segunda-feira, 25 de julho de 2011

Mostra de Teatro


Maratona de espetáculos agita Montes Claros


Juca Um Jeca em Uma Dura Vida de Solteiro é atração da Mostra desta quarta-feira, 27/07
Continua a X Mostra de Teatro em Montes Claros, reunindo grupos de várias cidades de Minas Gerais. As apresentações ocorrem em dois locais, no Centro Cultural Hermes de Paula e Colégio Marista São José. De segunda a quinta-feira e domingo, a mostra acontece em dois horários, às 19 horas e também às 21 horas. Sexta-feira e sábado, os horários são diferenciados.

Nesta terça-feira o grupo Arte sobe ao palco do Centro Cultural Hermes de Paula para apresentar a peça Deus é Amor, Mas Também é Humor, no Centro Cultural Hermes de Paula. Já no Colégio São José a apresentação fica a cargo do Grupo Tríade de Belo Horizonte, que apresenta Juca Um Jeca em Uma Dura Vida de Solteiro.

No dia 27 (quarta-feira), é a vez de o grupo Gruperário mostrar, no Centro Cultural, o espetáculo Aids é Assim.

O grupo Renascer Shakespeare de Janaúba apresenta Adão e Eva no Paraíso, também no Centro Cultural no dia 28 (quinta-feira).

No dia 29 (sexta-feira), a X Mostra de Teatro promove um Baile de Máscaras e Fantasias e convida toda a população a se divertir no restaurante Quintal. O baile começa às 22h, e o ingresso custa R$ 10,00 e pode ser adquirido no Centro Cultural.

O final de semana será destinado a entreter e divertir as crianças. Os pequenos terão a oportunidade de dar boas risadas com a peça A Floresta Encantada, do grupo Companhia Tríade de Belo Horizonte, que se apresentará no sábado (30). Serão realizadas três apresentações, sendo a primeira às 10h, depois às 16 e a última às 19 horas.

A semana cultural será encerrada com a performance teatral do grupo Companhia do Sonho, que apresentará O Andarilho de São Francisco, no Centro Cultural.

Montes Claros


Centro histórico preservado terá Corredor Cultural


A Rua Coronel Celestino está sendo reconstruída para se integrar ao Corredor Cultural
As ruas Coronel Celestino, Cabo Santana e Travessa José de Alencar, no centro histórico de Montes Claros, começaram a ser preparadas para instalação do projeto Corredor Cultural. A iniciativa visa tornar aquela região um centro de efervescência artística e gastronômica.

A obra consiste na troca e alargamento de passeio com piso de pedra portuguesa, diminuindo a largura das ruas e impedindo a circulação de veículos. O calçamento será de pedras, a iluminação temática, com instalação de bancos de madeira e intervenções paisagísticas, criando uma ambientação tradicional, em estilo colonial.

A primeira etapa estará concluída para as festividades de agosto. Logo em seguida, serão realizados os serviços de acabamento.

Música

 Festival Sesi de abre inscrições


Banda Sandália de Couro
 
Já estão abertas as inscrições para o Festival SESI de Música 2011. Trabalhadores das indústrias mineiras podem se inscrever até o dia 19 de agosto. As inscrições poderão ser efetuadas nas unidades do Sesi em Minas Gerais ou pelo envio de correspondência para a Gerência de Cultura da instituição. Mas as inscrições para oficinas de interpretação vocal e corporal serão realizadas em 22 e 23 de setembro.

O Festival será realizado em Belo Horizonte, de 22 a 24 de setembro, Belo Horizonte e vai premiar os três melhores trabalhos de cada categoria. Os valores dos prêmios são:

O Festival Sesi Música é voltado somente para trabalhadores (industriários e empresários) e seus dependentes diretos: filhos e cônjuges. Os interessados podem participar nas categorias intérprete ou composição inédita, com qualquer gênero ou estilo da música brasileira.

Mais informações: Sesi Regional Minas Gerais – Gerência de Cultura: (31) 3241-7169 – Carla/Gláucia, (31) 3241-6683 – Thiago Maia, (31) 3241-7146.

1° Forró solidário da APAE

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais realizam no próximo dia 30 de julho o 1º Forró da instituição. A Associação que funciona desde 1970 em Montes Claros trabalha para a assistência, valorização e promoção social de pessoas com deficiência. A APAE funciona nos turnos matutinos e vespertinos, atendendo 423 alunos portadores de deficiência mental e múltipla na faixa etária de 0 a 55 anos.

A festa acontece na quara da Palimontes (atrás da Rodoviária) e terá como atrações os grupos Sandália de Couro, Toque Xote, Forró sem Regra, Banda Yu Cristãos do Forró e ainda Hebert Lincoln e o DJ Bruce.

Além da boa música, quem for ao Forró da APAE vai ter espaço de sobra para dançar até o sol raiar e ainda, vai poder saborear comidas típicas como canjica, paçoca, vaca atolada, dentre outras guloseimas. Outra atração da festa vai ser a tradicional quadrilha que pretende animar a todos.

Quem participar vai se divertira e ajudar a Associação, pois toda a renda obtida com o evento será investida nos diversos projetos desenvolvidos pela instituição.

Os ingressos custam R$ 10,00 e podem ser comprados nas lojas Cia do Pé, Palimontes (matriz) e l Quatro Estações.

Mais informações: (38) 3215-1655, (38) 3222-2160 ou (38) 8414-9279

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Ensino Superior e Profissões

Quilombolas buscam orientações em visita ao campus da Unimontes


Visita quilombolas ao campus da Unimontes

Na busca por orientações sobre o acesso ao ensino superior e informações que possam ajudar na escolha da futura profissão, alunos da comunidade quilombola de Agreste Vereda Viana, do município de São João da Ponte (Norte de Minas), cumpriram uma agenda de visitas aos prédios do campus-sede da Universidade Estadual de Montes Claros, nesta quarta-feira (20). As ações tiveram o apoio do departamento de Geociências, através da coordenadora do curso de Geografia, professora Márcia Versiane Fagundes.

A turma de 33 estudantes, entre 15 e 17 anos, integra o projeto “Projovem Adolescente”, iniciativa do Governo Federal de incentivo à convivência familiar e comunitária em regiões de risco social. Os trabalhos têm a duração de um ano e meio, divididos em dois módulos. Localizada a 60 quilômetros da sede do município, Agreste Vereda Viana conta com cerca de 300 habitantes.

PRIMEIRA VEZ
 
“Até agora não conhecia nenhuma universidade ou faculdade. Percebi que a Unimontes é imensa e tem de tudo um pouco”, disse o estudante Iran Martins de Souza, de 16 anos, caçula de uma família de sete filhos. Apenas a irmã mais velha está no ensino superior. Autodidata em poemas e versos mostra-se tendencioso a cursar Artes ou Letras/Português, mas confessa afinidade também com Geografia e História. “Ainda não me decidi, mas se eu puder fazer algo curso perto da minha casa vou gostar mais ainda”, disse.

Já Regina Silva de Oliveira faz planos de ingressar na Unimontes pelo programa de avaliação seriada (PAES). Aos 15 anos, a aluna da Escola Estadual de sua comunidade se inscreverá para as provas da primeira etapa e se for bem sucedida nas etapas subsequentes acredita que será uma das calouras em Medicina em 2014. “É uma área que sempre gostei pelo bem que faz às pessoas”, depôs a jovem.

ORIENTAÇÕES
Egressa da Unimontes, a assistente social Genilza Mendes Ribeiro Fagundes é a coordenadora do Centro de Referência de Assistência Social (Crase), responsável pelo Projovem Adolescente em São João da Ponte. “Muitos alunos ainda não têm noção de qual carreira seguir e até mesmo de como chegar a Universidade, por isso considero este trabalho de suma importância”, disse, referindo-se à visita ao campus.

Essa é foi terceira turma de alunos de escolas públicas do município em visita à Universidade. Nos últimos meses, outros 76 jovens da mesma faixa etária conheceram a estrutura da Unimontes. “O programa visa, basicamente, promover a melhor convivência comunitária e familiar dos jovens atendidos, com ações nas áreas de meio ambiente, cultura, arte e educação”, completa Genilza Fagundes. Ao final dos módulos, as turmas devem apresentar sugestões de projetos de ação coletiva para a melhoria da qualidade de vida da comunidade. Para os quilombolas de Agreste Vereda Viana, a ideia é de viabilizar uma campanha de coletiva seletiva de lixo e um telecentro na comunidade, como ação efetiva de inclusão social.

ACESSOS

Regina Silva de Oliveira

Entre as visitas à Biblioteca Central Professor Antonio Jorge, laboratórios de geociências, biologia e anatomia do campus-sede, os quilombolas puderam conhecer um pouco mais de como funciona o acesso aos cursos da Unimontes. O professor Claudionor Barros, membro efetivo da Comissão Técnica de Concursos (Cotec), explicou aos visitantes sobre o funcionamento do programa de avaliação seriada, realizado a cada ano para os alunos das séries do ensino médio (da 1ª à 3ª etapa), e quais são as ações afirmativas da Unimontes para ingresso ao ensino superior.
Em destaque nesse último aspecto, o sistema de reserva de vagas, que atende às categorias dos afrodescendentes (20%), egressos de escolas públicas (20%) e portadores de deficiência e indígenas (5%), em cumprimento à lei estadual 15.259. “É importante salientar que a participação em um programa não impede fazer parte do outro. O aluno que atualmente cursa o primeiro ano do ensino médio pode iniciar-se no PAES e, quando alcançar a terceira etapa poderá se inscrever também no vestibular tradicional”, explicou o representante da Cotec.

Empório do Sertão

CAA reabre espaço durante as Festas de Agosto


O Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas (CAA-NM) vai realizar entre os dias 18 e 21 de agosto, dentro da Tradicional Festa dos Catopês, Marujos e Caboclinhos mais uma edição do Empório do Sertão. O entreposto ocupará a parte inferior do Solar dos Sertões, antigo Solar dos Oliveira, localizado na praça da matriz. O objetivo é constituir um espaço para comercialização dos produtos e promoção das culturas, saberes e sabores dos povos e comunidades tradicionais. Todo o recurso arrecadado durante o evento será destinado à continuidade do processo de restauração do Solar.

O cenário será de uma tradicional venda da roça. O balcão grande, com produtos secos e molhados, vindos das comunidades rurais do sertão norte - mineiro. Farinha, feijão, café, rapadura, cachaça, polpa de pequi, açúcar mascavo, doces, polpas de fruta são alguns deles. No quintal, serão servidos pratos da gastronomia regional ao som das apresentações culturais dos povos e comunidades tradicionais e de artistas regionais, que farão o diálogo cultural entre campo e cidade.

Para Braulino Caetano dos Santos, diretor geral do CAA-NM, esta festa será um marco, a primeira realizada no Solar dos Sertões. “É uma alegria fazer o Empório na nossa própria casa, a casa dos povos tradicionais do Norte de Minas, que sãos os protagonistas do CAA. Ainda tem muita coisa para fazer. Mas esperamos que com este evento, a gente consiga mais recursos e parceiros para dar continuidade às obras”, afirma.

Segundo Aparecido Alves de Souza, diretor presidente da Cooperativa Grande Sertão, entidade responsável pela articulação dos empreendimentos e cooperativas, a expectativa é de que 12 empreendimentos econômicos da agricultura familiar comercializem seus produtos no Empório. Ele ressalta ainda que o Empório será um braço comercial de promoção da culinária e dos produtos sertanejos, além de colaborar para o fortalecimento das economias dos povos e comunidades tradicionais.

A coordenadora de articulação do CAA-NM, Leninha Alves reforça que todos os recursos arrecadados serão direcionados para a segunda etapa de obras de restauração do Solar, que compreende a revisão estrutural do segundo pavimento, troca e revisão do telhado. “Precisamos de mais R$ 1,5 milhão” -, disse.

Em 2004 o CAA-NM e a Cooperativa Grande Sertão realizaram a primeira edição do Empório. Uma casa antiga acolheu os produtos e as manifestações culturais das comunidades tradicionais. Em 2005, os agricultores construíram no centro histórico de Montes Claros uma casa de enchimento, tecnologia tradicional utilizada nas casas da roça. Neste espaço, o Empório foi realizado durante as Festas de Agosto e se estendeu para outros eventos como Encontro Nacional dos Povos do Cerrado, Psiu Poético e Festa Nacional do Pequi.

Solar dos Sertões – O Solar foi construído em 1856 e habitado até abril de 2004. Em 28 de setembro de 1999, o Casarão foi tombado pelo Patrimônio Histórico do Município e regulamentado pelo Decreto 1761 de 28 de Setembro de 1999. Em 2006 foi adquirido pelo CAA-NM. O Solar dos Sertões, como passou a ser chamado, tem o objetivo de ser um espaço permanente de promoção dos produtos e das manifestações culturais dos Povos e Comunidades Tradicionais da região. Além do Empório do Sertão, o Solar abrigará centro de documentação e história oral, arena de shows, área administrativa e espaço de comercialização dos produtos e de promoção da culinária regional.

A saga de Antônio Dó

Petrônio Braz lança segunda edição do livro Serrano de Pilão Arcado, que conta a história do pistoleiro barranqueiro 

Amantes da literatura e da arte estão convidados para a noite de autógrafos da 2ª edição do livro “Serrano de Pilão Arcado – A Saga de Antônio Dó”, obra de um dos escritores mais importantes do Norte de Minas, o são-franciscano Petrônio Braz. Será na segunda-feira, 25, às 20 horas, no Centro Cultural Hermes de Paula. Advogado, escritor e professor, Braz conta que aborda nesta obra um período histórico marcado pelos contrastes sociais do final do século XIX e início do século XX, a partir da preocupação em retratar, por meio de um romance histórico, a trajetória da figura lendária de Antônio Dó.

Ouvido nesta sexta-feira (22/07), o escritor elogiou o trabalho que a Prefeitura de Montes Claros vem desenvolvendo na área econômica – citou a vinda do Grupo Alpargatas e a perspectiva de a cidade sediar um dos Centros de Treinamentos de Seleção (CTS) da Fifa para a Copa de 2014 –, lembrando que o desenvolvimento econômico também fomenta a literatura, as artes e a cultura.

A obra foi referenciada pelo Atlas das Representações Literárias Brasileiras/2009 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), representando a literatura do sertão brasileiro, ao lado do “Grande Sertão: Veredas”, do consagrado Guimarães Rosa. Além disso, a obra foi indicada pelo Conselho Universitário para os vestibulares da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) 2011/2012. “As pessoas me param na rua para me perguntar sobre o livro. Por isso, estou com a expectativa de termos uma noite de autógrafos muito festiva”, espera o escritor.

A noite de autógrafos conta com parceria da Academia Montes-clarense de Letras, da Academia de Letras, Ciências e Artes do São Francisco, do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros, do Ateliê Felicidade Patrocínio e da Secretaria de Cultura da Prefeitura de Montes Claros. Para o secretário de Cultura Ildeu Braúna, é uma honra Montes Claros e região ter entre seus filhos talentosos a pessoa de Petrônio Braz. “Ele é um escritor reconhecido, com grande representatividade no meio cultural. E essa obra, que chega à segunda edição, é um livro de extrema importância para o meio acadêmico e para todo o Brasil”, afirma.

ECONOMIA E CULTURA

Petrônio Braz observa que Montes Claros vem se desenvolvendo no meio acadêmico e cultural e teve, nos últimos cinco anos, mais de 200 títulos publicados. Tal projeção está atrelada à nova fase que a cidade vivencia na área econômica. Foi lembrada a vinda do Grupo Alpargatas para Montes Claros, gerando empregos e renda para a cidade e região, e que são boas as perspectivas de ser uma das subsedes da Copa de 2014. “Montes Claros deve receber bem essa empresa, para que ela permaneça aqui e gere frutos para todos. São investimentos como esse que aceleram o desenvolvimento social, industrial e cultural da cidade”, destaca.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

10ª Mostra de Teatro

Grupo Grande Palco apresenta Pluft, o fantasminha

O espetáculo é a atração da Mostra neste sábado
Neste sábado, 23 de Julho, o grupo Grande Palco apresenta o espetáculo Pluft, o fantasminha, de Maria Clara Machado. A comédia infantil será a principal atração do 10ª Mostra de teatro de Montes Claros. A apresentação será às 16h, 18h e 20h, no auditório Cândido Canela do Centro Cultural Hermes de Paula (Rua Doutor Veloso, n°32 - Praça da Matriz - Montes Claros/MG).

 
SINOPSE
Pluft, um filhote de fantasma que está descobrindo o mundo dos adultos, chegou a ser considerado pela crítica como “o Hamlet do teatro infantil brasileiro”. Guardadas as proporções, a comparação com um dos mais célebres personagens de Shakespeare não é de todo exagerada: o fantasminha, assim como o príncipe da Dinamarca, vive na peça um intenso dilema existencial.

A história começa com o sequestro da menina Maribel pelo bandido Perna-de-Pau. No entanto, mais do que a mera solução para o crime, ao encontrar Maribel Pluft acaba descobrindo a sua própria identidade, e faz também a descoberta do outro – ou da “gente” que ele não sabe se existe no início da trama.

Desde 2005 (4ª Mostra de Teatro de Montes Claros), o grupo Grande Palco trabalha com oespetáculo e já viajou por várias cidades do Norte de Minas e Sul da Bahia. A mais recente apresentação foi em Diamantina/MG, em maio desde ano.

Psiu Poético em São Paulo

Quatro dias de poesia brasileira no Metrô de São Paulo

Psiu poético comemora 25 anos na estação Paraíso

A proposta é apresentar a diversidade cultural norte-mineira ao público paulistano
Entre os dias 26 e 29 de julho, a estação Paraíso do Metrô vai receber poetas e artistas de diversas regiões do Brasil para as comemorações dos 25 anos do Salão Nacional de Poesia Psiu Poético, que acontece anualmente em Montes Claros (MG). Durante quatro dias, poetas, cantores, escritores e outros artistas estarão no palco do espaço cultural Encontros apresentando sua obra por meio de leitura de poemas, apresentações musicais, performances e mesas de debates.

As intervenções têm o objetivo de popularizar cada vez mais a literatura e as artes poéticas, que são festejadas há 25 anos nos encontros em Minas Gerais. “Há um quarto de século, poetas de todo o país se reúnem em Montes Claros para celebrar a poesia, a arte e a vida”, ressalta Aroldo Pereira, idealizador do Salão Nacional de Poesia Psiu Poético. Além dos poetas, outros artistas que dialogam com a poesia participam da reunião promovida pelo Grupo de Literatura e TeatroTransa Poética de Montes Claros. “Queremos apresentar toda esta diversidade cultural ao público paulistano”, completa Aroldo.

Nos 3 primeiros dias, serão apresentadas variadas formas de expressões culturais e artísticas, do poema à música. Quem estiver na estação Paraiso do Metrô poderá conferir, por exemplo, o show poemasampa, poemasamba, de Luiz Zanotti, que mistura samba e poesia. Filmes sobre poesia contemporânea e até uma apresentação de palhaços-poetas também fazem parte da programação.

Para fechar as atividades, uma mesa será formada por Luiz Zanotti, Élcio Lucas, Jurandir Barbosa e pelo próprio Aroldo Pereira, para discutir Os Rumos da poesia contemporânea no século XXI. O debate é aberto ao público e após seu término, todos os poetas e artistas se reúnem novamente para uma última apresentação, numa jam session poética.

PSIU POÉTICO

Aroldo Pereira, idealizador do Salão Nacional de Poesia Psiu Poético
 O Salão Nacional de Poesia Psiu Poético é uma importante referência de todos os poetas em atividades no Brasil. Anualmente, em outubro, poetas, escritores e artistas de todo país se encontram em Montes Claros (MG), para um grande sarau que envolve diversas manifestações artísticas e culturais. Há 23 anos, a curadoria deste encontro é responsabilidade do poeta, performer e ator Aroldo Pereira. Já participaram do Psiu nomes como: Adelia Prado, Thiago de Mello, Alice Ruiz, Carlos Nejar, Jorge Mautner, Leila Mícollis, Arnaldo Antunes, Adão Ventura, Wally Salomão, Jorge Salomão, Edvaldo Santana, Madan, entre outros.

PROGRAMAÇÃO

26 de Julho, a partir das 18h
Aroldo Pereira (Montes Claros-MG) - Poeta, agitador cultural e curador do Salão Nacional de Poesia. Autor dos livros Cinema Bumerangue e Parangolivro, entre outros. Faz leitura de seus poemas e performances artísticas.

Jurandir Barbosa (São Paulo-SP) – Poeta, artista plástico e editor (Editora Catrumo). Autor dos livros Poesia X e Atrito. Faz leitura de seus poemas.

Elcio Lucas (Montes Claros-MG) Músico, poeta e Doutor em Letras (Usp). Lançou os discos De Lua e Verde Grande. Faz apresentação musical.

Mavot Sirc (São Paulo-SP) - Poeta, artista plástico e agitador cultural. Diversas antologias e vídeo-poesia. Faz leitura de seus poemas e apresenta vídeos.

Mané do Café (Embu das Artes-SP) - Poeta e ex-metroviário. Autor dos livros Mané Café ou Sonho de um Poeta, O Calendário do Amor e Saudades de Você. Faz leitura de seus poemas.

Giovanni Sassá (Belo Horizonte-MG) - Poeta e músico. Faz apresentação musical.

27 de julho a partir das 16h
Luiz Zanotti (Curitiba-PR) - Poeta, compositor e Mestre em Letras pela Universidade Federal do Paraná. Autor do livro Stand-up: O Thom Pain Existencialista De Will Eno, Felipe Hirsch e Guilherme Weber.

Piteco e Palocci (São Paulo-SP) - Dupla de palhaços poetas. Fazem apresentação teatral.

Kedma Oliver (Santos-SP) - Poeta e ativista cultural. Faz leitura de seus poemas.

Bernardo Moraes (São Paulo-SP) - Poeta, vídeo-maker e estudante de jornalismo. Apresenta vídeos de sua autoria.

Claire Feliz Regina (São Paulo-SP) - Poeta. Faz leitura de seus poemas.Renata Regina (São Paulo-SP) - Poeta, psicóloga e jornalista. Autora do livro Flores, Horrores e Amores. Faz leitura de seus poemas.

Magda Longuini Crudelli (São Paulo-SP) Poeta e atriz. Apresenta música, poema e performance artística.

28 de Julho, a partir das 16h
Odila Placência (Barueri-SP) - Poeta e cantora. Faz apresentação musical e leitura de seus poemas.

Kalil (Belo Horizonte-MG) - Poeta, músico e sindicalista. Faz apresentação musical e leitura de seus poemas.

Mané do Café (Embu das Artes-SP) - Poeta e ex-metroviário. Autor dos livros Mané Café ou Sonho de um Poeta, O Calendário do Amor e Saudades de Você. Faz leitura de seus poemas.

Ana Cristina Martins (São Paulo-SP) - Poeta e produtora cultural. Faz leitura de seus poemas.

Alvaro Camargo Nunes, Alcanu (São Paulo-SP) - Poeta e agitador cultural. Fará leitura de seus poemas.

Fernando Vasqs (São Paulo-SP) - Poeta, redator de humor e cartunista. Lança em breve o livro Ostras ao Vento. Faz leitura de seus poemas.

Luiz Bizerra da Silva (Embu das Artes-SP) - Poeta e jornalista. Faz leitura de seus poemas.

29 de julho, a partir das 15h
Mesa - Os Rumos da Poesia Contemporânea no Século 21
Luiz Zanotti - Curitiba-PR
Élcio Lucas - Montes Claros-MG
Aroldo Pereira - Coração de Jesus-MG
Jurandir Barbosa - São Paulo-SP

Encerramento - Todos participantes

PROJETO ENCONTROS
Numa iniciativa inédita no mundo, o projeto Encontros transforma as estações do Metrô de São Paulo em espaços culturais, com atrações gratuitas. A primeira estação inaugurada foi a Paraíso, em outubro de 2010, após a Cinemagia vencer a licitação para gerir o projeto por 10 anos. Ao todo 18 estações serão contempladas, levando cultura para todas as regiões da cidade de São Paulo. Shows musicais, cinema, espetáculos de dança, teatro, exposições permanentes e itinerantes, oficinas culturais e muitas outras atividades fazem parte da programação, acessível a aproximadamente 4 milhões de pessoas que circulam diariamente pelo Metrô.

SERVIÇO

Comemoração dos 25 anos do Psiu Poético
26 a 29 de Julho de 2011
Projeto Encontros – Estação Paraíso (ao lado da plataforma de embarque Tucuruvi)

Jardim alheio

Mestre zanza
Montes Claros tem muitos títulos: Cidade do Esporte, Cidade da Arte e da Cultura, Cidade melhor a cada dia, entre outros. O que não se sabe é de onde vêm tantos títulos. Sim, porque, a Cidade do Esporte só apoia um time de uma modalidade esportiva - o Vôlei da Funadem. Até dos Jogos do Interior de Minas (Jimis), competição esportiva que incentiva estudantes e revela talentos, da qual sempre foi uma participante ativa, Montes Claros ficou de fora neste ano, pela primeira vez na história depois de 27 anos ininterruptos participando da competição.

Já a Cidade da Arte e da Cultura, que tem tradições culturais fortemente sedimentadas no folclore e religiosidade, como é o caso das Festas de Agosto, alimenta sua fama no resultado do trabalho de artistas nos quais não investe. Em reportagem exibida pela TV Geraes na tarde/noite de segunda-feira, 18/07, Catopês, Marujos e Caboclinhos lamentavam a falta de condições para confeccionar as vestes para as festas que estão chegando e reclamavam da falta de apoio da administração municipal para que possam se estruturar para as festas que, no final, geram lucro e fama para a cidade. O apresentador do telejornal disse que o secretário municipal de Cultura não quis se pronunciar sobre o assunto, o que nos pareceu um descaso e absoluta falta de respeito com nomes como Mestre Zanza, cuja imagem é gratuitamente utilizada para representar a cidade que o despreza.

Dez entre dez artistas entrevistados pelo O Norte sempre batem na mesma tecla: falta investimento para a arte, falta espaço para os artistas, faltam políticas públicas que beneficiem a arte produzida na cidade, e por aí vai.

Por fim, a Cidade melhor a cada dia realmente está cada vez melhor para seus governantes, que estão muito à vontade para explorar o povo que os elegeu sem nenhuma preocupação em cumprir o papel de governar em causa pública. Para o povo, restam o lixo e esgoto a céu aberto, ruas esburacadas, falta de assistência mínima à saúde, e toda sorte de infrações ao que deveria lhes ser garantido por ser direito constitucional.

A Princesa do Norte tem beleza, tem riqueza e tem glamour graças à determinação do povo altaneiro que a habita, mas, certamente, não são esses atributos que inspiraram os muitos títulos que lhe foram dados e, sim, os interesses particulares de grupos que, em diferentes épocas, lançaram mão da riqueza dos claros montes para promover projetos pessoais.

Guitar Hero

RockWEEK GAMES fecha com sucesso comemorações do mês do Rock em Goiânia”


Etapa na capital goiana consagra os campeões do Guitar Hero


Este mês de julho certamente será muito lembrado pelos goianos e demais habitantes do centro-oeste, com a realização do megaevento “RockWEEK Brasil” no Shopping Flamboyant, em Goiânia. E como parte das comemorações, que incluíram a EXPO “Rockwalk Brasil – A Calçada da Fama do Rock”, além dos shows ao vivo com o ‘Air Guitar’ Fausto Carraro, filho da terra e campeão mundial nessa atividade, e do músico Kiko Zambianchi “In Duo Acústico”, ali também se reuniram alguns dos maiores jogadores brasileiros de Guitar Hero, o videogame que tem arrastado multidões de fãs em todo o mundo, num final de semana eletrizante e inesquecível.

O game, que traz basicamente um controlador de jogo em forma de guitarra onde o jogador simula tocar as notas de hits eternizados pelas bandas mais famosas do rock and roll mundial como Deep Purple, Guns N' Roses, Iron Maiden, KISS, Metallica, Rolling Stones e Van Halen, entre muitos outros, disponibilizado para os consoles da Sony Playstation, Xbox e Wii, foi lançado em 2005 nos Estados Unidos e Canadá, 2006 na Europa e Austrália, e no ano seguinte no Brasil.

Sucesso absoluto de vendas em todo o mundo, imediatamente o game tornou-se uma verdadeira febre, e tem revelado muitos “Guitar Heroes” em grandes campeonatos mundiais que reúnem milhares de gamers de vários países incluindo o Brasil, dono de um título mundial em 2009 na China e de um vice-campeonato mundial em Paris, na França, em 2010.

Em Goiânia, alguns campeões com vários títulos regionais participaram do torneio, mas, quem levou o prêmio máximo foi uma das atuais revelações nacionais desse – já considerado – esporte de habilidade, o gamer Gabriel Lima, de apenas 15 anos, vindo do interior paulista, a emergente Ribeirão Preto. Gabriel Lima, ou ‘GH Monster’, seu nick na rede, agora contabiliza três títulos absolutos de campeonatos regionais, sendo o primeiro disputado e vencido em Ribeirão Preto, um em São José do Rio Preto, e agora o de Goiânia, este de importância bastante relevante mediante o fato de ser o primeiro vencido em uma capital, além de outros dois vices campeonatos. Gabriel Lima pratica o Guitar Hero à apenas dois anos, mas já coleciona brilhantes e meteóricos resultados com suas participações em campeonatos, iniciadas a poucos meses deste mesmo ano de 2011.

O “1º. Campeonato RockWeek Games Flamboyant de Guitar Hero” aconteceu no sábado 16 e domingo 17 de julho e reuniu o número máximo de 40 competidores, entre mais de 80 inscrições, de várias cidades do centro-oeste e até de outras regiões do Brasil, como São Paulo e Rio de Janeiro, atraindo um seleto público de milhares de pessoas que puderam conferir de perto as performances dos astros das guitarras de videogame, tocando os hits de seus ídolos famosos.

Numa estrutura digna de shows de rock, com direito a palco, cenário e som profissionais, além de uma organização ímpar na condução do evento, o torneio transcorreu exatamente conforme a programação, eliminando cerca de 24 concorrentes no sábado, e iniciando o domingo com os melhores dezesseis players na disputa dos prêmios e pódios.

O resultado final seguiu a lógica, e premiou merecidamente os três melhores jogadores da etapa:

3º. Lugar - Paulo Sérgio Sucasas da Costa Filho de 15 anos (primeira participação em campeonatos) - prêmio uma guitarra de videogame Fender Rockband Guitar Hero XBOX;

2º. Lugar – Thiago Rosa Ribeiro de 21 anos (08 títulos de campeão regionais) – prêmio uma guitarra profissional Condor;

1º. Lugar – Gabriel Lima de 15 anos (03 títulos de campeão em Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Goiânia) – prêmio um kit guitar Condor incluindo guitarra, bag, amplificador, cabo, correia, jogo de palhetas e afinador eletrônico.

O RockWEEK Games, produzido pela MMP Entertainment Brasil, é parte integrante do evento “RockWEEK Brasil 2011”, que traz, além do campeonato, a expo RockWALK Brasil – “A Calçada da Fama do Rock”, considerada como ‘maior patrimônio da história da música nacional’, uma versão nacional da ‘Hollywood RockWalk’ inaugurada na Sunset Boulevard em Hollywood – Califórnia – em 1985, onde figuram nomes inesquecíveis como John Lennon e Elvis Presley, entre muitos outros ‘dinossauros’ do rock mundial. O acervo da RockWALK Brasil é composto por uma exclusiva coleção de placas em concreto especial marmorizado, gravadas em baixo-relevo as mãos, autógrafos e mensagens das maiores celebridades que constroem a memória do rock no Brasil, além de uma coleção de guitarras autografadas pelas celebridades participantes.

Além das etapas já realizadas em São Carlos SP e Goiânia GO, no calendário da RockWEEK Brasil 2011 ainda constam cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Florianópolis, entre outras localidades atualmente em agendamento tais como Campinas, Salvador, Curitiba e Porto Alegre.

domingo, 17 de julho de 2011

Festival Mineiro de Humor

Montes Claros sedia pela primeira vez o evento que está na segunda edição

Inscrições vão até dia 05 de agosto

Estão abertas as inscrições para o II Festival Mineiro de Humor, promovido pelo SESC Minas – Entidade integrada ao Sistema FECOMÉRCIO Minas, que acontecem nos dias 11 e 12 de agosto, simultaneamente em cinco cidades mineiras: Montes Claros, Almenara, Belo Horizonte, Poços de Caldas e Uberlândia.

O Festival é uma mostra competitiva e tem como objetivo valorizar e incentivar os humoristas mineiros contemporâneos. O evento será dividido em duas etapas, sendo a primeira fase regional e a segunda, estadual, no dia 30 de agosto na capital mineira.

Podem participar humoristas mineiros ou que moram no estado com residência comprovada que irão apresentar em espetáculos individuais, de até 10 minutos de duração, nas categorias: Stand Up Comedy e Stand Up Personagem.

No Stand Up Comedy, ou conhecido como Stand Up em pé, ou ainda “Humor de cara limpa”, o candidato será avaliado pela criatividade das histórias autorais narradas e as apresentações serão no dia 11 de agosto. Já no Stand Up Personagem, o artista tem a possibilidade de compor uma fantasia, cenário, ou seja, assumir um personagem apresentando-o no dia 12 de agosto.

Segundo o edital do Festival, as inscrições são limitadas, custam R$ 15,00, devem ser feitas pelos próprios artistas. Os artistas devem ir até uma unidade do SESC Montes Claros e serão aceitas somente uma inscrição por CPF. Caso não tenha SESC na cidade onde mora o artista, o inscrito deve fazer um depósito em conta indicada pelo SESC e enviar o comprovante de depósito juntamente com a ficha de inscrição. A cidade em que o artista quer apresentar-se deve ser indicada durante a inscrição e não poderá ser alterada.

No ato da inscrição, o candidato deve apresentar cópia da carteira de identidade, DVD do espetáculo, comprovante de residência e informações como: nome do espetáculo, sinopse, diretor, duração e categoria escolhida. Todos os inscritos participam da fase eliminatória, que é a avaliação dos espetáculos a partir do DVD. Sendo selecionados seguem para a fase classificatória.

Na etapa regional, serão selecionados os três primeiros colocados de cada categoria. E todos os primeiros lugares das cinco cidades concorrerão na etapa final no SESC Palladium, em Belo Horizonte.

Nas etapas que acontecem em Montes Claros, Almenara, Belo Horizonte, Poços de Caldas e Uberlândia todos os participantes recebem certificados e os três primeiros colocados recebem troféu e ainda R$ 200,00 para o terceiro lugar, R$ 300,00 para o segundo e R$ 500,00 para o primeiro colocado.

De acordo com Ruth Proença Mendes Almeida, diretora do SESC de Montes Claros, o evento acontecerá no Ginásio do SESC e a entrada será um quilo de alimento não perecível. Os alimentos doados serão destinados às instituições filantrópicas que fazem parte do programa Mesa Brasil do SESC. “O SESC ampliou o evento nesta edição para conhecer todos os talentos do nosso estado, Montes Claros representa o Norte de Minas e Almenara o Vale do Jequitinhonha. O I Festival, que aconteceu em BH, contou com 50 inscrições e esperamos bater recordes neste evento que abrange todo o estado”, explica a diretora.

As inscrições podem ser feitas no SESC de Montes Claros na rua Viúva Francisco Ribeiro, 200, Centro. Mais informações pelo telefone 38-3221-1018; 3221-1690 e 2104-5100.

terça-feira, 12 de julho de 2011

Psiu Poético

25ª Edição já recebeu teve muitas inscrições na primeira semana



"O Psiu tem uma visão muito universal da poesia, uma coisa de profundo foco na palavra e isso serve como argumento para participarmos. E tem outro detalhe: o salão dialoga com a poesia de forma bem democrática”, confirma Kallil.

Também participa da 25ª edição o poeta, escritor e advogado Petrônio Braz. Para ele, o Psiu Poético é um movimento de vanguarda que enaltece o valor da poesia e busca marcar no seu contexto a presença dos poetas regionais. Será a primeira vez que o escritor, autor de livros como a “Saga de Antônio Dó” participa do salão como autor. A forma escolhida será a poesia, que ele define bem: “Poesia é a grandeza do espírito posta em letras para que possa ser apreciada por aqueles que gostam do que é bom”.

Veterano, Olímpio Elton da Silva, de Francisco Sá, participará pela 12ª vez. Apesar da experiência adquirida a cada salão, a emoção, segundo ele, continua a mesma. “Todos esses anos de Psiu Poético me marcaram muito, fizemos muitas amizades, participamos com poetas de renome nacional e até interacional. Estou muito feliz por esses 25 anos do Psiu”, disse o poeta, que lançará livro e DVD. Olímpio lembra que dos dias 14 a 16 deste mês haverá o 'Melô Poético', evento com participação dos poetas Reinilson Durães, Aroldo Pereira e Regina Dourado. Será no Serviço Social do Comércio (SESC/LACES) de Belo Horizonte, à Rua Tupinambá com a Olegário Maciel.
As inscrições para o Psiu Poético prosseguem até o dia 31 de agosto de 2011.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Norte de Minas em destaque

Potencialidades culturais da região são apresentadas no projeto Escadaria em beagá
O teatro de Janaúba foi uma das atrações da mostra
As potencialidades culturais e turísticas da Serra Geral de Minas foram apresentadas no último domingo, 10/07, em Belo Horizonte, durante o projeto Escadaria, espaço de intercâmbio que ocorre na avenida Afonso Pena, durante a Feira de Artes. É a segunda vez que o Circuito Turístico da Serra Geral participa deste projeto e os resultados agradaram aos coordenadores, pois dá visibilidade ao potencial da região. O projeto Escadaria foi premiado em 2010 pelo ministério do Turismo, pelo seu papel de fomentar a atividade turística.

Nesta etapa realizada no final de semana, as potencialidades de Catuti, Janaúba, Montezuma, Monte Formoso e Verdelândia foram apresentadas por 25 artesãos destas localidades. O Grupo de Teatro Atrupe, de Janaúba, chamou a atenção dos participantes da feirinha. A cidade de Janaúba tem tradição nesta área, pois dali é que Jackson Antunes se despontou para o estrelato nacional, na Rede Globo.

A gestora do Circuito Turístico da Serra Geral de Minas, Niviany Silveira, diretora técnica da Federação dos Circuitos Turísticos de Minas Gerais diz que o projeto Escadaria permite dar visibilidade às potencialidades dos municípios do interior, pois a Feira de Artes da Afonso Pena conta com um dos maiores públicos em toda Minas Gerais, aos domingos.

Ela ressalta o apoio que recebeu do novo presidente do Circuito Turistico da Serra Geral de Minas, Fernando Aguiar, secretário do município de Serranópolis de Minas, que promoveu uma articulação com os prefeitos de Catuti, Janaúba, Montezuma e Verdelândia, além de Monte Formoso, para a formação da delegação. "Conseguimos dar visibilidade ao nosso potencial. Os resultados foram satisfatórios", destaca Niviany Silveira.

O CIRCUITO
A Serra Geral de Minas é formado pelos municípios de Catuti, Espinosa, Gameleiras, Jaíba, Janaúba, Mamonas, Mato Verde, Monte Azul, Monte Formoso, Montezuma, Nova Porteirinha, Pai Pedro, Porteirinha, Rio Pardo de Minas, Riacho dos Machados, Santo Antônio do Retiro, Serranópolis de Minas e Verdelândia e tem inúmeras atrações, como artesanato, comidas típicas e uma bela paisagem natural.

As várias riquezas da Serra Geral de Minas são o Balneário de Montezuma, com as piscinas naturais de águas quentes, cuja temperatura varia entre 37 e 41 graus. Além disso, nele se produz derivados da cana de açúcar como cachaça e rapadura. Durante o ano, festas tradicionais, como aniversário da cidade, festas de padroeiros, micareta e rally feminino acontecem no local. Para o turista, há roteiro de visitação às figuras rupestres, as produções de rapadura e cachaça e várias opções de bares e praças.

Na cidade de Janaúba, mistura paisagens urbanas e naturais. Uma das principais atrações turísticas é a Barragem Bico da Pedra, localizada a seis quilômetros da sede, com 750.000.000 metros cúbicos de água, que serve para e irrigação de áreas do Projeto Gorutuba, abastecimento de água para a cidade, lazer e turismo com grandes estruturas em pousadas, resort e hoteis. Uma boa opção de visita é a cachoeira no Distrito do Barreiro da Raiz. Há ainda as famosas festas da São João Gorutubano, Caipy Fest, Festas de Padroeiros e um dos maiores eventos a Exposição Agropecuária, que acontecem anualmente.

Em Verdelândia, o grande destaque são os eventos esportivos como futebol, vôlei, futsal, além de grandes rodeios e festas, como a tradicional Festa de Julho e a Festa de Sant’Ana. Um ponto de destaque em Verdelândia é a Serra de Jaíba, ponto mais alto da cidade, onde se localizam grutas que compõem uma bela paisagem.
Na cidade de Catuti, a tradicional festa de São João atrai pessoas de várias partes do país. Desde o ano passado, a cidade entrou no circuito das micaretas, com o Cat Folia, em janeiro. Outros atrativos do Circuito são a Serra do Talhado em Serranópolis de Minas, Cachoeira do Serrado em Porteirinha, Cachoeira Maria Rosa em Mato Verde, Cachoeiras em Monte Formoso, Barragem do Estreito, em Espinosa, Festa Nacional da Banana em Jaíba, além do diversificado calendário de micaretas na região.

domingo, 10 de julho de 2011

Axé Porto

Tomate e Eva agitam o Axé Porto 2011

Quem está pensando em conciliar as férias de julho com praia, sol e muito agito pode ir arrumando as malas, pois seu destino já está traçado: é Porto Seguro, no Extremo Sul da Bahia. Com 92 quilômetros de praia e repleta de belezas naturais, a cidade recebe no período milhares de visitantes em busca de diversão.   E é neste clima de descontração que acontece a quarta edição do Axé Porto, evento realizado na Arena Axé Moi e que tem na programação nomes consagrados da música baiana.  Este ano, o bicho vai pegar com a presença eletrizante de Tomate, no dia 18, prometendo colocar a galera para dançar até o dia clarear.

Dia 19 é a vez do axé suingado e do carisma de Saulo Fernandes da banda Eva. A noite terá como tema “Eva e Axé Moi Pela Paz” e vai ser embalada pela cor branca.

O cenário dos shows, a Arena Axé Moi, é mais do que especial. Com 30.000 m² e em meio a coqueiros centenários, o local oferece conforto e comodidade aos foliões.

A infra-estrutura conta com 220 banheiros de granito, área pavimentada, pista para trio elétrico, restaurante, bares, camarote, posto médico e estacionamento. Um dos destaques da Arena Axé Moi é a segurança: nunca foi registrada uma briga sequer em nenhuma das edições do evento.

sábado, 9 de julho de 2011

Alexandre Pires

Samba meneirim encerra a Expomontes

Neste domingo, o cantor Alexandre Pires sobe ao palco da Expomontes, em Montes Claros, encerrando a programação dos 10 dias da 37ª feira agropecuária de Montes Claros. O show será às 22 horas, no Parque de Exposições João Alencar Athayde.

Filho de músicos, Alexandre começou a carreira musical em 1989 quando decidiu, ao lado do irmão Fernando e do primo Juliano, montar o Só Pra Contrariar (SPC), nome dado em homenagem à canção do Fundo de Quintal [1], banda que atingiu grande sucesso em pouco tempo.

Quando aprendeu a tocar em seu cavaquinho o samba “Só Pra Contrariar”, do grupo Fundo de Quintal, Alexandre Pires não imaginou o quanto essa canção seria importante para sua carreira. Nascido em 1976 na cidade de Uberlândia e filho de músicos, Alexandre iniciou a carreira musical em 1989, quando se juntou com o irmão Fernando e o primo Juliano para formar o “Só Pra Contrariar”, nome dado em homenagem à canção do Fundo de Quintal. As apresentações em Uberlândia levaram o grupo a gravar o primeiro CD em 1993, “Que Se Chama Amor”.

Com as músicas “Que Se Chama Amor”, “A Barata” e “Domingo” que estouraram nas paradas das rádios brasileiras, o grupo de pagode ganhou fama nacional, gravou mais seis CDs de sucesso e alcançou a impressionante marca de 3 milhões de discos vendidos com um único trabalho e 10 milhões ao todo. A carreira internacional do cantor também teve início com a banda. O sucesso das músicas “Depois do Prazer” e “Mineirinho”, lançadas no Brasil em 1997, levou o SPC a gravar um CD em espanhol, que vendeu 700 mil cópias nos países latinos.

O sucesso fez com que, em 1999, o cantor fosse convidado por Gloria Estefan para gravar um dueto na música “Santo Santo”, que o consagrou como um dos grandes intérpretes da América Latina. Mesmo em turnê com o SPC, em 2001 chegou às lojas seu primeiro CD solo em espanhol, “É Por Amor”, que depois ganhou versão em português. Produzido por Emílio Estefan e dirigido ao público internacional, Alexandre mudou o estilo e trouxe várias baladas românticas. A música “Usted Se Me Llevó La Vida” entrou na trilha sonora da novela “Porto dos Milagres” e o consagrou como o mais novo intérprete nacional de sucesso. Sem conseguir acompanhar todos os compromissos, o cantor deixou o SPC em 2002, depois de uma apresentação para mais de 14 mil pessoas em Nova York.

A boa produção do primeiro CD rendeu, em 2002, um Grammy na categoria “Engenharia de Som” e o reconhecimento da Revista Billboard Latin Music Awards, de “Melhor Artista do Ano” em 2001. No mesmo ano, lançou “Minha Vida Minha Carreira”, um projeto da BMG que trouxe participações especiais e alguns depoimentos de artistas. No CD de Alexandre, a atriz Suzana Vieira narrou a faixa de abertura.

Em 2003, Alexandre lançou o terceiro disco solo, “Estrela Guia”, com versão em espanhol para os países latino-americanos e Europa. O CD contou com as participações de Alejandro Sanz em “Solo Que Me Falta” e de Rosário Flores na música “Inseguridad”. Além disso, cantou para o presidente dos EUA, George Bush, a música “Garota de Ipanema”, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, em português, na comemoração do Mês da Independência Hispânica nos EUA.

Para aumentar a sua participação no mercado musical americano, foi lançada uma tiragem especial de “Estrela Guia”, acompanhada de um DVD com os videoclipes já gravados por Alexandre Pires. No ano seguinte, o cantor voltou ao Brasil e realizou diversas apresentações por todo o país, enquanto preparava seu novo trabalho inédito.

Em “Alto-Falante”, lançado em 2004, Alexandre Pires expôs seu pensamento e mostrou um repertório quase que totalmente autoral. A exceção é uma música inédita de Jorge Vercilo, “O Que Você Fez”, em rhythm and blues americano. Gravado no estúdio do artista, em Uberlândia (MG), o álbum contou com as participações de Fat Family, Sampa Crew, Netinho de Paula e a dupla Caju & Castanha.

Em 2005, Alexandre Pires lançou o disco “Meu Samba”. O álbum, que contou com a produção de Cláudio Rosa, marca o retorno do cantor às raízes do samba. Ainda em 2005, no Dia Nacional da Consciência Negra, Alexandre recebeu o Troféu Raça Negra, na categoria “Melhor Cantor”.

Avioes do Forró

Neste sábado o grupo decola no palco da Expomontes, em Montes Claros

O show certamente reunirá o maior público dos 10 dias da 37ª feira agropecuária de Montes Claros. O Aviões do Forró se apresenta às 23 horas, no Parque de Exposições João Alencar Athayde.

Liderada por Solange e Xand, a banda é mais popular no estilo no país, atualmente.

Solange Almeida, 36 anos, e Xand Avião, 29, já perderam a conta de quantas vezes tiveram que explicar que não formam um casal. Juntos no palco - e nas estradas - há nove anos, os vocalistas da banda Aviões do Forró se divertem com a confusão até de fãs mais próximos. ''A gente chega a um show e a galera grita: beija, beija. Nós temos uma amizade sincera, é um casamento, sim, mas de dois irmãos. Eu tenho meu marido e ele tem a mulher dele'', diz Solange, que está há um ano com o estudante de educação física, Fillipe Godolphim, 24.

Xand é casado há sete anos com uma ex-dançarina da banda, Isabele Timóteo, 28. E eles garantem: não existe qualquer crise de ciúme e todos convivem em plena harmonia. ''Somos a família Aviões do Forró'', disse Xand, potiguar de Apodi, interior do Rio Grande do Norte.

Mas o talento da dupla se mostrou mesmo em terras cearenses, entre a zabumba, o triângulo e a sanfona. E, pelo som que vem do quarto, a intimidade com a música mostra ser hereditária. Estrela, 4, filha do relacionamento anterior de Solange, adora tocar percussão e bateria, enquanto Enzo, 3, filho de Xand, assume os vocais. ''Pai, bóra cantar no palco'', chama. A família cai na gargalhada.

Como Solange e Xand passam a maior parte do tempo na estrada, a hora da família é mesmo sagrada. Só na época de São João, neste mês de junho, a banda faz cerca de 45 shows, três por dia, e chegam a rodar 8 mil quilômetros por semana. Dormir nem pensar. ''Mal conseguimos ter oito horas livres, cochilamos no ônibus ou no carro'', explica Xand.

Com sete CDs lançados, o Aviões do Forró tem estrutura digna de show internacional. Em outubro reuniu mais de 70 mil pessoas em Salvador para a gravação do segundo DVD. ''Todo equipamento que Madonna tem, nós também temos'', conta Xand. E o sucesso, com mais de 3,5 milhões de cópias vendidas, fez com que o grupo atingisse voos mais altos. Neste ano, a banda invadiu a Europa com apresentações na Suíça, na Holanda e em Portugal. ''Tivemos um retorno incrível. Foram 7 mil pessoas só em Lisboa'', conta Xand.

Mas, se hoje tudo são flores, ele conta que a banda já sofreu certo preconceito. ''Antigamente as pessoas não davam atenção para a gente. Não tínhamos nem camarim, ficávamos no ônibus. Depois que a Ivete Sangalo nos convidou para participar do DVD dela, em 2009, tudo mudou. O Brasil inteiro passou a nos conhecer. O Aviões mudou a cara do forró'', conta Xand.

Em outubro, a banda se aventura novamente pela Europa com shows na Bélgica, na Espanha e na Itália. ''Queremos apresentar nossa cultura por lá'', diz a cantora. Além da turnê, o grupo terá o seu cruzeiro, que percorrerá o litoral nordestino no segundo semestre. ''Ainda não pensamos em ter o nosso avião. Mas quem é que não sonha? Vamos lutar por isso'', sorri Solange.

54 quilos a menos

Com 1,70 metro e 58 quilos, ninguém desconfia que Solange chegou aos 112 quilos. ''Era uma mulher triste'', lembra. A cantora tentou inúmeras dietas e remédios, mas nada funcionou. ''Não dormia direito e tinha hipertensão. Na gravidez de Estrela tive trombose'', conta. Em 2008, tomou a decisão que iria mudar sua vida: se submeter a uma cirurgia de redução de estômago. ''Foi a saúde em primeiro lugar'', diz ela, que estava com esteatose (acúmulo de gordura no fígado).

Um outro fator também ajudou. ''Cheguei ao aeroporto de uma cidade e um dos fãs gritou: 'Não acredito que esperei duas horas para ver uma baleia'. Depois disso não olhava nos olhos deles'', recorda. Hoje a situação é diferente. ''Coloquei prótese de 350 mililitros nos seios, fiz o abdome e coloquei silicone no bumbum. Fiquei mais vaidosa'', conta. Referência em saúde, agora Solange vai abrir academia em Fortaleza. ''Várias pessoas mudaram depois de mim e quero continuar esse projeto'', diz.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

ENTREVISTA: Deputado federal Gabriel Guimarães:

Em defesa do meio ambiente

"Sou, com muito orgulho, membro da Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados no momento em que o Brasil e Minas muito têm a ganhar com a decisão da presidenta Dilma de encaminhar, ainda neste ano, o Marco Regulatório Mineral"


Por Jerúsia Arruda

Mais novo deputado federal mineiro, aos 28 anos, e herdeiro de um importante legado político construído pelo pai, Virgílio Guimarães, em seu primeiro mandato em cargo público, Gabriel Guimarães vem se destacando pela luta engajada em prol das mudanças e regulamentação do setor mineral no país, além de um investimento pessoal especial na efetivação da construção da Barragem de Congonhas, no município de Itacambira, que vai beneficiar várias cidades do Norte de Minas não só na questão do abastecimento de água, mas também no desenvolvimento de culturas agrícolas.

Gabriel faz o juramento ao tomar posse como Deputado Federal

Em entrevista exclusiva a mim concedida, o deputado Gabriel Guimarães fala dos projetos como integrante da Comissão de Minas e Energia da Câmara de Deputados e de sua proposta em atuar como interlocutor das demandas da população junto ao governo federal.

Gabriel Guimarães, na verdade, Gabriel Moreira de Andrade (PT/MG), é natural de Governador Valadares-MG. Formado em Direito, em seu primeiro mandato em cargo público, na 54ª Legislatura da Câmara dos Deputados, integra a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e Comissão de Minas e Energia.

Desde o início de seu mandado como deputado, o senhor vem alertando sobre a necessidade de se criar uma nova legislação para o setor mineral, incluindo um novo marco regulatório e mudança no sistema mineral para os municípios e estados produtores. Há algum avanço neste sentido?
Sou, com muito orgulho, membro da Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados no momento em que o Brasil e Minas muito têm a ganhar com a decisão da presidenta Dilma de encaminhar, ainda neste ano, o Marco Regulatório Mineral que será dividido em três etapas. Uma delas, a criação da Agência Nacional de Mineração, tem o objetivo de fiscalizar e criar um mecanismo de controle para regularizar a situação do setor mineral e acompanhar a posição do Brasil diante das tecnologias mundiais.
Outro ponto importante refere-se à situação das outorgas e das concessões de exploração. Como serão feitas? Serão por licitação? Qual será o prazo de exploração? Terá renovação ou não? Essas são questões importantes que serão abordadas de forma ampla no Marco Regulatório.
Outro ponto trata das questões dos royalties. Sabemos que minério só dá uma safra. Por isso, a compensação que fica para os municípios e para a população envolvida, que depende cada vez mais da riqueza proveniente da atividade mineral, deve ser objeto de atenção do governo. Já que as riquezas são de todos, devemos melhorar as compensações para os atores envolvidos.
Esses pontos contemplados no Marco Regulatório merecem e merecerão especial atenção do meu mandato, sobretudo, na minha atuação na Comissão de Minas e Energia.

No Norte de Minas nós temos duas situações conflitantes, que é redução da produção de magnésio pela unidade da Rima, em Bocaiúva, devido ao aumento da importação do minério da Rússia pelo Brasil. A Rima apresentou em dezembro de 2010 um pedido às autoridades brasileiras para investigar e aplicar medidas antidumping sobre as importações, mas como não houve nenhuma mudança a empresa já parou 1/3 de suas máquinas e vai demitir 2000 empregados, o causará um impacto social muito grande no município. A outra situação é a extração de ouro em Riacho dos Machados, cuja população e o poder público do município se sentem ameaçados com os riscos e impactos que a exploração do minério pela empresa canadense pode causar. Além disso, a empresa não abre frente de trabalho para os trabalhadores locais. Como o senhor avalia essas duas situações?
Primeiro é bom ressaltar que o Brasil teve sua balança comercial superavitária devido ao setor mineral. Sobre as medidas antidumping pleiteadas pela Rima, somos favoráveis e apoiamos medidas que visam combater qualquer mecanismo que prejudique os desempenhos das nossas indústrias. Ficaremos atentos na Comissão de Minas e Energia porque não podemos permitir que um mineral estratégico para o Brasil e para nossa região, como é o magnésio, fique à mercê de políticas externas que visam única e exclusivamente aumentar o saldo positivo da balança comercial da Rússia. Como o ministério do Desenvolvimento de Indústria e Comércio é o responsável por analisar e apresentar ao ministério da Fazenda um relatório minucioso sobre essa questão, fico mais otimista porque sei que o ministro Fernando Pimentel conhece a região e os seus problemas e não irá permitir quaisquer prejuízos causados por medidas de dumpings vindas de quaisquer países que queiram prejudicar o Brasil. Foi assim com as medidas tomadas recentemente na nossa relação diplomática com a Argentina, quando o ministro Pimentel foi firme e chegou em um consenso. Temos que tratar a Rússia como parceiro comercial, mas não podemos permitir, de forma alguma, prejuízos ao nosso desenvolvimento.
Sobre a questão dos empregos, quando uma empresa que tem liberdade de contratação se instala em uma região, é importante que ela dê preferência para a população regionalmente envolvida, pois é ela que absorve todos os problemas causados pela instalação de uma nova empresa: tráfego urbano, questões ambientais, entre outros. Não é diferente em Riacho dos Machados.
Também temos lido com muita frequência nos últimos anos que falta mão-de-obra qualificada no país. Por isso, o nosso mandato é o maior defensor dos CEFETS, do ensino técnico e do ensino profissionalizante. Nossa região, que já tem o Instituto Federal Tecnológico, tem que ampliar cada vez mais a criação de novas vagas e de novos cursos para absorver a demanda dos jovens. Agora, com o PRONATEC, conseguimos garantir a inclusão de Janaúba, Diamantina e Teófilo Otoni no programa, graças ao nosso empenho juntamente com toda a bancada.


Como está o encaminhamento para a construção da Barragem de Congonhas, no município de Itacambira?
Um dos maiores benefícios para o Norte é a solução para o problema da água que propicia, entre outras atividades, as irrigações responsáveis pelos desenvolvimentos de culturas regionais, reduzindo o déficit social que ainda temos com parte da população daqui. É triste sabermos que a região onde nasce o Rio São Francisco ainda tem problemas de abastecimento de água.
A barragem de Congonhas vem como importante solução regional, mas com abrangência nacional. Tenho orgulho de ter acompanhado o trabalho do então deputado Virgílio Guimarães que conversou à época com o presidente Lula sobre a importância dessa barragem e alocou emenda no orçamento para o início das obras. Hoje trabalhamos e conseguimos junto à presidenta Dilma e ao ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, a inclusão da barragem de Congonhas no PAC II. Agora, o projeto está na área técnica do ministério e poderá sofrer pequenas alterações. Mas o mais importante é saber que os recursos necessários para este grande empreendimento, mais de R$ 400 milhões, estão garantidos com sua inclusão no PAC II.
Agora a barragem depende de licença ambiental e toda a área técnica está empenhada para que as obras iniciem o mais brevemente. Temos uma legislação ambiental e, por isso, devemos respeitar todos os limites de sustentabilidade de um projeto tão importante. Mas trabalharemos firmes para liberar no menor espaço de tempo essa licença. Não vamos permitir que nenhum exagero burocrático impeça o processo. Ficaremos atentos quanto a essa questão.
Queremos o anúncio do início das obras ainda esse ano e, de preferência, com a presidenta Dilma aqui em Montes Claros.

De onde virá os recursos para a construção da Barragem e quem são os responsáveis pela intermediação junto ao Ministério?
O PAC II é um programa do governo federal, coordenado pela presidenta Dilma. Então os recursos virão do governo federal que contou, desde o início, com o apoio do então deputado Virgílio Guimarães e agora, com muito orgulho, damos continuidade a esse trabalho. O deputado Paulo Guedes tem sido muito atuante nesse tema e é, sem dúvida, um dos grandes interlocutores no processo.

Qual o valor das obras e de que forma os recursos serão liberados? Qual previsão de início e conclusão?
A previsão de início das obras depende da licença a ser outorgada. Por isso, repito, vamos trabalhar firme para que as obras iniciem ainda este ano. Esta é a nossa meta. São recursos de mais de R$ 400 milhões que somados aos recursos das obras da barragem de Jequitaí chegam a quase 1 bilhão de reais anunciados para o Norte de Minas.

 

Quais os municípios serão beneficiados? A barragem será suficiente para abastecer Montes Claros durante quanto tempo?
A barragem de Congonhas terá cerca de 950 milhões de m3 e beneficiará diretamente Grão Mogol, Itacambira e Montes Claros. Também possibilitará a transposição de águas para o Rio Verde Grande. Em Montes Claros, será a solução definitiva para os problemas de abastecimento de água, que pode sofrer um colapso nos próximos cinco anos. A Barragem terá a função de abastecer Montes Claros de água e contribuir para a revitalização do São Francisco e do Jequitinhonha.


Laços de família na política: Gabriel e Virgílio Guimarães

Em relação à Barragem de Jequitaí, quando deverá ser iniciada?
Os moradores do Norte de Minas, com o apoio do ex-deputado Virgílio Guimarães, e do meu mandato, sempre reivindicaram a construção da Barragem Jequitaí. Em maio deste ano, nosso trabalho resultou em uma grande vitória para a população do Norte, quando a presidenta Dilma incluiu esta obra no PAC II. Cumpridos os processos de licitação, acredito que em agosto de 2011 teremos o início das obras.

 
Qual será o recurso investido na obra?

O projeto está incluído no PAC com dotação de R$ 304 milhões para o período de 2011 a 2014. Na primeira etapa, serão R$ 90 milhões.

Além da irrigação, o que representará a usina hidrelétrica para a região?
A construção da barragem tem como objetivo irrigar o Vale de Jequitaí, entre a Serra do Espinhaço e a Serra do Onça, no Norte do Estado, por meio de construção de barragens para irrigar mais de 35 mil hectares, sendo que 18 mil vão ser destinados ao perímetro para pequenos e médios agricultores. O projeto abrange 19 municípios mineiros, atendendo cerca de 587 mil pessoas das regiões de Jequitaí, Engenheiro Navarro, Claro dos Poções, Francisco Dumont, Lagoa dos Patos, Várzea da Palma, Pirapora, Buritizeiro, Coração de Jesus, Joaquim Felício, Bocaiúva e Montes Claros, entre outros.
O projeto é uma reivindicação de mais de 50 anos da região e é considerada fundamental para alavancar o desenvolvimento econômico das cidades. A obra vai garantir o abastecimento de água para a população dos municípios da região, além de ajudar na contenção de cheias nos períodos chuvosos, irrigar e produzir alimentos. O projeto será responsável pela geração de 30 mil empregos diretos e 60 mil indiretos.

Somando as duas barragens o que podemos esperar em relação à produção de alimentos na região?
Com a conclusão das duas barragens tão importantes, não tenho dúvida de que o Norte de Minas, que possui terrenos férteis capazes de produzir riquezas importantes para o país, será uma região fundamental para o processo de desenvolvimento da nação. Atualmente, já somos os maiores exportadores de banana do país. Com a conclusão das barragens e o conseqüente incremento no processo de irrigação, vamos diversificar a produção e potencializar a produção de alimentos na região.

Com o novo Código Florestal e novas exigências na legislação ambiental haverá alguma mudança no projeto original de construção das duas barragens?
O Código Florestal aprovado na Câmara dos Deputados não impedirá a construção e a conclusão dessas barragens. É um código que beneficia os pequenos agricultores. Não foi uma vitória do governo, dos ruralistas e dos ambientalistas. A aprovação desse projeto foi um avanço para o Brasil. Um Brasil que quer e vai se desenvolver cada vez mais. Distribuir suas riquezas, gerar alimentos, sempre de forma sustentável e respeitando o meio ambiente. É claro que agora nós, os deputados federais, devemos ficar atentos aos trâmites no Senado. Não vamos permitir que haja alterações que tragam prejuízos à nossa região.

O senhor é o deputado federal mais jovem do Estado e assim como seu pai (Virgílio Guimarães) tem sua base eleitoral no Norte de Minas e no Vale do Jequitinhonha. O Norte de Minas, inclusive, é a região onde foi obteve mais votos. Essas são as regiões com o IDH mais baixo do Estado e naturalmente esperam que o senhor as represente na Câmara Federal. Quais os seus planos para beneficiar essas regiões?
Tenho muito orgulho de ter sido eleito deputado federal com votação expressiva no Norte de Minas. Sei da minha responsabilidade porque a região precisa de parlamentares que trabalhem de forma incansável pelos interesses da região na Câmara dos Deputados. Sabemos que o Norte está vivendo um novo momento. Um momento melhor. Vamos valorizar o ensino técnico profissionalizante e trabalhar pela conclusão das barragens de Congonhas e Jequitaí.
Aproveito para falar sobre a MP 512 que concedeu incentivos fiscais que beneficiaram o estado de Pernambuco com investimentos na indústria automotiva. Deixo claro que essa MP trouxe para Minas 7 bilhões de reais de investimentos na expansão da Fiat automóveis. A Fiat, para expandir em Minas, dependia de investimentos em Pernambuco devido ao Porto De Suape, para escoar a exportação dos veículos produzidos. Então a MP 512 beneficiou Minas com 7 bilhões de reais.
Sobre o veto da presidenta Dilma, eu como parlamentar do governo, da base do governo, e sabendo da carência da região por investimentos e por mercado de trabalho, não permitirei que a nossa região seja prejudicada. Já articulamos na bancada federal, com parlamentares que têm votação na região para que caso o governo do Estado receba alguma industria automotiva que tenha interesse em se instalar na região, que nos comunique para fazermos uma audiência conjunta entre a bancada federal da região e a presidenta Dilma para que o governo federal conceda os benefícios para essa indústria. Não teremos prejuízos.
Também já protocolei um Projeto de Lei garantindo que não poderá haver nenhum benefício para a região do semi-árido brasileiro que não se estenda à área mineira da Sudene. Com esse projeto garantiremos que o Norte de Minas não seja prejudicado ou afastado de investimentos que outras regiões do país têm. O semi-árido mineiro tem as mesmas características do semi-árido brasileiro. Não se justifica nenhuma diferenciação por parte de nenhum incentivo governamental. Então qualquer incentivo fiscal ou beneficio orçamentário que atenda o semi- árido brasileiro irá incluir, automaticamente, o semi-árido mineiro.

Qual a sua mensagem para os norte-mineiros?
Deixo uma mensagem de otimismo. Uma mensagem de agradecimento e de gratidão. Cada vez que venho aqui, e já foram muitas desde a minha posse, sou recepcionado com muito carinho. Também sou recebido com projetos de pessoas que sabem o que quer. O povo do Norte sabe o que quer e sabe como fazer. Eleito deputado, tenho a função de ser o interlocutor junto ao governo federal das demandas da população. Em parceria e de forma propositiva, tenho certeza de muito ainda faremos pela região. Contem comigo.