cerca de R$ 31 milhões foram arrecadados e investidos, beneficiando mais de 50 instituições e 600 mil pessoas. Os dados do Ministério da Cultura apontam que desde 2006, o MCPC foi responsável por um grande aumento no número de pessoas que contribuem com a cultura via Lei Rouanet no Brasil. Nesse período, as doações cresceram 366%.

Além do Distrito Federal, Porto Alegre, Novo Hamburgo, Sorocaba, Santo André, Santos, São José dos Campos, Poços de Caldas, Juiz de Fora, Vitória, Governador Valadares e Montes Claros, o calendário 2014 do EFC prevê ainda a passagem por São Luís (MA), no dia 13 de dezembro.


EFC EM MONTES CLAROS

Choro de Confraria
Dentre as atrações musicais está a Confraria de Choro, que sobe ao placo às 10h. O grupo norte-mineiro, da cidade de Montes Claros, é formado basicamente por professores do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez e tem mais de dez anos de existência.

Nesse tempo, os músicos vêm se dedicando a vários gêneros musicais, como choro, samba e bossa-nova. A Confraria lançou o seu primeiro disco intitulado "1º choro" em 2008 com influência que o grupo carrega dos grandes mestres do choro brasileiro como Pixinguinha, Waldir Azevedo, Ernesto Nazareth, Zequinha de Abreu, Raul de Barros, além dos grupos regionais de congado.

Às 11h30, começa a apresentação teatral do grupo local Companhia Olho de Gato, com o espetáculo “Dona Baratinha Não Quis Casar”. A peça apresentada numa estética simples e cheia de musicalidade mostra uma nova versão da conhecida história infantil D. Baratinha.

A peça apresenta a procura da personagem principal por um par perfeito e nesta trama descobre que não existe perfeição e que a felicidade não se conquista somente com casamento.

Às 16h, quem se apresenta é o Quarteto Baru, composto pelos instrumentistas brasileiros Nelson Latif, Bosco Oliveira, Sidney Sheikor e Timóteo Ribeiro, que se apresentam nos principais palcos brasileiros e do exterior. O grupo celebra o encontro de quatro músicos que dedicaram toda a carreira à música instrumental brasileira. Neste ano, eles preparam o lançamento de seu primeiro DVD, que celebrará o aniversário de dez anos do grupo.

No final da tarde, às 17h, é a vez da Companhia Circo Rebote, que apresenta o espetáculo “Inka Clown”, um palhaço vindo dos Andes, as terras mais altas da América. A peça é cheia de truques, acrobacias, danças, equilibrismos e malabarismos que vão entusiasmar o público. A participação especial fica por conta da Lhaminha Acrobática que faz várias peripécias. É diversão garantida.

SOBRE AS OFICINAS

Circo
A oficina de circo é composta por um circuito com as seguintes modalidades: aquecimento, acrobacias de solo, malabarismo com claves, bolinhas, pratos giratórios, arcos e swings.

Percussão
Nesta oficina é abordado o conhecimento sobre algumas manifestações da cultura popular e alguns dos seus ritmos por meio de instrumentos como: caixa, surdo, agogô, tamborim, ganzá e pandeiro.

Artes Plásticas
Nesta oficina, os alunos terão a oportunidade de manusear materiais reaproveitados e construir brinquedos a partir dele. Uma oficina para aprender que brincadeira, criatividade e arte andam de mãos dadas.

Dança
Visa proporcionar ao aluno o enfoque na percepção e consciência do próprio corpo através de movimentos que atuam na postura, capacidade de concentração, força, flexibilidade e alongamento.

Fotografia
Os alunos têm oportunidade de aprender diversos conceitos sobre as técnicas de fotografia. Além disso, os alunos aprendem o processo de construção de máquina fotográfica sem lente, através de materiais reciclados.

Rua Brincante
Este é um espaço dedicado à cultura, entretenimento e lazer. Durante todo o dia serão realizadas atividades que visam o enriquecimento das competências criativas e organizacionais das crianças e proporcionará aos participantes do evento a oportunidade de entrar em contato com jogos e brincadeiras de rua tradicionais como pega-pega, dança da cadeira, amarelinha, bambolê, elástico, pula corda, entre outros.

Programação em Montes Claros (MG) 
Atrações:
Banda nacional: Quarteto Baru
Banda local: Confraria de Choro
Teatro nacional: Circo Rebote, com a peça Inka Clow
Teatro local: Companhia Olho de Gato, com o espetáculo “Dona Baratinha Não Quis Casar”.

___________________________________________

SERVIÇO:


O que: Eu Faço Cultura em Montes Claros (MG)
Quando: Sábado, 6 de dezembro
Horário: 9h às 19h30
Onde: Rua Santinha Tolentino, Bairro Edgar Pereira (próximo à quadra poliesportiva) – Montes Claros, MG
Quanto: Entrada gratuita
Classificação: Livre
Informações: (61) 3213-5742

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Piadas Secretas

O comediante Léo Lins apresenta stand up em Montes Claros





O comediante Léo Lins estará em Montes Claros neste sábado, 22, com seu stand-up “Piadas Secretas”. O show será realizado no Espaço OAB Eventos, às 20h.

Léo atualmente é integrante do late show “The Noite”, comandado por Danilo Gentili.

Referência no cenário do stand up comedy nacional, no show, Léo reúne algumas piadas feitas com acontecimentos vivenciados pelo artista. Para criá-las, o comediante vai além da observação do cotidiano e tem como marca pesquisar fatos e curiosidades.

De forma peculiar e divertida, Léo aborda em seu show solo os mais variados temas, como a origem do feriado, vídeo game, super-herois e sexo. Interação com o público é algo garantido, sempre de forma descontraída, para fazer com que a plateia se sinta à vontade e se divirta.

Carioca da gema, já trabalhou como mágico, malabarista e cuspidor de fogo. Lançou o livro “Notas de um Comediante Stand-up”, primeiro do gênero no Brasil, e também foi coautor de “Comédia em Pé – O Livro”. Já realizou mais de mil apresentações de stand-up ao longo de sua carreira, sendo algumas delas na Inglaterra e em Portugal. Começou no stand-up comedy em 2005, com apresentações em festivais de mágica.

Criou o show de stand-up, ventriloquismo e mágica “Pão e Circo”. Foi um dos criadores do espetáculo “Santa Comédia”, em Curitiba. Em 2008, passou a integrar o primeiro grupo de stand-up comedy do Brasil, o “Comédia em Pé”, ao lado dos humoristas Cláudio Torres Gonzaga, Fábio Porchat, Fernando Caruso e Paulo Carvalho.

Na televisão, fez parte da equipe de redatores do programa “Legendários”, apresentado por Marcos Mion. Foi finalista da primeira edição do quadro “Quem Chega Lá”, no “Domingão do Faustão”. Fez participação na novela “Malhação” e foi convidado dos programas “A Praça é Nossa”, “Programa do Jô”, “A Liga” e jurado do concurso de imitadores do “Tudo é Possível”. Em suas apresentações o humorista gosta de abordar temas esdrúxulos e diferentes, como os planetas, pombos e fobias.


SERVIÇO:
"Piadas Secretas", de Léo Lins
Ingressos: Lojas Havainas do Montes Claros Shopping e Ibituruna Center Shopping.
Preço: R$ 25 (meia entrada) e R$ 50 (inteira).
Classificação: 14 anos.

Realização: Revista Moc Magazine e Loop Promoções

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Ajude-nos a ajudar

1ª Feijoada Cultural da ANDA terá

muita música e poesia

Com o tema “Ajude-nos a ajudar”, a arrecadação do evento será investida na  conclusão do Sistema de Segurança da sede do Anda.

A dica de hoje vem do colega jornalista, Wesley Gonçalves.

Já estão sendo vendidos os ingressos para a 1a Feijoada Cultural da Associação Norte-Mineira de Apoio ao Autista (ANDA). O bilhete custa R$ 15,00 e tudo o que for arrecadado será investido na conclusão do Sistema de Segurança do “Centro ANDA”.

A Feijoada Cultural acontecerá dia 29 deste mês, das 11h30 às 15h, no Solar dos Sertões (na Praça da Matriz), que nos foi gentilmente cedido pelo Centro de Agricultura Alternativa (CAA), por entender e apoiar as causas sociais em Montes Claros, entre elas a da ANDA.

Entre as atrações já confirmadas estão Bete Antunes, André Águia, Marcelo The Paula, João Vitor e Matteus, grupo Lá Maior e performance poética do agitador cultural Aroldo Pereira.

Outros artistas ainda podem se juntar ao evento; dependem ainda de alterações em suas agendas, e prometem, como sempre, nos ajudar a continuar ajudando a ANDA.

Felipe Soares do Amaral, diretor do Centro ANDA, está animado e confiante que este evento gastronômico e cultural marcará a instituição de forma positiva. Ele aproveita para pedir a todos que desejarem colaborar com doações de ingredientes para a feijoada ou queiram comprar o bilhete para não perderem essa oportunidade.  “É muito importante a participação de toda a comunidade neste processo. Estamos caminhando para terminar a sede do nosso Centro ANDA, que atenderá todos os autistas cadastrados na associação com mais conforto e qualidade. É um sonho que queremos dividir com vocês. Nos ajudem a transformá-lo em realidade”, destaca o diretor.

No Brasil, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se um número de até 2 milhões de casos de autismo, sendo que cerca da metade desses casos ainda não foram diagnosticados.

A Associação Norte-Mineira de Apoio ao Autista atende 91 crianças, adolescentes e jovens com diagnóstico e 15 estão em fase de diagnóstico, de 89 cidades da região; e vem ampliando seu trabalho no intuito de oferecer cursos de capacitação aos profissionais de todas as áreas que lidam direta ou indiretamente com crianças e adolescentes autistas.
Os ingressos para a 1a Feijoada Cultural custam R$ 15,00 e são limitados. Adquira o seu na sede da ANDA, localizada na Rua Rodrigo Costa, 321, bairro Canelas II ou com voluntários.

Telefones para outras informações:
(38) 3224-5747 / 9187-7937 / 9998-8491
ou pelo e-mail: anda.moc@hotmail.com

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Frágeis Esperanças

Frágeis Esperanças é lançado na bienal do livro

Publicação do escritor mineiro Raphael Juliano chega ao público no dia 22 de novembro



O escritor e sociólogo mineiro Raphael Juliano lança, no dia 22 de novembro, o livro Frágeis Esperanças, durante a 4ª Bienal do Livro de Minas 2014, que acontece de 14 a 23 de Novembro, no Expominas, em Belo Horizonte.

Na publicação, o autor traz variados contos que vagueiam entre a realidade e a ficção, baseados nas constantes observações do autor sobre o comportamento e o dia a dia das pessoas.

Com 172 páginas, os textos apontam para um objetivo comum: a busca do equilíbrio na tênue linha que dá sentido à vida, a esperança. As histórias são narradas com um olhar simples sobre os dilemas humanos, contradições, angústias e medos.


Nos contos, o autor expõe sua percepção de um jeito simples de ser gente, por meio de frases sóbrias e permeáveis no afã por compreender como o homem lida com o mundo que o cerca.

Durante os dez dias, 4ª Bienal do Livro pode ser visitada, no final de semana, de 12h às 22h, e de segunda a quinta-feira, de 10h às 22h.

200 anos de poesia


sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Cultura em pauta

Artistas discutem criação de cooperativa

O objetivo é viabilizar projetos que visem a produção e divulgação de eventos e produtos culturais e preservação da cultura, história e memória de Montes Claros e Norte de Minas.

Nesta sexta-feira, 07/11, artistas de vários segmentos e produtores culturais se reúnem para discutir a formação de uma comissão ou cooperativa, com o objetivo de viabilizar projetos que visem a produção de eventos e produtos, com vistas à divulgação e preservação da cultura, história e memória de Montes Claros e Norte de Minas.

A iniciativa é da professora, escritora e cineasta Andrea Martins, atual presidente do Cinema Comentado Cineclube, que apresentará, nesse primeiro encontro, o projeto de produção de um filme documentário sobre o músico e luthier Zé Côco do Riachão.

Segundo a organizadora do encontro, a ideia surgiu a partir de conversas com outras pessoas que, como ela, tem projetos culturais importantes para a região, mas que acabam engavetados diante das dificuldades para a captação dos recursos necessários para execução, o que causa  enorme prejuízo ao patrimônio cultural da cidade e região. “Acredito que a cooperação mútua é uma boa arma contra a falta de investimentos”, diz.

Andrea Martins lembra que a ideia de fazer um filme documentário sobre Zé Côco do Riachão nasceu em 1997, quando o artista lançou o CD “Voo das Garças”. Naquela ocasião, já pensando na produção de uma peça audiovisual, ela levou o artista ao Riachão, para reencontrar familiares e amigos, o que foi registrado pelo cinegrafista Roberto Marinho Primo, contratado para tal fim. Desde então, explica, já apresentou o projeto em diversos editais, sem jamais conseguir aprová-lo. “Há uma dificuldade muito grande de se conseguir recursos, quando você não possui ainda um rico currículo como produtora. O problema é que sem financiamento, nunca teremos essa experiência.”

Ainda segundo ela, o filme sobre Zé Côco é um projeto que encanta e desperta a simpatia de todos aqueles a quem é apresentado. Ela entende também que é uma obra que  precisa ser realizada, “para que possamos manter viva a memória desse sertanejo que tanta contribuição trouxe à cultura popular do Norte de Minas e do Brasil.”

O projeto, que foi encampado pelo Cinema Comentado Cineclube, está aprovado na Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), que possibilita a dedução do valor investido no imposto de renda, ainda assim está sendo difícil conseguir investidores. Diante disso é que ela decidiu mobilizar a comunidade.

Através de uma página em uma rede social, vem conseguindo pequenas doações de pessoas físicas (que também podem usufruir de dedução do imposto de renda), mas ainda está muito longe de conseguir o valor mínimo necessário para a produção do filme.

Por parte de pessoas jurídicas, o projeto já recebeu o apoio da Polígono/Fiat de Montes Claros e está para ser confirmado o apoio da Palimontes. Para o encontro de sexta-feira, já confirmaram presença, dentre outros, o vice-presidente da Câmara Municipal, vereador Cláudio Prates, e representantes do Senac, Fulô Comunicação e Cultura e Produtora Elefantte, além de artistas e produtores como Aroldo Pereira, Leonardo Palma Avelar e Patrícia Giseli. 


Segundo Andrea Martins, no encontro desta sexta-feira, que acontece às 17h, na Unimontes (sala 108/3º andar do prédio do CCH), será discutido, além do projeto citado, a possibilidade de uma ação contínua, de forma que outros projetos, outros artistas e outras manifestações sejam contemplados, simultaneamente ou na sequência deste.