sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Retrato do Brasil

Mal terminou a contagem da população de todo o país, realizada pelo IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e os municípios iniciaram a corrida para ver qual sua posição no ranking dos mais populosos.

O interesse dá-se principalmente pelo volume de recursos repassados ao município pela União, pois, ao contar a população, o Censo produz resultados que servem de parâmetro para saber quanto cada cidade receberá de repasse federal.

Pelos resultados do Censo também é possível ter referência para as estimativas populacionais realizadas nos anos seguintes, com base nas quais o Tribunal de Contas da União define as cotas do Fundo de Participação dos Estados e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), além de fornecer informações imprescindíveis para a distribuição orçamentária das pastas da educação, cultura, saúde e infraestrutura, baseadas no número e distribuição da população.

Além dos repasses dos recursos financeiros, as estimativas populacionais geradas pelo Censo também atraem a atenção dos gestores públicos por servirem de base para definir o número de deputados federais, estaduais e vereadores de cada estado e município.

As estimativas também fornecem parâmetros para atrair investimentos do setor privado para estados e municípios, como a seleção de locais para a instalação de fábricas,shopping centers, escolas, creches, cinemas, restaurantes, entre outros.

As estatísticas populacionais no Brasil, que durante muito tempo foram estimadas por conjecturas, tornaram-se dados dos fidedignos desde 1940, quando foi realizado o primeiro Censo pelo IBGE.

A cada dez anos, período aguardado para recomposição da população, o IBGE realiza um novo Censo, considerado um dos maiores do mundo. Os dados gerados na contagem têm sido cada vez mais aguardados não só no Brasil, mas em todo o mundo, que espera vislumbrar novas portas para investimentos e para o desenvolvimento.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Grupo Chorando no Choro


O craque do Trombone
Um dos maiores instrumentistas do Brasil, Mestre Sampaio retorna a Montes Claros com o grupo Chorando no Choro

Viagens ao exterior e com inúmeras premiações, o grande trombonista Mestre Sampaio retorna a Montes Claros com o grupo Chorando no Choro de Belo Horizonte, pelo projeto Choro & Cia, o dia 12 fevereiro, sábado, na casa noturna Chopp Time.

Os amantes da música instrumental residentes em Montes Claros e região poderão se deleitar com a apresentação desse mineiro, jeito calado, tímido, mas um craque no trombone.

Quem assistiu a uma de suas apresentações garante que Sampaio mostra-se claramente dedicado ao que se propõe a fazer: aposta em um gingado peculiar que anima os espectadores.

- Quando vemos sua performance que, além de tecnicamente monstruosa, é pura arte de improvisação e jogo de cintura, a simplicidade e simpatia são marcantes. Ademais, a banda que o acompanha não fica aquém. É sempre um espetáculo que faço questão de acompanhar e levar toda a minha família - diz o odontólogo, João Normanha.

Chorando no Choro
Pela sexta vez consecutiva, o grupo apresenta o melhor de Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Ernesto Nazaré, entre outros, mostrando ao público qual é o tom da boa música popular brasileira.

A apresentação começa a partir do meio dia no Mercado Municipal, aberta ao público, e, à noite, em evento fechado para convidados. Entre os músicos convidados estão Paulinho Sete Cordas, Gilmar do Pandeiro, o clarinetista Mário de Castro e Sampaio do Trombone.


Serviço
Data: 12 de fevereiro de 2011 (sábado)
Horários: 22h 30m
Local: Chopp Time
Informações: (38) 3084-3878/9193-1255/8428-9079


Sobre o Trombone

O trombone é um instrumento musical da família dos metais. É mais grave que o trompete e mais agudo que a tuba. Os trombones são utilizados em vários gêneros musicais, como música clássica, jazz, choro, entre outros.

Há duas variedades de trombone, quanto à forma: trombone de Pisto, que utiliza pistos mecânicos como o trompete e o trombone de Vara, que possui uma válvula móvel (vara), que, ao ser deslizada, altera o tamanho do tubo, mudando a nota.

A família do trombone apresentava originalmente os instrumentos soprano, contralto, tenor, barítono e baixo. Com a evolução da música, alguns tipos foram sendo abandonados. O Romantismo consagrou o trombone tenor como o mais nobre da família.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Seguindo a receita de Conceição Melo

Dezoito dias depois do início do ano novo, ainda paira no ar aquele espírito de renovação deflagrado pela passagem do Natal e da virada de ano, que leva as pessoas a fazer planos, recuperar promessas e buscar novas estratégias para manter ou conquistar uma vida mais tranquila, consolidar planos e realizar sonhos.

Enquanto aguardam a volta às aulas e à rotina dura a infligem os filhos, ou aproveitam os últimos dias de férias e descanso, muitas pessoas se esforçam para manter acesa a chama do espírito festivo e restaurador vivenciado nos primeiros dias do ano.

Em um momento como esse, vale buscar nos livros uma pausa para a correria do dia a dia e dar um descanso às ideias e ao espírito. Uma boa opção para renovar as energias, fazer uma parada para reflexão, e depois seguir em frente com as baterias recarregadas e a chama acesa são os livros da artista plástica e escritora montes-clarense Conceição Melo, Pare e Vá em frente.

Em Pare, unindo palavras e desenhos com seu traço de artista que aprendeu a vida vivendo, Conceição Melo instiga um momento de reflexão, uma parada para observar ao redor e descobrir na simplicidade do cotidiano as muitas possibilidades do amor. E depois de várias receitas simples que combinam amor, humildade, esperança, sonhos e fantasias, ela recomenda seguir estrada afora.

Esse é o momento de Vá em frente, onde a autora, com sabedoria e simplicidade, faz um resumo poético do que é amar e, principalmente, de se amar, num apelo otimista à celebração do amor e da vida, introduzido pelo verso de Santo Agostinho: “Amar é deixar que o outro seja”.

Os dois livros são uma ode à alegria de viver e se configuram como um excelente combustível para alimentar a esperança, traduzindo com sensibilidade este momento de renovação, que, dependendo da entrega, pode durar o ano inteiro.